RILDO: brilhou no Botafogo carioca e no Santos FC

                Rildo da Costa Menezes nasceu dia 22 de janeiro de 1942, na cidade de Recife – PE. Foi um jogador privilegiado dentro do futebol, pois teve a honra de jogar ao lado de Garrincha no Botafogo carioca e de Pelé no Santos. Tudo isto sem falarmos que vestiu a camisa da nossa seleção brasileira e disputou uma Copa do Mundo. Foi um dos melhores laterais-esquerdo da história do nosso futebol. Não era de apoiar muito, pois em sua época o sistema de jogo era bem diferente do atual, mesmo assim marcou 10 gols com a camisa do Peixe. Já no final de carreira ainda jogou no New York Cosmos, dos Estados Unidos no final dos anos 70. E chegou por lá com a maior moral, pois foi levado por nada mais nada menos que Pelé. E por lá ficou bicampeão americano ao lado do Rei, de Beckenbauer, Carlos Alberto Torres e outras feras. Depois foi jogar no Los Angeles Soccer Club, onde encerrou a carreira. Depois que encerrou a carreira passou a morar na costa oeste dos Estados Unidos, onde passou a trabalhar como professor de futebol, tanto para homens quanto para mulheres.

INÍCIO DE CARREIRA

               Quem vê o currículo de Rildo ao lado de Garrincha, de Pelé e jogando pela Seleção Brasileira, jamais imagina onde ele começou jogando futebol. Foi em 1959 no Ibis Sport Clube, da cidade de Recife, sua terra natal. Para quem não sabe, o Ibis é considerado o “pior time do mundo”. A fama veio com uma brincadeira de uma torcida adversária, mas pegou de fato na década de 80, quando atingiu a marca de 55 partidas sem vencer um jogo sequer, sendo 7 empates e 48 derrotas. O time marcou 25 gols e sofreu 231. Foram três anos e onze meses sem conquistar uma vitória. E foi por causa do Íbis que veio a inspiração dos produtores do programa “Casseta & Planeta” da Rede Globo, de criarem o “Tabajara Futebol Clube”. Jogadores famosos como o meia-direita Bodinho, do Inter de Porto Alegre, o lateral-esquerdo Rildo, que jogou no Botafogo ao lado de Garrincha e no Santos ao lado de Pelé, além do atacante Vavá, que jogou no Palmeiras, todos eles defenderam o Ibis e foram campeões estaduais em várias oportunidades e até campeão mundial, como foi o caso de Vavá nas Copas de 58 e 62.

SPORT RECIFE

               Depois de fazer excelentes apresentações pelo Ibis, o Sport começou a namorá-lo e depois de algum tempo acabou trazendo o jovem lateral para a Ilha do Retiro. Era o ano de 1959. Dois anos atrás, aconteceu algo que até hoje é assunto nas rodas esportivas do clube pernambucano; O Sport procurava reforços para seu elenco, principalmente jogadores do estado de São Paulo. Os diretores da equipe pernambucana fizeram uma solicitação junto ao presidente do Santos, Sr. Modesto Roma, para que ele cedesse o zagueiro Olavo, porem, o mesmo descartou o pedido e ofereceu “o garoto Pelé, de muito futuro”. As negociações começaram, mas no dia 5 de novembro de 1957, o ex-Diretor de Futebol do Sport, Sr. José Rozenblit, recusou a proposta de empréstimo de quatro meses, alegando que Pelé tinha apenas 17 anos e era desconhecido. Até hoje, é guardado um telegrama no museu do clube pernambucano, comprovando a oferta do Santos, onde o Rei do Futebol, não soube na época da negociação. Rildo ficou somente um ano no Sport e depois foi jogar no Botafogo Carioca.

BOTAFOGO

Rildo jogava no juvenil do Sport de Recife. O time do Botafogo foi jogar lá, o técnico era João Saldanha e Rildo jogou na preliminar. Um mês depois, o Sr. Cier Barbosa foi até sua casa dizendo que o João Saldanha tinha gostado dele. Na época Rildo tinha 17 anos e foi levado para fazer teste no juvenil do Botafogo, isto foi em dezembro de 1959. Passou no teste e no ano seguinte já era titular absoluto da equipe da Estrela Solitária. Inicialmente ficou na reserva de Nilton Santos. Depois, porém, o Enciclopédia do Futebol foi jogar na quarta zaga, criando as condições para que Rildo se consagrasse no time de General Severiano.

               Os dois anos seguintes, foram de absoluto sucesso, tanto para o Botafogo, quanto para a carreira de Rildo, ou seja, o alvinegro sagrou-se bicampeão carioca. Em 1961, a final foi contra o Fluminense, que tinha um grande time. O jogo foi no dia 14 de dezembro, no estádio do Maracanã. O Botafogo venceu a partida por 1 a 0, gol de Garrincha aos 6 minutos do primeiro tempo. Em 1962, Santos e Botafogo eram as forças máximas do futebol brasileiro, pois possuíam os melhores elencos. De um lado tínhamos Pelé, Gilmar, Zito, Coutinho, Pepe e do outro tínhamos, Garrincha, Zagallo, Quarentinha, Amarildo, Manga, Nilton Santos, Rildo, verdadeiros monstros sagrados do nosso futebol.

              Quem teve o privilégio de vê-los jogar, pode dizer que viu o melhor futebol do mundo. E no campeonato carioca de 1962, Botafogo disputou mais uma vez o título, assim como fez no ano anterior. Desta vez era o Flamengo seu adversário e o rubro-negro jogava pelo empate. O jogo foi no dia 15 de dezembro e o palco foi mais uma vez o Maracanã, que neste dia recebeu um público de 158.994 pessoas, sendo 147.043 pagantes. O árbitro foi Armando Marques, que expulsou Paulistinha do Botafogo e Dida do Flamengo. Para esse jogo o técnico do Botafogo Marinho Rodrigues mandou a campo; Manga, Paulistinha, Jadir, Nilton Santos e Rildo; Ayrton e Edison; Garrincha, Quarentinha, Amarildo e Zagallo.

             Já o técnico Flavio Costa do Flamengo, o mesmo que comandou nossa seleção na Copa de 1950 disputada aqui no Brasil, mandou a campo a seguinte equipe; Fernando, Joubert, Vanderlei, Décio Crespo e Jordan; Carlinhos e Nelsinho; Espanhol, Henrique, Dida e Gérson. Neste jogo Garrincha estava demais. Logo aos 9 minutos ele abriu o placar. Aos 35 ainda do primeiro tempo, Vanderlei marcou contra. Final do primeiro tempo, Botafogo 2×0 Flamengo. No segundo tempo o Fogão só administrou e aos 47 minutos, Garrincha marcou o terceiro gol, o gol que deu o bicampeonato carioca ao Botafogo do Rio de Janeiro.

               Rildo conquistou ainda pelo Botafogo o titulo do Torneio Rio-São Paulo de 1962, 64 e 66, sendo que este título de 1966 foi dividido com Vasco, Santos e Corinthians, que se classificaram para um quadrangular, no entanto, por falta de datas, pois estávamos na véspera das preparações da Copa do Mundo daquele ano, disputada na Inglaterra. Com a camisa do Botafogo, Rildo disputou 298 jogos e marcou somente 3 gols.

SANTOS F.C.

               No ano seguinte Rildo foi jogar no Santos ao lado de Pelé e Cia. E já naquele ano de 1967, sagrou-se Campeão Paulista, um título que por muito pouco não foi parar no Morumbi. O São Paulo iria enfim sair do jejum de títulos de 10 anos, caso vencesse o Corinthians na última rodada. Neste jogo o Tricolor vencia por 1×0  até os 44 minutos do segundo tempo, quando Benê empatou para o Corinthians, e com a vitória do Alvinegro da Vila Belmiro sobre a Portuguesa Santista por 3 a 0, houve empate em pontos entre ambos, e marcação de jogo desempate. O São Paulo chegou até a abrir 1×0, gol de Babá, mas o time de Toninho Guerreiro, Edu, Gilmar, Carlos Alberto, Clodoaldo e Pelé virou pra 2×1, gols de Toninho Guerreiro e Pelé, sagrando-se campeão paulista e impondo mais um ano na mais longa fila de títulos já vivida pelo Tricolor Paulista. Rildo conquistou ainda pelo Santos os titulos paulista de 1968 e 1969, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968 e a Recopa Sul-Americana de 1968 e muitos torneios que o Santos disputou pelo mundo.  Rildo jogou no Santos até 1972 e nesse período disputou 325 partidas e marcou 10 gols. Depois foi jogar no CEUB de Brasília, onde sagrou-se campeão estadual em 1973.

SELEÇÃO BRASILEIRA

               Em 1966 Rildo foi convocado pelo técnico Vicente Feola para disputar a Copa da Inglaterra. O despreparo da seleção brasileira foi o grande responsável pela eliminação precoce. A inédita eliminação da equipe campeã logo na primeira fase foi inevitável. Com uma equipe envelhecida, a Seleção Brasileira, atual bicampeã, acabou eliminada ainda na primeira fase, com derrotas para Hungria e Portugal, ambas por 3 a 1 e uma única vitória, contra a Bulgária, por 2 a 0, gols de Pelé e Garrincha. Essa foi a última partida oficial em que os dois jogadores atuaram juntos. Na partida contra Portugal no dia 17 de julho o Brasil jogou com; Manga, Fidelis, Brito, Orlando e Rildo; Denilson e Lima; Jairzinho, Silva, Pelé e Paraná. Portugal venceu por 3 a 1, gols de Eusébio (2) e Simões, enquanto que Rildo marcou o único gol brasileiro. A campanha da Seleção Brasileira foi muito fraca, ficando em 11º lugar. Jogou 3 partidas, venceu uma e perdeu as outras duas. Marcou 4 gols e sofreu 6. Os artilheiros brasileiros nesta Copa foram: Rildo, Pelé, Tostão e Garrincha com 1 gol cada. Pela Seleção Brasileira Rildo disputou 39 partidas. É casado desde 1968 e tem duas filhas e duas netas, Samantha e Monique. As duas netas e uma das filhas (ambas casadas com americanos) nasceram nos EUA.

ESTADOS UNIDOS

                Em 1974 foi convidado por Pelé para jogar no New York Cosmos e foi bicampeão americano ao lado do Rei, Beckenbauer, Carlos Alberto Torres e outros craques. Rildo da Costa Menezes, lateral-esquerdo recifense do Botafogo e do Santos durante os anos 60 e 70. Muito querido lá nos EUA, depois que encerrou a carreira foi convidado a fazer o que faz até hoje em colégios e universidades de Los Angeles e da Califórnia: é professor de futebol para homens e mulheres.

Em pé: Djalma Santos, Bellini, Gilmar, Orlando, Dudu e Rildo     –    Agachados: Jairzinho, Gerson, Flávio, Pelé e Paraná
Em pé: Djalma Santos, Zéquinha, Dias, Rildo, Eduardo e Gilmar     –    Agachados: Marcos, Gerson, Quarentinha, Amarildo e Zagallo
Em pé: Lima, Zito, Dias, Rildo, Eduardo e Gilmar     –    Agachados: Dorval, Mengalvio, Coutinho, Pelé e Pépe

Em pé: Carlos Alberto, Ângelo, Ramos Delgado, Leo, Joel e Rildo      –    Agachados: Manoel Maria, Negreiros, Pelé, Coutinho e Edu
Em pé: Lima, Ramos Delgado, Joel, Cláudio, Clodoaldo e Rildo    –    Agachados: Edu, Negreiros, Douglas, Pelé e Abel
Em pé: Orlando, Manga, Brito, Denilson, Rildo e Fidélis     –    Agachados: Jairzinho, Lima, Silva, Pelé e Paraná
Postado em R

Deixe uma resposta