SANTOS FUTEBOL CLUBE – fundado em 14 de abril de 1912

SANTOS FUTEBOL CLUBE

                        O Santos F.C. foi fundado dia 14 de abril de 1912, e é  um dos clubes mais respeitados de todo planeta, um clube que já viajou o mundo, sempre exibindo o nosso futebol arte, um futebol que encantou a todos, principalmente aqueles que são apaixonados por este esporte que arrasta multidões aos estádios. Em 1912, Santos já era a principal cidade exportadora de café do mundo. No entanto, na parte esportiva só se praticavam esportes aquáticos, remo principalmente. Pouco se falava em futebol. Foi nessa época que três brasileiros se apaixonaram pelo esporte. São eles; Mário Ferraz de Campos, Argemiro de Souza  Junior  e  Raymundo  Marques,  que  decidiram  no mesmo  ano,  que a cidade já estava precisando de um clube de futebol. A partir dessa decisão, os três tiveram uma ideia: no começo do mês de abril de 1912, distribuíram panfletos pela cidade, convocando os santistas interessados em fundar um clube de futebol a comparecerem à uma reunião no dia 14 de abril de 1912, no antigo Clube Concórdia. Durante a reunião, surgiu a dúvida quanto ao nome que seria dado a essa agremiação. Várias sugestões apareceram: África Futebol Clube, Associação Esportiva Brasil, Concórdia Futebol Clube (uma forma de homenagear a entidade que possibilitou aquele encontro histórico). Mas os participantes da reunião aclamaram, por unanimidade, a proposta de Edmundo Jorge de Araújo, que propôs a denominação de Santos Futebol Clube. Assim, às 22:33 horas do dia 14 abril de 1912, nascia o clube que colocaria a cidade e o Brasil sob os olhares atentos do resto do mundo.

Durante a reunião, foi eleito seu primeiro presidente, Sizino Patusca. No dia seguinte, 15 de abril de 1912, o jornal “A Tribuna” noticiava a fundação da nova agremiação e fazia uma previsão que acabou se concretizando. A nota dizia: “Santos Football Club – Com o nome supra, acaba de ser fundado nesta cidade um clube de football destinado, por certo, a uma vida longa e plena de vitórias, para o que conta com os melhores elementos desta terra”. Certamente, a grande maioria dos torcedores santistas não imagina que, nos seus primeiros meses, o clube era tricolor, tendo como cores oficiais, o branco, o azul e o dourado, tentando assim mais uma vez homenagear o Concórdia. Na prática, porém, os dirigentes do Santos encontravam enormes dificuldades para confeccionar camisas (que teria listras verticais azuis e brancas, com frisos dourados) e calções nessas cores. Esse problema, aliado ao gosto discutível da combinação, fez com que esse assunto sempre fosse questionado. Quase um ano depois, no dia 13 de março de 1913, o sócio Paulo Pelúcio sugeriu que o clube passasse a adotar como cores oficiais o branco e o preto. Em defesa de sua ideia, disse que “o branco representa a paz, e o preto, a nobreza”. A aprovação foi geral dos presentes.

O primeiro jogo-treino do Santos Futebol Clube foi disputado no dia 22 de junho de 1912, em um campo localizado no bairro do Macuco diante do Thereza Team.  O Alvinegro saiu-se vencedor pelo placar de 2×1, gols de Anacleto Ferramenta e Geraule Ribeiro.  Mas apenas no dia 15 de setembro daquele ano, aconteceu o primeiro jogo oficial.  O adversário foi o Santos Athletic Club, mais conhecido como Clube dos Ingleses, ainda em atividade. A partida foi realizada em um campo construído num terreno da Avenida Ana Costa, na Vila Mathias, onde hoje está a Igreja Coração de Maria.  O Santos Futebol Clube mais uma vez venceu, desta vez por 3×2.  O primeiro gol oficial da história do clube foi marcado por Arnaldo Silveira. No início de 1913, menos de um ano depois de sua fundação, o Santos recebia um convite da Liga Paulista de Futebol para disputar o campeonato estadual daquele ano. Só havia um problema: como não possuía um campo em condição de sediar jogos da competição, teria que disputar todas as partidas em São Paulo. Sua estréia no campeonato aconteceu no dia 1º de junho, diante do Germânia. O resultado, porém não foi nada animador: derrota por 8×1. Primeira derrota da história do Santos Futebol Clube. Na semana seguinte, depois de treinos duros, voltaram à capital para enfrentar dessa vez o Corinthians. Ao chegarem ao local do jogo, foram recebidos a gritos de “lá vêm os peixinhos”, numa tentativa dos corintianos de zombarem dos atletas do litoral.  Mas o placar foi de 6×3 para o Santos F. C.

Seu primeiro título de Campeão Paulista aconteceu no dia 17 de novembro de 1935, após um declínio, dois anos antes, em razão da criação do profissionalismo no futebol.  Na final contra o Corinthians, o Santos venceu por 2×0 (gols de Raul aos 36 do 1º tempo e Araken aos 17 do 2º tempo). Em 1955, após vinte anos sem ser campeão, o Santos voltou a conquistar o título, vencendo o Taubaté na Vila Belmiro, por 1 a 0 (gol de Álvaro, de cabeça) e depois por 2 a 1 em Taubaté. No ano seguinte chegaria à Vila Belmiro, trazido pelas mãos de Valdemar de Brito, o menino Pelé, de 15 anos, que deu um novo impulso à história do Santos, levando-o a conquistas que enalteceram o futebol brasileiro no planeta. No ano seguinte, ainda sem Pelé no time titular, o Peixe chegava ao bicampeonato paulista.  O jogo que garantiu o título foi realizado no Pacaembu e o Alvinegro venceu o São Paulo por 4 a 2, com gols de Del Vecchio (2), Feijó e Tite. Neste campeonato a campanha da equipe praiana foi a seguinte: 36 jogos / 29 vitórias / 4 empates / 3 derrotas / 98 gols pró / 36 gols contra.

No ano de 1958, com uma rodada de antecipação, o Santos F.C. conquistava mais um título. Na partida decisiva, o Alvinegro goleou o Guarani por 7 a 1, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. Pelé foi o nome do jogo, ao marcar quatro vezes. Dorval, Pepe e Bidon (contra) também marcaram. Nessa competição, Pelé estabeleceu um recorde de gols imbatível até hoje: 58 gols. O primeiro título de caráter interestadual do Santos, que, apesar de usar um time misto, conseguiu superar o Vasco na decisão por 3 a 0, com dois gols de Coutinho e um de Pelé. Em 1960 conquistaria mais um título paulista. Em 1961 o bicampeonato e em 1962, o tricampeonato. Foi sem dúvida uma época de ouro do Santos F.C. Com Pelé já entronizado Rei do Futebol, o Santos era uma máquina de fazer gols. E dominava a cena no Campeonato Paulista entre 1960 e 1962, quando passa a viver a fase mais gloriosa de sua história, tantos e tão importantes são os títulos conquistados por Pelé, Zito, Coutinho, Pepe, Dorval, Mengálvio e Cia. Em 1962 por exemplo, o time de Vila Belmiro conquistou o título com três rodadas de antecedência, após golear o São Paulo F.C. por 5 a 2 em pleno Pacaembu.

       Então veio a Libertadores da América.  O ano era 1962, o adversário o poderoso Peñarol, que perdeu em pleno estádio Monumental de Nuñez por 3 a 0, gols de Caetano contra e dois de Pelé. No ano seguinte sagrou-se bicampeão ao derrotar o Boca Juniors em plena Bombonera por 2 a 1, gols de Coutinho e Pelé. No mundial de 1962, venceu o Benfica por 5 a 2 em pleno estádio da Luz. Os gols foram marcados por Pelé (3), Coutinho e Pepe, e em 1963 sagrou-se bicampeão mundial ao vencer o Milan por 1 a 0, gol de Dalmo cobrando pênalti. O jogo foi disputado no Maracanã.

                  Em 1965 o Santos volta a conquistar o título paulista. O ano seguinte passou em branco para o time praiano, mas em 1967, 68 e 69, com um time renovado, o Santos volta a dominar a cena estadual e conquista o tri campeonato paulista. Depois desse tri campeonato paulista, o Santos só iria ganhar outro título em 1973, onde dividiu o título com a Portuguesa, devido a um erro matemático do árbitro Armando Marques. Cinco anos depois, em uma melhor de três contra o São Paulo F.C. o Santos chegou ao título de 78 com uma geração formada por pratas da casa, conhecida como Meninos da Vila.  Depois o Santos ficaria seis anos sem comemorar um título, aquele que seria o último título do século XX. Depois o Santos ficaria um bom tempo de jejum de títulos do campeonato paulista, só vindo a conquista-lo vinte e dois anos mais tarde, ou seja, no ano de 2006, fato que se repetiria em 2007, 2010 e 2011.  Mas antes disso o peixe conquistou dois títulos brasileiros; em 2002 e 2004. Em 2011 conquistou a Taça Libertadores da América pela terceira vez ao derrotar o Peñarol por 2 a 1, gols de Neymar e Danilo.

                  O Santos F.C. é o primeiro clube do mundo a possuir 47 recordes de renda e 33 de público em suas apresentações em todo o mundo. Possui o maior número de jogadores campeões mundiais pela seleção brasileira (11).  É o clube recordista em títulos oficiais conquistados em menor espaço de tempo: 27 títulos em apenas 15 anos.  É o clube brasileiro que teve dois jogadores capitães da seleção brasileira campeões mundiais: Mauro em 1962 e Carlos Alberto em 1970.  Único clube brasileiro a obter 97 goleadas em campeonatos, sendo duas por 12 gols, três por 11 gols, quatro por 10 gols e cinco por 9 gols. Clube que possui o jogador que maior número de vezes foi artilheiro do Campeonato Paulista: Pelé em 11 campeonatos, sendo que em nove, foram consecutivas: 1957, 58, 59, 60, 61, 62, 63, 64, 65, 69 e 73. A equipe marcou 155 gols no Campeonato Paulista de 1959, só Pelé, balançou as redes 45 vezes. Único clube brasileiro a vencer no mesmo ano (1962) a disputa dos quatro campeonatos oficiais que participou, Paulista, Brasileiro, Sul Americano e Mundial. Por tudo isso, só nos resta dizer; Parabéns Santos F. C., por tudo que fizestes por este país. E nós que amamos o futebol, diremos sempre do fundo do coração, obrigado Santos, pelos momentos de felicidades que nos proporcionou nestes 100 anos de existência.

José Carlos de Oliveira

 

Deixe uma resposta