AMÉRICA FUTEBOL CLUBE / RJ – Fundado em 18 de Setembro de 1904

America Football Club é uma agremiação social e esportiva brasileira, com sede na cidade do Rio de Janeirocapital do estado do Rio de Janeiro. Fundado em 18 de setembro de 1904, o seu nome não tem acentuação, já que se adota a grafia em inglês, com o clube se colocando como representante da região carioca da Grande Tijuca, onde historicamente mantém a sua sede.

Entre as suas conquistas mais relevantes, destacam-se a conquista do International Soccer League de 1962, torneio disputado por grandes equipes da época, o Torneio dos Campeões em 1982, torneio organizado pela CBF que contava com os maiores clubes do Brasil, além dos 7 títulos do Campeonato Carioca.

O America já disputou mais de 4.400 partidas em sua história, servindo de fonte de inspiração para a criação de muitos outros “Américas“, no Brasil e no exterior. O America é o primeiro clube brasileiro batizado com o nome do continente e é o clube mais “clonado” do Brasil, tendo tido suas cores e seu escudo copiados pela maioria dos clubes brasileiros denominados “América Futebol Clube”

PRIMEIROS CAMPOS

As primeiras bolas foram chutadas em um terreno pertencente à Estrada de Ferro Rio D’Ouro, na Rua Pedro Alves, com o America se mudando logo após para a Rua São Francisco Xavier, 78, não sendo este ainda um campo apropriado para partidas oficiais. Inicialmente, o America mandou os seus jogos, na Rua Ferrer (em Bangu) e na Rua Guanabara (Laranjeiras).

PRIMEIRAS SEDES

A primeira sede foi na Rua Pedro Alves número 83, no bairro da Saúde, no ano de 1904; a segunda, na mesma rua, no número 55, em 1905; a terceira, na Rua Felipe Camarão foi inaugurada em 1906; a quarta, na Rua São Francisco Xavier número 85-B, em 1907; a quinta na Rua do Passeio, 56/2º andar, em 1908. Posteriormente, na residência de Belfort Duarte, à Rua Torres Homem, 279, depois, à Rua Maria José (atual Rua Zamenhoff) número 63. Em 1911 o America se instalou definitivamente na Rua Campos Sales, número 98 (mais tarde renumerado para 118), no bairro da Tijuca.

SEDE DEFINITIVA

A sua sede definitiva veio com a incorporação do Haddock Lobo em 1911. O America se beneficiou da aquisição dos terrenos e integração dos atletas e associados deste clube, assim como aconteceu após a extinção do Riachuelo ainda em 1911, quando o America se reforçou ainda mais, tornando-se um dos grandes clubes do Rio de Janeiro. O primeiro jogo, como mandante, foi em 12 de outubro de 1911, com um empate de 1 a 1, com o CA Ypiranga de São Paulo – Tendo a partir daí um bom campo para disputar os seus jogos, construiu nele uma estrutura de estádio em 1952, quando foram inauguradas as novas instalações, com capacidade para 25.000 pessoas. Até sair do Estádio da Rua Campos Sales em 1962, o America conquistou os seus 7 títulos estaduais.

ESTÁDIO WOLNEY BRAUNE

Com o dinheiro da venda do médio volante Amaro para a Juventus de Turim em 1961, o America comprou o campo do Andarahy FC por 60 milhões de cruzeiros e o Estádio de Campos Sales foi demolido para se transformar em sede social. O Wolney Braune passaria a ser o estádio do clube até 1993, quando foi vendido para uma empresa que construiu um shopping no local. Tinha capacidade para 5.000 pessoas.

ESTÁDIO GIULITE COUTINHO

O America inaugurou em 23 de janeiro de 2000, na vitória de 3 a 1 sobre a seleção carioca o seu novo estádio, homenageando com o seu nome o seu ex-dirigente, Giulite Coutinho, na localidade de Edson Passos, no município de MesquitaBaixada Fluminense, mantendo a sua sede social na Rua Campos Sales, no bairro da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. Tem hoje, capacidade para 13.000 pessoas, podendo ser ampliado, e foi uma das sub-sedes do futebol, em 2011, dos Jogos Mundiais Militares.

ESCUDO

O escudo do America consiste num circulo vermelho com o acrônimo AFC introduzido neste. O escudo do America é o escudo de clube brasileiro mais reproduzido no mundo, sendo copiado por dezenas de outros “Américas” no país, que apenas acrescentaram outro contendo o nome da cidade de onde aquela agremiação era.

Até o final dos anos 80, o America era o mais importante dos Américas do país, sendo semifinalista de um Campeonato Brasileiro de Futebol na Década de 1980, mas, antes mesmo dessas boas campanhas, a tradicional agremiação carioca já havia inspirado dezenas de clubes no país.

MASCOTE

O mascote do America do Rio de Janeiro é caracterizado pelo Diabo, a escolha se deu pela personificação popular deste em um ser antropomorfo de pele avermelhada, cor da camisa do clube. O mascote foi adotado em 1947, desenhado pelo cartunista argentino Lorenzo Molas. A torcida atribuiu a decadência estrondosa do time ao mascote em 2015 e chegou a rouba-lo em um dos jogos do clube para que nunca mais se apresentasse nos estádios. Em sua versão infantil, o mascote é o personagem Brasinha, um simpático diabinho.

A ideia de mudança do mascote foi abordada varias vezes, a primeira foi em 2006 quando o técnico Jorginho, seguidor de religião evangélica, assumiu o clube e sugeriu que fosse adotado como mascote a Águia, uma leve associação ao Club America do México, que tem o mesmo mascote. Além disso, torcedores, fugindo da originalidade, sugeriram que o clube adotasse como mascote o personagem Capitão América, porém, a diretoria recusou as duas petições.

PADROEIROS

O America adota como santos padroeirosNossa Senhora das Graças e São Jorge.

UNIFORME

O uniforme tradicional do America é composto de uma combinação toda vermelha, seu uniforme reserva é todo branco.

JOGOS INTERNACIONAIS

O America disputou até hoje pelo menos 158 jogos contra clubes, combinados ou seleções estrangeiras, com 78 vitórias, 35 empates e 45 derrotas, 205 gols a favor e 103 contra, números estes que não incluem partidas contra clubes brasileiros válidos por competições internacionais ou realizados no exterior contra eles. O último amistoso internacional não integrou este cômputo, foi o amistoso entre o America e o campeão da Copa da ChinaShandong Luneng Taishan, disputado em 27 de janeiro de 2013, registrando-se como resultado final o empate em 2 a 2.

MAIORES ARTILHEIROS

Luizinho: 311.

Edu: 212.

Maneco: 187.

Plácido: 167.

Carola: 158.

Chiquinho: 102.

TORCIDA

Considerando que o America tem torcida, assim como os demais clubes cariocas, em locais como o Espírito SantoZona da Mata MineiraSanta Catarina e Distrito Federal, para não falar de outras regiões onde existe maior diversificação de torcedores, é possível supor que o America tenha mais de 200.000 torcedores, mesmo após passar alguns anos afastado do cenário nacional. Na cidade do Rio de Janeiro, tradicionalmente a torcida rubra se concentra na região conhecida como Grande Tijuca, onde o clube tem sede e onde também se localizavam os seus estádios anteriores. No Campeonato Brasileiro a média de público pagante histórica do America, é de cerca de 6.500 torcedores nos jogos com mando de campo rubro.

TORCEDORES ILUSTRES

Tim Maia, cantor

Noel Rosa, compositor e musico

Ismael Silva, musico e compositor

Heitor Villa-Lobos, maestro

Lamartine Babo, compositor

Dona Ivone Lara, compositora e cantora

Oscarito, comediante

Gilberto Braga, novelista

Elia Júnior, jornalista

Max Nunes, diretor de tv e cardiologista

Dalto, compositor e cantor

Virgina Lane – vedete

Leandro Hassum, comediante

Alex Escobar, jornalista

José Trajano, jornalista

Sílvio Caldas, cantor

Carlos Galhardo, cantor

Francisco Alves, cantor

Zagallo, técnico e jogador de futebol

Nicole Puzzi, atriz

Ari Fontoura, ator

Paulo Celestino, comediante

João Cabral de Melo Neto, escritor e poeta

HINO

 

Em 1915 foi composto o primeiro hino do America por Freire Júnior, com letra de Luiz França; em 1922 foi criada a segunda versão por Freire Júnior, até se chegar a versão criada pelo compositor americano Lamartine Babo, em 1947:

Letra e Música: Lamartine Babo

Hei de torcer, torcer, torcer…

Hei de torcer até morrer, morrer, morrer…

Pois a torcida americana é toda assim

A começar por mim

A cor do pavilhão

É a cor do nosso coração!

Em nossos dias de emoção

Toda torcida cantará esta canção!

Trá-lá-lá-lá-lá-lá!

Trá-lá-lá-lá-lá-lá!

Trá-lá-lá-lá-lá-lá!

Campeões de 13, 16 e 22,

Trá-lá-lá!

Temos muitas glórias,

E surgirão outras depois,

Trá-lá-lá!

Campeões com a pelota nos pés,

Fabricamos,

Aos montes,

Aos dez!

Nós ainda queremos muito mais,

America, unido, vencerás!

TÍTULOS

  Taça dos Campeões de 1982

 

  Campeonatos Estaduais de 1913, 1916, 1922, 1928, 1931, 1935 e 1960

 

  Campeonatos Estaduais da Série B de 2009 e 2015

 

  Taça Guanabara de 1974 e Taça Rio de 1982

 

  Torneio Início do Campeonato Estadual de 1949

 

  Torneio Extra de Profissionais de 1938

 

  Torneio Relâmpago de 1945

 

  Torneio João Ellis Filho de 2010

 

  Taça Ioduran de 1917

 

  Torneio Carlos Martins da Rocha de 1952


Conquistas Internacionais

  Torneio Internacional de Nova York de 1962

 

  Torneio Internacional Governador Negrão de Lima (Rio de Janeiro) de 1967

 

  Torneio Costa Dourada (Espanha) 1983

 

Deixe uma resposta