ANDRADE: cinco vezes campeão brasileiro

               Jorge Luis Andrade da Silva nasceu dia 21 de abril de 1957, na cidade de Juiz de Fora (MG). Apesar de atuar como volante, era um jogador de muita técnica, dotado de excelente visão de jogo e capaz de realizar lançamentos de longa distância com extrema perfeição. Foi um jogador de futebol do Flamengo da geração mais vitoriosa do clube. Muito talentoso, Andrade formou ao lado de nomes como Adílio e Zico um meio-de-campo que resiste ao tempo, e se mantém vivo na mente da torcida rubro-negra. Atualmente pertence à comissão técnica do Flamengo e comanda a equipe principal como técnico. Ainda hoje o torcedor do Flamengo lembra de Andrade como jogador e tem por ele enorme carinho, pois deu ao clube inúmeros títulos nacionais e internacionais, inclusive uma Libertadores da América e um Mundial Interclubes.

FLAMENGO

               Andrade foi revelação das categorias de base do Flamengo. Começou sua carreira profissional em 1974 e, após passar duas temporadas emprestado ao clube venezuelano ULA Mérida, retornou à Gávea em 1978 e, com seu estilo clássico, do nível dos melhores volantes da história do futebol brasileiro, fez com que o garoto rapidamente conquistasse a vaga de titular absoluto. Vestindo a camisa rubro-negra, sagrou-se campeão carioca em 1979, 81 e 86, campeão da Taça Guanabara em 1979, 80, 81, 82, 84 e 88, campeão da Taça Rio em 1983, 85 e 86, campeão do Troféu Ramon de Carranza em 1979 e 80, também campeão brasileiro em 1980, 82, 83 e 87. 

               Mas de todos estes títulos o que Andrade e a torcida do Flamengo jamais esquecerão serão aqueles títulos conquistados em 1981 e, tudo isso num espaço de dois meses. De novembro até o fim do ano, o time foi campeão estadual, da Taça Libertadores da América e do Mundial Interclubes, tornando-se o segundo time da história do futebol brasileiro a conquistar a glória de ser o melhor do planeta. De quebra, ainda devolveu uma goleada de 6 a 0 sofrida para o rival Botafogo em 1972 e que ficou por quase dez anos entalada na garganta dos torcedores rubro-negros.

               Participando pela primeira vez da disputa da Taça Libertadores, o Flamengo voltou todas as suas forças para essa competição. Mostrou ser bom de bola e valente sem ela também, pois possuía craques de altíssimo nível, como Andrade, Zico, Adílio, Rondinelli, Junior e tantos outros.

              A conquista da Libertadores foi em cima do Cobreloa do Chile, quando o Mengão venceu por 2 a 0 no terceiro jogo. Os dois gols do Mengo foram marcados por Zico. Mas a emoção maior na vida de Andrade, ainda estava para acontecer. Era o dia 13 de dezembro de 1981, quando o Flamengo entrou em campo para o jogo mais importante da sua história. E lá estavam; Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Junior; Andrade, Adílio e Zico; Titã, Nunes e Lico, encarregados de levar o clube rubro-negro à conquista do título mundial interclubes contra o Liverpool, poderoso time inglês. 

              O jogo que parecia ser tão difícil, com o passar do tempo foi ficando cada vez mais fácil. Logo aos 13 minutos de jogo, Nunes marcou o primeiro gol.  Aos 34, Adílio ampliou o placar e ainda no primeiro tempo, aos 41 minutos, Zico marcou o terceiro gol. Com este placar, o time carioca voltou para a segunda etapa só administrando o jogo e levando em banho-maria. O time inglês até que tentou, mas acabou reconhecendo a superioridade brasileira e o jogo acabou com a vitória do Flamengo por 3 a 0 e mais um título para o clube carioca e na carreira do craque Andrade, que atuou no Flamengo entre 1974 e 1988, quando teve a oportunidade de vestir a camisa rubro-negra 569 vezes e, nesse período vivenciou a fase mais gloriosa do clube carioca. Como prêmio disputou as Olimpíadas de Seul em 1988, de onde trouxe uma medalha de prata.

FINAL DE CARREIRA

               Em 1988, após dez anos seguidos no Flamengo, transferiu-se para a Itália, aonde foi jogar pela Roma. Contudo, Andrade não ficou muito tempo por lá e, já em 1989, retornava ao futebol carioca, desta vez, contudo, vestindo a camisa do Vasco da Gama. Naquele mesmo ano, o Vasco acabou sagrando-se campeão brasileiro e, desta forma, Andrade conquistava o seu quinto Campeonato Brasileiro, haja visto que já possuía outros quatro títulos pelo Flamengo.

               Mas esta grande conquista que parecia já ir caindo por terra, pois ninguém mais acreditava que o Vasco poderia reagir, no entanto, foram nas partidas mais difíceis que o time começou a grande reação. Venceu o Corinthians em São Paulo e o Internacional em Porto Alegre. Com a virada, foi à final com um ponto de vantagem sobre o São Paulo, o que lhe bastava uma vitória para sagrar-se Campeão. O técnico Nelsinho reuniu o elenco e todos concordaram em jogar a primeira fora de casa. Caso perdessem, fariam a final no Maracanã.

               No jogo do Morumbi o Vasco usou a estratégia de deixar o São Paulo vir para cima e explorar os contra-ataques em alta velocidade. Aos cinco minutos da etapa final, após cruzamento de Luiz Carlos Winck,  Sorato cabeceou com violência no canto direito do goleiro Gilmar, marcando o gol do título. Nos últimos anos de sua carreira, Andrade atuou por clubes pequenos, como o Internacional de Lages, Santa Catarina, a Desportiva Capixaba, onde sagrou-se campeão estadual em 1992, Operário do Mato Grosso, onde conquistou o título estadual de 1994 e o desconhecido Bacabal do Maranhão.

TÉCNICO DE FUTEBOL

               Depois que encerrou a brilhante carreira de jogador de futebol, Andrade se integrou novamente ao clube do seu coração, o Flamengo. Foi ali que o ex-jogador se revelou também exímio observador, sendo mais tarde, testado no cargo de treinador. A primeira vez em que Andrade assumiu a equipe principal do Flamengo, data da demissão de Abel Braga no ano de 2004. Naquela ocasião Andrade comandou o clube interinamente em três jogos, até a chegada de Paulo César Gusmão. Treze dias e três derrotas depois, PC foi preterido da função e lá estava novamente Andrade á frente do time rubro-negro, desta vez por mais dois jogos, até a chegada de Ricardo Gomes.

                O fato é que o clube não tinha grandes pretensões e era tecnicamente fraco, de forma que, Ricardo também não suportou a pressão e abandonou o cargo, dando lugar novamente a Andrade. Era aquela a oportunidade que o ex-jogador tinha para demonstrar sua destreza á frente do Flamengo, já que a diretoria enfim o confiara o cargo de treinador interino até o fim da temporada, e ainda mais, uma árdua missão de livrar a equipe do rebaixamento que assombrava a Gávea em 2004.

              Naquele ano Andrade conseguiu uma arrancada e dessa maneira livrou o Flamengo da degola, no entanto, a diretoria preferiu tentar mais uma vez que outro treinador assumisse a equipe ao invés do próprio ex-jogador. Não demorou a que o então novo técnico Júlio César Leal pedisse as contas e que Andrade mais uma vez assumisse o Flamengo em outra partida, ao menos, até a efetivação de Cuca que na época chegaria para a sua primeira passagem na Gávea. Naquela época conturbada em que o clube vivia, Cuca logo se desentendeu com membros da diretoria e se desligou do Mengão, para que mais uma vez Andrade comandasse a equipe em duas partidas, até a chegada do novo técnico – Celso Roth desta vez.

                A estadia de Roth no Flamengo durou pouco mais de três meses. Com sua demissão, Andrade conseguiu a sua maior continuidade no cargo de treinador. Desta vez foram doze jogos á beira do gramado comandando a equipe principal, no entanto, os maus resultados e principalmente a péssima situação em que o clube se encontrava no Campeonato Brasileiro fizeram com que Andrade novamente voltasse ao cargo de auxiliar técnico. Desde aquele ano Andrade tem se mantido no Flamengo. Homem de confiança de Joel Santana, seu bom senso e poder de observação fizeram com que a história se repetisse com Caio Júnior e Cuca.

                Na saída do último, que aconteceu em meados de 2009, Andrade mais uma vez assumiu o time profissional do Flamengo interinamente, àquela altura, porém, o próprio ex-jogador declarou a um site especializado que não tinha expectativas de ser efetivado. Apesar disso, as vitórias conquistadas pelo time, que voltou a se mostrar aguerrido, fizeram com que Andrade fosse se mantendo no cargo até os dias de hoje. O time ainda sonha com o título, mas se conseguir chegar ao G4 e assim, levar o Flamengo à disputa da Taça Libertadores, Andrade ficará muito feliz, pois nunca chegou tão longe como treinador.

              Andrade e Zinho são os jogadores que mais vezes conquistaram o Campeonato Brasileiro. Cada um dos dois teve a oportunidade de levantar o troféu de campeão nacional por cinco vezes. Por isso, o torcedor do Flamengo reverencia este jogador que já demonstrou inúmeras vezes o seu amor pelo clube. E é por isso também, que a nossa coluna de hoje presta esta humilde homenagem à este craque do passado que escreveu seu nome com letras douradas na história do futebol brasileiro.

1980   –   Em pé: Andrade, Marinho, Raul, Rondinelli, Carlos Alberto e Júnior   –    Agachados: Tita, Adílio, Nunes, Zico e Júlio César 
Em pé: Leandro, Zé Carlos, Andrade, Edinho, Leonardo e Jorginho   –    Agachados: Bebeto, Ailton, Renato Gaúcho, Zico e Zinho
Em pé: Cantarelli, Rondinelli, Toninho Baiano, Andrade, Manguito e Junior   –    Agachados: Tita, Zico, Pelé, Júlio César e Paulo César Carpegiani
Em pé: Raul Plassmann, Marinho, Rondinelli, Andrade, Júnior e Carlos Alberto   –    Agachados: Chiquinho, Adilio, Nunes, Zico e Baroninho
Em pé: Cantarelli, Leandro, Mozer, Jorginho, Andrade e Adalberto    –    Agachados: Bebeto, Adilio, Chiquinho, Gilmar e Marquinho
Postado em A

Deixe uma resposta