LIBERTADORES DA AMÉRICA: mais de meio século de rivalidade

Dia 4 de julho de 2012 o torcedor corintiano pode finalmente soltar o grito de Campeão da Libertadores. Agora ele se juntou a Flamengo, Vasco da Gama e Palmeiras com um título. Pela oitava vez a final foi no Brasil, sendo que somente no estádio do Pacaembu foram seis vezes, mas os brasileiros puderam comemorar somente duas vezes, no ano passado com Santos e agora com o Corinthians. Pela primeira vez o Boca Juniors não conquistou o título em cima dos brasileiros jogando aqui no Brasil.

                  Ao todo foram 13 decisões entre brasileiros e argentinos, sendo que os argentinos venceram 9 e os brasileiros 4. A Libertadores deste ano teve início dia 24 de janeiro com a vitória do Nacional do Equador sobre o Libertad do Paraguai por 1 a 0. De 1960 quando teve início esta competição, até os dias de hoje, tivemos 53 edições, sendo que o Brasil conquistou 16 delas. E esta de 2012 foi de forma especial, pois o Corinthians sagrou-se campeão invicto, disputou 14 jogos, venceu 8 e empatou 6.

HISTÓRIA

                 Em 1948 o Torneio sul-americano de clubes, foi promovido pela equipe do Colo-Colo do Chile, em uma única edição e, posteriormente reconhecida oficialmente pela Conmebol como competição continental. No Congresso da Conmebol de 1958 no Rio de Janeiro, começou-se a trabalhar no projeto de um torneio entre os campeões sul-americanos, similar ao que desde 1955 se disputava na Europa. Inclusive a própria UEFA apoiou a instauração de uma competição entre clubes na América do Sul, com a intenção de enfrentar anualmente aos vencedores de ambas confederações (a Copa Intercontinental).

                 Finalmente o projeto da Copa Libertadores foi apresentado à Conmebol, sendo aprovado no Congresso. A moção recebeu o apoio da ampla maioria, com o voto contrário do Uruguai, e foi aprovada. Essa foi a última obra de governo do brasileiro José Ramos de Freitas como presidente da Conmebol, que após esse ato cedeu seu cargo ao novo presidente eleito, o uruguaio Fermín Sorhueta.

               Em 5 de março de 1959, acontece em Buenos Aires, sede da 26ª Copa América, o 30º Congresso Ordinário da Conmebol. Reunidos no salão principal da Asociación del Fútbol Argentino (AFA), os dirigentes sul-americanos deram sinal positivo ao projeto de um “Campeonato de Campeões”, apresentado por Chile e Brasil. Foi o ponto de partida para o nascimento da Copa Libertadores da América.

               No ano seguinte, em 1960, foi disputada a primeira edição, na qual se consagrou campeão o Club Atlético Peñarol, do Uruguai. O Brasil fora representado pelo Esporte Clube Bahia, campeão da Taça Brasil de 1959, torneio que credenciava tal vaga no país. A Copa Libertadores da América ou Taça Libertadores da América, cujo nome oficial atual é Copa Santander Libertadores por motivos de patrocínio, é a principal competição de futebol entre clubes profissionais da América do Sul, organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).

               Desde 1998, quando começou a ser patrocinada pela montadora japonesa Toyota, foi aceito também a participação de clubes do México. A partir de 2008, o patrocinador oficial da competição passou a ser o banco espanhol.

               Com o início dado em Buenos Aires, ainda restavam definir inúmeras questões de organização, redigir um regulamento e nomear o torneio. Após outras várias reuniões se decidiu que participariam os campeões de cada país e que, diante da negativa do campeão em participar, o vice-campeão o substituiria. Também decidiram realizar a primeira edição somente se quatro equipes confirmassem sua participação. E finalmente resolveu-se dar à competição o nome de “Libertadores da América”, em homenagem aos heróis independentistas da América do Sul.

                Em 19 de abril de 1960 jogou-se a primeira partida da história: Peñarol 7 a 1 contra o Jorge Wilstermann. Posteriormente, em 1964, a iniciativa do diretor do Peñarol, Washington Cataldi, se aprovou que participassem da Copa os vice-campeões de cada país, com o qual o número se elevou para 20 competidores. Da primeira edição em 1960 até 2004, o campeão da Libertadores enfrentava o campeão da Liga dos Campeões da Europa em uma ou duas partidas, no que se chamava de Mundial Interclubes, Copa Intercontinental ou ainda Copa Europeia/Sul-Americana. Somente a partir de 2005, o campeão da Libertadores passou a disputar a Copa do Mundo de Clubes da FIFA, competição criada em 2000 e que reúne os campeões de todos os continentes.

REGULAMENTO

                 A forma de classificação para a competição é geralmente baseada nos resultados dos campeonatos nacionais dos países do continente, assim como a Liga dos Campeões da UEFA, na Europa. Mas há confederações que se utilizam de torneios próprios, independentes dos campeonatos nacionais propriamente ditos, para definir pelo menos algumas vagas como a Copa do Brasil, no Brasil, desde 1989, a Pré-Libertadores, no Uruguai, entre 1974 e 2009, e a InterLiga no México entre 2004 e 2010.

                 A Libertadores tem uma primeira fase na qual um número de clubes, atualmente 12, são emparelhados em uma série de “mata-matas”. Os seis sobreviventes juntam-se aos clubes restantes na segunda fase, na qual são divididos em grupos de quatro. Os times dos grupos da segunda fase jogam entre si em turno e returno. Os dois melhores de cada grupo classificam-se para a fase eliminatória, na qual o time com a melhor campanha enfrenta o pior segundo colocado, o 2º melhor joga contra o penúltimo dos segundos colocados, e assim por diante.

                  A disputa acontece então em um novo sistema “mata-mata”, assim como as quartas-de-final, semifinais e a final. Entre 1960 e 1987 os campeões da edição anterior não entravam na competição até a fase semifinal, tornando muito mais fácil a retenção do título. A partir de 1988 o campeão da edição anterior passou a entrar na terceira fase. Apenas a partir da edição de 2000, o campeão do ano anterior passou a disputar desde a fase de grupos, precisando obter vaga para a fase eliminatória, como os demais participantes.

               Em seus primeiros anos, apenas os campeões nacionais das principais nações participavam, mas os vice-campeões foram permitidos na década de 1970. A competição acabou aumentada para 21, 32, 36 e agora conta com 38 clubes. A partir de 2010 o campeão da Copa Sul-Americana passou a ter uma vaga na Libertadores do ano seguinte, ocupando uma das vagas previamente estabelecidas para cada confederação (5 para Brasil e Argentina e 3 para as demais confederações). Desde 1998 equipes do México participam da Taça Libertadores.

                Aqui no Brasil o regulamento para participar da Taça Libertadores da América é a seguinte: Participam os 4 primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, assim como o campeão da Copa do Brasil. Se a Copa Sul-Americana tiver um clube brasileiro como campeão, ele será o 6º clube a participar da Libertadores da América.

OS CAMPEÕES

              Depois desta conquista do Corinthians em 2012, 23 equipes diferentes já conquistaram a taça. O clube mais bem sucedido no torneio é o Independiente da Argentina com 7 títulos. Depois vem Boca Juniors da Argentina com 6 títulos, Peñarol do Uruguai com 5, Estudiantes da Argentina com 4. Olímpia do Paraguai, Nacional do Uruguai e os brasileiros Santos e São Paulo com 3. River Plate da Argentina e os brasileiros  Inter de Porto Alegre, Cruzeiro e Grêmio com 2.

              Atlético Nacional da Colombia, Colo Colo do Chile, Argentinos Juniors da Argentina, LDU do Equador, Once Caldas da Colombia, Racing da Argentina, Velez Sarsfield da Argentina e os brasileiros, Vasco da Gama, Palmeiras, Flamengo e Corinthians com 1 título. As conquistas dos clubes brasileiros aconteceram nos seguintes anos: Santos (1962, 63 e 2011)  –  São Paulo (1992, 93 e 2005)  –  Internacional (2006 e 2010)  –  Cruzeiro (1976 e 1997)  – Grêmio (1983 e 1994)  –  Vasco (1998)  –  Palmeiras (1999)  –  Flamengo (1981)  –  Corinthians (2012).

ARTILHEIROS

               O principal artilheiro em Libertadores da América é Alberto Spencer do Equador com 54 gols, sendo 48 pelo Peñarol e 6 pelo Barcelona. Temos ainda Pedro Rocha com 36 gols, sendo 25 pelo Peñarol, 10 pelo São Paulo e 1 pelo Palmeiras. O centroavante Luizão marcou 29 gols, sendo 15 pelo Corinthians, 8 pelo Vasco da Gama, 5 pelo São Paulo e 1 pelo Grêmio. Palhinha marcou 25 gols, sendo 20 pelo Cruzeiro, 3 pelo Corinthians e 2 pelo Atlético Mineiro. Ao longo dos anos, a concorrência tem mantido viva uma rivalidade entre os países concorrentes, especialmente entre Brasil e Argentina. Episódios de violência não são raros mas a pressão para os jogadores em campo é enorme.

DIREITO DE TRANSMISSÃO

               A Fox Sports, de propriedade do grupo norte-americano News Corporation, com sede na Argentina, é a principal detentora dos direitos de transmissão na América Latina e, ao mesmo tempo, a co-organizadora do torneio desde 1998 junto a uma empresa multinacional (desde 2008 o Grupo Santander), oferecendo prêmios em dinheiro aos clubes que passam em cada fase.  No Brasil a Rede Globo detém os direitos de TV aberta para o país até a edição de 2018. A emissora irá transmitir até duas partidas envolvendo clubes brasileiros por semana, além da final.

               A novidade fica por conta dos direitos de TV por assinatura. Nas últimas sete edições, foi transmitido pelo SporTV (canal de esportes da Rede Globo), alem da participação do BandSports na última edição. Mas a News Corporation anunciou a chegada da Fox Sports ao país após quinze anos de fundação, com início em fevereiro, coincidindo com o início da segunda fase, conseguindo de imediato, os direitos de transmissão exclusiva na TV por assinatura.

CAMPEÃO DA TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA – 2012   –  Em pé: Leandro Castan, Júlio César, Alessandro, Paulo André, Ralf e Fábio Santos    –   Agachados: Paulinho, William, Alex, Liedson e Emerson Sheik
CAMPEÃO DA TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA – 1963    –   Em pé: Lima, Zito, Dalmo, Calvet, Gilmar e Mauro Ramos de Oliveira    –   Agachados: Dorval, Mengalvio, Coutinho, Pelé e Pepe
Em pé: Ivan, Adilson, Zetti, Cafu, Ronaldão e Antônio Carlos    –   Agachados: Muller, Palhinha, Pintado, Raí e Elivelton
CAMPEÃO DA TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA – 1999    –  Em pé: Marcos, Sérgio, Arce, César Sampaio, Agnaldo, Junior Baiano, Cleber, Roque Junior e Galeano     –   Agachados: Evair, Rubens Junior, Rogério, Euller, Oseas, Junior, Alex, Zinho, Jackson e Paulo Nunes
Em pé: Leandro, Raul, Mozer, Figueiredo, Andrade e Junior    –   Agachados: Lico, Adílio, Nunes, Zico e Tita
CAMPEÃO DA TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA – 1983   –  Em pé: Paulo Roberto, Mazaropi, Baidek, China, Paulo César e De Leon    –   Agachados: Renato Gaúcho, Osvaldo, Tarciso, Paulo César Caju e Mário Sérgio
Postado em L

Deixe uma resposta