JOEL SANTANA: um colecionador de títulos

                Joel Natalino Santana nasceu dia 25 de dezembro de 1948, na cidade do Rio de Janeiro – RJ. É definitivamente, uma figura singular no mundo do futebol. Conhecido no meio dos jogadores como “Papai Joel”, por sua forma carinhosa de tratar com os atletas, o treinador é visto como folclórico pela mídia. A inseparável prancheta que usa nos treinos e jogos,  e a impagável passagem pelo comando da seleção sul-africana, na qual teve de conviver com a imprensa internacional e difundir seu inglês “very good” fluente nas coletivas, são marcas na carreira de Joel. Já trabalhou em praticamente todos os grandes clubes do futebol brasileiro, principalmente do Rio de Janeiro. Na década de 70 foi jogador, mas não passou de um modesto zagueiro, com passagem efêmera por dois clubes, o Vasco da Gama e o América de Natal. No entanto como treinador é um dos nomes mais conhecidos do futebol brasileiro, pois já conquistou inúmeros títulos importantes. Então vamos conhecer um pouco da história de Joel Santana.

JOGADOR

               Na década de 70 jogou no Vasco da Gama, cuja equipe Cruz de Malta daquela época era formada por; Andrada, Paulo César, Joel, Moisés e Alfinete; Gaúcho e Buglê; Jorginho Carvoeiro, Tostão, Roberto Dinamite e Marco Antonio. Foi com esta equipe que o Vasco empatou com o Corinthians em  1 a 1 pelo Campeonato Brasileiro de 1972. Os gols foram marcados por Roberto Dinamite e Rivelino. A carreira de jogador de Joel Santana foi bem curta, pois começou a jogar com 23 anos de idade e aos 26 a encerrou.

TREINADOR

               Joel decidiu encerrar a carreira de jogador para trabalhar como treinador por ver mais chances no futebol se ocupasse esse cargo. Foi então que em 1981 Joel assumiu o seu primeiro clube. O Al Wasl Club da Arábia Saudita, decidiu apostar no jovem treinador e contratou-o. Apesar de não conquistar qualquer título, Joel permaneceu no comando da equipe por cinco anos. Em 1986 o Vasco da Gama convidou-o para retornar ao Brasil para treinar a equipe principal do clube. O convite foi aceito e Joel assumiu o seu primeiro clube brasileiro. A passagem não durou tanto quanto o seu primeiro desafio e ao fim de um ano o treinador mudou de ares mais uma vez seguindo novamente para a Arábia Saudita para treinar o Al Hilal. Três anos após, Joel retorna ao Brasil, agora o novo desafio é treinar o América do Rio de Janeiro. A passagem foi muito curta e no mesmo ano ele volta à Arábia Saudita.

OS PRIMEIROS TÍTULOS

               Em 1992 Joel volta a assumir o Vasco da Gama. Esta segunda passagem rende ao treinador o seu primeiro título, o Campeonato Carioca de Futebol de 1992 de forma invicta. Devido à conquista, ele é mantido no cargo e no ano seguinte conquista novamente o Campeonato Carioca. Em 1994 o treinador aceita um novo desafio e assume o Bahia. Uma experiência curta de um ano, mas onde pôde conquistar o Campeonato Baiano.

                Em 1999 Joel voltou ao Bahia para uma nova conquista do Campeonato Baiano. Em 1995 ele volta ao Rio de Janeiro para treinar o Fluminense. O clube estava desacreditado e com poucas chances de ganhar o Campeonato Carioca. O grande favorito para a conquista era o Flamengo, que havia se reforçado com Romário. Mas contra todas as probabilidades o treinador levou o clube à final da competição contra o Flamengo e num jogo que surpreendeu a todos, o Fluminense sagrou-se campeão carioca rendendo ao treinador o seu terceiro título.

               Com o título a diretoria manteve o treinador e reforçou o clube para a disputa do Campeonato Brasileiro. Joel chegou até as semi-finais, onde venceu o Santos em casa de goleada, e conseguiu a incrível proeza de ser eliminado no jogo de volta, sendo goleado. Dizem que chegou bêbado e sob o efeito de cocaína ao jogo e, por isso, ainda é extremamente criticado pelos tricolores. Com três título cariocas, Joel Santana começava a ser visto como um treinador vitorioso no Rio de Janeiro. Em 1996 o Flamengo, que no ano anterior perdeu o título para Joel, contratou o treinador com o objetivo de conquistar o Campeonato Carioca.

               O objetivo foi alcançado e de forma invicta o treinador conquistou o seu quarto título. Em 1997, assume o Botafogo, que era o único clube grande do Rio de Janeiro que ainda não tinha treinado e, mais uma vez, ele conquistou o título carioca. O treinador saiu durante o campeonato brasileiro, em virtude de uma grande proposta do Corinthians, onde, entretanto, não ficou por muito tempo. Foi mais uma vez contratado pelo Flamengo por seis meses em 1998. O treinador esteve de volta ao Botafogo em 1999, mas sem grande sucesso.

PRIMEIRO TÍTULO BRASILEIRO

               Joel passou a ser conhecido como o “Rei do Rio” devido às suas passagens vitoriosas e ao seus cinco títulos carioca. Mas o treinador nunca havia conquistado um título nacional ou internacional. Em 2000, após um desentendimento do presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, com o treinador do clube, Oswaldo de Oliveira, que culminou com a demissão do treinador, Joel Santana foi contratado para assumir o cargo. Esta passagem foi atípica e assumiu a equipe quando esta já estava na fase final da Copa Mercosul. O treinador seguiu no clube até o final da Copa João Havelange (Campeonato brasileiro), que o Vasco venceria numa final disputada contra o São Caetano, no ano de 2001. O treinador assim somou dois títulos inéditos à sua coleção. Após uma passagem rápida pelo Coritiba, ainda em 2001, foi contratado pelo Vitória, onde conquistou dois títulos baianos e um da Copa do Nordeste de 2003.

O SALVADOR

               Joel Santana começou a ser contratado por curtos períodos não com o objetivo de conquistar um título, mas sim de salvar uma equipe mal classificada. Voltou ao Fluminense em 2003 e por seis meses esteve no comando da equipe. No ano seguinte treinou o Guarani e o Internacional, ambos por um curto período. No mesmo ano assumiu pela quarta vez o Vasco da Gama, para no ano seguinte ir para o Brasiliense. No mesmo ano Joel foi convidado a assumir novamente o Flamengo. O clube encontrava-se em má posição no Campeonato Brasileiro e o objetivo principal era garantir a permanência da equipe na primeira divisão. Joel tinha apenas nove jogos para comandar e atingir o objetivo. Com seis vitórias e três empates, o clube conseguiu se manter na primeira divisão. No fim da competição Joel foi para o Japão treinar o Vegalta Sendai que tinha outros objetivos, ser promovido à primeira divisão japonesa. Porém o treinador não conseguiu atingir o objetivo.

               Em 2007 Joel foi convidado pelo amigo e dirigente do Fluminense, Branco, para assumir a equipe tricolor. O contrato firmado era de um ano, mas a passagem foi muito curta, dois meses, e após doze jogos o treinador teve o contrato rescindido. Três meses após a dispensa do Fluminense, Joel voltou a assumir outro clube carioca, o Flamengo. O objetivo era o mesmo de há dois anos, recuperar a equipe em má posição no Campeonato Brasileiro. Desta vez o treinador assumiu a equipe com uma maior margem de manobra, tendo ainda vinte e seis jogos para disputar, e obteve uma recuperação surpreendente, levando o Flamengo da zona de rebaixamento à conquista de uma vaga para a Copa Libertadores da América 2008. E no torneio de sua despedida do clube, levou o Flamengo ao título do Campeonato Carioca de 2008.

SELEÇÃO DA ÁFRICA DO SUL

               Joel Santana foi comandar a seleção da África do Sul, país sede da Copa do Mundo de 2010, sob indicação do até então técnico Carlos Alberto Parreira (que, na época, afirmava aposentar-se da carreira de técnico de futebol). A passagem de Joel como treinador de seleção não durou muito: foi demitido em 19 de Outubro de 2010, após uma série de derrotas. Com isto, voltou ao futebol carioca. Foi contratado pelo Botafogo após uma goleada de 6 a 0 sofrida para o Vasco da Gama. O treinador organizou o time, que subiu de rendimento e conquistou, em cima do mesmo Vasco da Gama, a Taça Guanabara.

              Em seguida, o clube alvinegro conquistou também o returno do Campeonato Carioca, a Taça Rio, em cima do Flamengo, sagrando-se campeão estadual sem a necessidade de final. Ganhou também o prêmio de melhor técnico do campeonato. No dia 8 de dezembro de 2010, anunciou a renovação do seu contrato com o clube carioca. Mas em 22 de março, após derrota para o Vasco da Gama na Taça Rio e magoado com as vaias e críticas da torcida, Joel pediu demissão do comando do Alvinegro. No dia 19/06/2011, após o pedido de demissão do então treinador do Cruzeiro, Cuca, o clube mineiro confirmou o acerto com o técnico Joel Santana.

Em pé: Valdir Appel, Joel Santana, a Miss Vasco, Alcir Portella, Rossi, Batista e Fidélis   –     Agachados: o massagista Pai Santana, Benetti, Jaílson, Buglê, Silva e Gilson Nunes
Em pé: Valdir Appel, Joel Santana, Alcir Portella, Rubens, Moacir e Fidélis     –   Agachados: Jorginho, Benetti,  Venâncio, Adilson e Gilson Nunes
Em pé: Andrada, Joel Santana, Rossi, Alcir, Batista e Fidélis   –    Agachados: Jailson, Buglê, Tião, Silva e Kosilek
Em pé: Joel Santana, Renê, Benetti, Élcio, Eberval e Fidélis   –    Agachados: Luis Carlos, Silva, Ademir, Dé e Gilson Nunes
Joel Santana marcando Pelé
Postado em J

Deixe uma resposta