GALHARDO: campeão várias vezes pelo Fluminense

                 João José Galhardo nasceu dia 29 de novembro de 1942, na cidade de Araraquara – SP. Foi um grande zagueiro, que começou na Ferroviária de Araraquara, mas devido suas grandes apresentações, foi contratado junto ao Corinthians, onde não conquistou nenhum titulo importante, mas deixou saudade a torcida corintiana, pela sua raça e vontade de vencer, coisa que a Fiel dá muito valor. Ao deixar o Corinthians pensou em abandonar o futebol, tal foi sua desilusão, mas acabou aceitando o convite do então técnico do Fluminense e foi jogar no clube das Laranjeiras, onde conquistou vários títulos importantes, jogando ao lado de grandes craques. Ainda hoje é lembrado com muito carinho pela torcida tricolor carioca, por tudo que ele fez pelo clube. Em 2010, Galhardo foi um dos homenageados pelo Fluminense, pelos 40 anos da conquista da Taça de Prata de 1970, titulo este que representa o título de campeão brasileiro dos dias atuais. Hoje Galhardo reside em Araraquara e vive uma vida tranquila ao lado de sua esposa, filhos e netas. 

INÍCIO DE CARREIRA

               Começou sua carreia em 1961 nas categorias de base da Ferroviária. No ano seguinte já estava no time principal. Neste ano de 1962, a Ferroviária tinha um time espetacular, tanto é que venceu o Corinthians em pleno Parque São Jorge por 4 a 1. Neste dia a equipe de Araraquara jogou com; Toninho, Ismael, Antoninho e Dudu (Galhardo); Mário e Zé Maria; Peixinho, Laerte (Davi), Parada, Bazani e Beni. Os gols da partida foram anotados por; Bazani, Laerte, Beni e Parada, enquanto que Cássio marco o único tento corintiano.

               Desse time, Ismael depois jogou no Santos, Dudu fez história no Palmeiras ao compor o melhor meio de campo de todos os tempos ao lado de Ademir da Guia, Davi jogou no Corinthians e no Santos, Parada jogou no Corinthians, Bangu e Botafogo, Bazani jogou no Corinthians, Beni jogou no Palmeiras e Peixinho que já havia jogado no São Paulo, inclusive foi dele o primeiro gol no Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, quando o Tricolor derrotou o Sporting de Lisboa por 1 a 0 no dia 25 de janeiro de 1960 e depois jogou ainda no Santos F.C.  Portanto, era um time de grandes craques, uma tradição da Ferroviária na década de 50 e 60, pois foi lá que inúmeros jogadores começaram a carreira e depois brilharam nos grandes clubes do futebol brasileiro.

CORINTHIANS

               E foi justamente neste jogo em que a Ferroviária enfrentou o Corinthians, que começou o namoro  entre o clube da capital com o zagueiro Galhardo, até que finalmente chegaram ao casamento, mas isto aconteceu somente três anos depois. Na época foi a maior transação financeira em se tratando de um jogador do interior para um clube da capital. Vale lembrar, que Galhardo era de uma família de grandes posses, e que ele jogava por amor ao esporte. 

               Sua estreia com a camisa alvinegra de Parque São Jorge, aconteceu dia 20 de maio de 1965, quando o Corinthians fez um jogo amistoso contra o Cruzeiro no estádio Independência, em Belo Horizonte. O cruzeiro naquela época tinha um grande time e isto se confirmou no ano seguinte quando derrotou o Santos por 6 a 2 em Belo Horizonte e por 3 a 2 no Pacaembu. A partir daí o Cruzeiro passou a ser conhecido em todo território nacional, assim como seus jogadores. Um exemplo disto foi Tostão, Dirceu Lopes, William, Neco, Hilton e Piazza, que participaram deste jogo contra o Corinthians. Este jogo contra o Cruzeiro, o Timão venceu por 4 a 2, gols de Alex (3) e Manuelzinho, enquanto que William e Tostão cobrando pênalti, marcaram para o time mineiro. Para este jogo o técnico Osvaldo Brandão escalou a seguinte equipe; Heitor, Baixa, Mendes (Galhardo), Clóvis e Maciel; Edson e Rivelino (Luizinho); Íris (Sérgio Echigo), Manuelzinho (Wanderlei), Alex e Geraldo José.

              A partir do jogo seguinte, Galhardo passou a ser o titular da equipe, jogo este que foi contra o Botafogo do Rio de Janeiro, num quadrangular que houve por ocasião da inauguração do Estádio Palma Travasso, que pertence ao Comercial de Ribeirão Preto. O jogo terminou empatado em 2 a 2. Ainda faziam parte deste torneio, o Fluminense do Rio de Janeiro e o próprio Comercial, que sagrou-se campeão.

              Galhardo conquistou apenas dois títulos pelo Corinthians, um deles foi o Torneio Rio-São Paulo de 1966, assim mesmo, o título teve que ser dividido com mais três clubes (Santos, Vasco e Botafogo), pois já estávamos próximo da Copa do Mundo da Inglaterra e não havia tempo para um quadrangular final. O outro título também foi em 1966, quando o Corinthians conquistou o Torneio Laudo Natel, depois de empatar com o São Paulo em 4 a 4, gols de Flávio, Marcos, Nair e Nilson para o alvinegro, enquanto que para o Tricolor marcaram; Ferreti (2), Baba e Osvaldo Cunha. Ainda em 1966, Galhardo teve a honra de jogar ao lado de Garrincha, que foi contratado pelo Corinthians naquele ano. Sua estreia aconteceu dia 2 de março de 1966 e neste dia o Corinthians perdeu para o Vasco por 3 a 0, em pleno Pacaembu.  

             Com a camisa corintiana, Galhardo disputou 85 partidas (50 vitórias, 16 empates, 21 derrotas) e marcou dois gols, um contra e um a favor. O gol a favor foi no dia 21 de outubro de 1965, quando o Corinthians goleou o Juventus por 6 a 2, pelo Campeonato Paulista daquele ano. Os demais gols corintianos foram anotados por Flávio (3), Airton e Edson. Já o gol contra foi no dia 25 de setembro de 1966, quando o Corinthians derrotou a Prudentina por 3 a 2. Os gols corintianos foram anotados por Rivelino, Flávio e Dino Sani, enquanto que para o time de Presidente Prudente marcaram Reginaldo e Galhardo contra.

             Depois de um sério desentendimento com o técnico Zezé Moreira, Galhardo resolveu deixar o Corinthians, inclusive havia decidido em encerrar sua carreira. Mas depois de uma conversa com Evaristo de Macedo, que era na época o treinador do Fluminense, mudou de ideia e foi para o Rio de Janeiro. Galhardo não foi o único jogador que deixou o Corinthians para jogar no Fluminense, pois assim também foi com Rivelino, Ivair, Joaquinzinho, Flávio, Suingue e tantos outros.

             A última partida com a camisa corintiana aconteceu dia 23 de janeiro de 1968, quando o Corinthians goleou o Bahia de Feira de Santana por 7 a 0, gols de Flávio (2), Marcos (2), Tales, Rivelino e Gilson Porto. Neste dia o Timão jogou com; Barbosinha, Galhardo, Ditão (Edson), Luiz Carlos (Clóvis) e Maciel; Dino Sani (Djalma) e Rivelino; Benê (Marcos), Tales, Flávio (Silvio) e Eduardo (Gilson Porto). Esse jogo tem como curiosidade a presença de Barbosinha na meta corintiana, pois estava voltando depois daquela derrota para o Palmeiras por 2 a 1 no dia 19 de novembro de 1967, quando o goleiro foi acusado de “entregar” o jogo, depois de tomar dois gols de falta co meio de campo do atacante Tupãzinho. Mas esta foi também sua última partida pelo Corinthians.

FLUMINENSE

               Galhardo chegou nas Laranjeiras em 1968 e já no ano seguinte, sagrou-se campeão carioca. Veio o ano seguinte e mais um título, campeão da Taça de Prata (atual Campeonato Brasileiro). Foi um título que o torcedor do Fluminense jamais esquecerá, pois formou naquele ano um grande time; Félix, Oliveira, Galhardo, Assis e Marco Antonio; Denilson e Didi; Cafuringa, Samarone, Mickey e Lula. O técnico era Paulo Amaral. O jogo do título aconteceu dia 20 de dezembro de 1970, quando o Fluminense empatou com o Atlético Mineiro em 1 a 1, gol de Mickey para o Flu e Vaguinho para o time mineiro. Neste dia o Maracanã recebeu um público de 112.402 pagantes. O artilheiro da competição foi Flávio, também do Fluminense, com 11 gols, mas que não pode jogar na final. Chegava o ano de 1971 e o Fluminense de Galhardo conquistava o título carioca novamente, após derrotar o Botafogo por 1 a 0, gol do ponta esquerda Lula aos 43 minutos do segundo tempo. Este jogo aconteceu dia 27 de junho e neste dia o Maracanã recebeu um público de 142.339 pagantes.

               E foi no ano de 1971, que Galhardo precisou encerrar sua brilhante carreira aos 29 anos de idade, devido a uma contusão no joelho, que o impossibilitava de jogar futebol. Por ironia do destino, uma de suas últimas partidas foi justamente contra seu ex-clube, o Corinthians. Este jogo foi válido pelo Campeonato Brasileiro (o primeiro de sua história) e foi realizado no Estádio Mário Filho, o Maracanã. O jogo terminou com a vitória corintiana por 1 a 0, gol de Mirandinha aos 12 minutos da segunda etapa. Para este jogo o técnico Zagallo mandou a campo os seguintes jogadores; Félix, Oliveira, Galhardo, Assis e Marco Antonio; Denilson e Didi; Cafuringa, Jair, Jeremias e Lula.

               Em setembro de 2010, em comemoração aos 40 anos da conquista da Taça de Prata e com a presença de mais de mil pessoas, foi realizado um evento na quadra central de Laranjeiras onde compareceram vários jogadores campeões, entre eles Galhardo. Para abrilhantar a festa a diretoria do Fluminense homenageou também os campeões de 1959, entre eles; Waldo (maior artilheiro do clube), Escurinho, Pinheiro, Jair Marinho, Paulinho e Altair. Hoje Galhardo vive em Araraquara ao lado de sua esposa, dos filhos Rogério e Ariane e das netas. Após parar com a bola, montou uma escolhinha de futebol e trabalhou como vendedor e como segurança de edifícios. Infelizmente na sua época não se ganhava tanto como nos dias de hoje, pois mesmo sendo campeão inúmeras vezes pelo Fluminense, somente depois de três anos no Rio de Janeiro é que conseguiu comprar um apartamento. Por tudo isso, nosso humilde homenagem ao grande zagueiro Galhardo. 

Em pé: Dino Sani, Galhardo, Édson, Clóvis, Eduardo, e Heitor    –    Agachados: Marcos, Rivelino, Flávio, Airton  e Geraldo José
Em pé: Oliveira, Félix, Denílson, Galhardo, Assis e Marco Antonio    –    Agachados: Cafuringa, Didi, Mickey, Samarone e Lula
Em pé: Antoninho, Galhardo, Dudu, Geraldo Scalera, Jurandir e Rodrigues Lindão    –     Agachados: Peixinho, Davi, Tales, Bazzani e Beni
Em pé: Oliveira, Félix, Galhardo, Denílson, Assis e Marco Antônio    –     Agachados: Cafuringa, Didi, Flávio, Samarone e Lula
Em pé: Clóvis, Marcial, Edson, Galhardo, Eduardo e Maciel    –     Agachados: Marcos, Rivelino, Ayrton, Flávio e Gilson Porto
Em pé: Jair Marinho, Dino Sani, Galhardo, Ditão, Édson e Heitor    –     Agachados: Garrincha, Nair, Flávio, Tales e Gílson Porto

 

Postado em G

Deixe uma resposta