SANTOS 4×3 GRÊMIO – Dia 19 de Janeiro de 1964

                   E não é que Pelé já foi até goleiro? Em 19 de janeiro de 1964, Santos e Grêmio se enfrentavam no Estádio do Pacaembu em semifinal da Taça Brasil. Gilmar, goleiro do Santos, foi expulso aos 42 minutos do segundo tempo, quando o peixe vencia o Grêmio por 4 x 3.

                   Pelé, que já tinha marcado 3 gols na partida, assumiu o papel de goleiro e fez duas defesas decisivas para a manutenção do placar e a classificação para a final. Até no improviso, ele provou ser o rei do futebol. Ao todo Pelé jogou 54 minutos como goleiro e não tomou nenhum gol. Quem lembra do jogo é o segundo maior goleador da história do clube paulista, o ex-ponteiro-esquerdo Pepe, que estava em campo naquela tarde de verão no Estádio do Pacaembu.

                   Pepe fez o primeiro gol. Pelé marcou os outros três. O Grêmio tinha um grande time, deu um trabalho danado. O Pelé vestiu uma camiseta preta de mangas compridas, lembro até agora. Era do Gilmar. Fez grandes defesas, duas ótimas, pelo menos, garantiu o placar. Era proibido fazer substituições na época. Você sabia?

                   Mesmo jogando no gol, Pelé era muito bom. Elástico, voava muito. Tinha uma agilidade impressionante. Nos dois toques, nas brincadeiras, em alguns treinos, ele sempre atuava como goleiro. Gostava. Na época, na cidade de Bauru, o Noroeste jogava com um goleiro negro, alto, forte, chamado Julião. Então, eu, o Coutinho e o Dorval, de bricandeira, apelidamos o Pelé de Julião nos treinamentos do Santos. Pelé não dizia nada. Entrava na gozação.

                    O apelido pegou no vestiário, especialmente entre os mais próximos. Eu, por exemplo, não o chamo de Pelé, Edson, Dico, seu apelido de infância, ou de Negão. Eu o chamo sempre de Julio (risos). E aí, Júlio, tudo bem Julio (risos). O Apelido pegou. O Pelé ri da história até hoje.

                    Para esta partida diante do Grêmio, o técnico Lula mandou a campo os seguintes jogadores; Gilmar, Dalmo, João Carlos, Haroldo e Geraldino; Zito e Lima; Batista, Coutinho, Pelé e Pepe. Do outro lado o técnico do Grêmio, Carlos Froner, escalou a seguinte equipe; Alberto, Valério, Airton, Ortunho e Aureo; Cleo e Joãozinho; Marino, Paulo Lumumba, Milton e Vieira.

                     O Santos venceu por 4 a 3, gols de Pepe, Pelé (3) para o Peixe, enquanto que Paulo Lumumba (2) e Marino marcaram para o Grêmio. Vale lembrar que os três gols marcados por Pelé, todos foram de pênaltis, sendo que no primeiro gol, o árbitro Teodoro Nitti mandou voltar a cobrança, pois Zito havia invadido a área. Mas na segunda cobrança Pelé confirmou o gol.

                    Foi um jogo muito difícil para o Santos, pois estava perdendo por 3×1, até que Pelé resolveu jogar e deu no que deu. Com esta vitória o Santos classificou-se para a final da V Taça Brasil, ainda do ano de 1963. O Santos jogava pelo empate pois já havia vencido a primeira partida lá no Rio Grande do Sul por 3 a 1 e com esta vitória confirmou sua participação na final diante do Bahia.

Em pé: Ismael, Zito, Haroldo, Modesto, Mauro e Gilmar    –  Agachados: Peixinho, Lima, Toninho Guerreiro, Pelé e Noriva
GRÊMIO DE FUTEBOL PORTOALEGRENSE DE 1964

Deixe uma resposta