DANRLEI: o rei das confusões

                  Danrlei de Deus Hinterholz nasceu dia 18 de abril de 1973, na cidade de Crissiumal (RS). Seu primeiro clube profissional foi o Grêmio, pelo qual atuou por dez anos. Com retrospecto nos Campeonatos Brasileiros de defensor de 332 gols.

                  No Tricolor Gaúcho, Danrlei ingressou-se em 1987, nas categorias de base, graças ao seu tio Roberto Gilmar Hinterholz (Beto), que atuava como goleiro no clube. Como tinha somente 13 anos de idade, não era permitido morar nos alojamentos do estádio do Grêmio, então ele disse que iria embora. Imediatamente o ex-craque Paulo Lumumba que via em Danrlei um belíssimo futuro, resolveu intervir e foi ao presidente do Grêmio e disse, “Ou vocês deixam este garoto morar aqui no clube, ou eu levo ele agora mesmo para o Internacional”. Pronto, estava resolvido o problema, Danrlei passou a morar nos alojamentos, que ficava no próprio estádio Olimpico do Grêmio.

                  Foi lançado no time profissional do Grêmio em 1993, com apenas 20 anos. Em 1994, o Grêmio venceu a Copa do Brasil de Futebol, tendo Danrlei como destaque. Em 1995, Danrlei foi campeão da Copa Libertadores da América. Danrlei sempre teve a fama de ser um goleiro muito agressivo, tendo envolvimento em muitas brigas e confusões, iniciando seu histórico de brigas e desavenças durante o jogo contra o Palmeiras naquela edição da Libertadores, quando agrediu o jogador palmeirense Válber pelas costas. Logo após, no fim daquele ano, o Homem Grenal deu um soco no árbitro Sílvio Oliveira durante um jogo beneficente.

                 No ano seguinte, ganhou o Campeonato Brasileiro de Futebol de 1996 e foi reserva da Seleção Brasileira de Futebol que foi aos Jogos Olímpicos de Verão de 1996ganhando o bronze. Em 1998, o goleiro brigou com o seu reserva, Sílvio, durante um treinamento. Em 2001, o ex-atleta discutiu com a então árbitro Carlos Simon, discussão esta na qual Simon supostamente teria provocado Danrlei citando a ex-mulher Michelle, que se separou dele e se casou com Palhinha, ex-colega do goleiro em 1999. No mesmo ano, ele agrediu o então diretor do Grêmio, Dênis Abraão, que o desculpou após o ocorrido, relatado como “um soco sem-querer” do goleiro pelo dirigente.

                Em 2002, um pontapé no auxiliar de arbitragem Walter Rial durante uma partida na Libertadores contra o 12 de Octubre, o rendeu um ano de suspensão em jogos de competições continentais da CONMEBOL que voltou atrás da punição e a cancelou. Logo após o ocorrido, Danrlei ainda discutiu com o preparador de goleiros do time, Ilo Roxo. Ainda em 2002, ele disse que quebraria a perna de Diego e Robinho caso eles não parassem de fazer firula, em uma partida contra o Santos válida pelo Campeonato Brasileiro daquele ano, e brigou com o goleiro Eduardo Martini, seu companheiro de time, sendo ambos punidos com uma redução salarial.

                Já em seu último ano como jogador gremista, Danrlei ainda deu uma cabeçada no 4º árbitro Marcelo Tofanello. Também em 2003, ele ainda chegou a bater boca com um torcedor após usar chuteiras vermelhas e por chegar atrasado em um treino, e após este treino, afirmar que jogar contra Figueirense ou Fortaleza era mais fácil que enfrentar Ponte Preta ou Guarani. Por conta desse mal-estar gerado no ano e pelo desempenho ruim na temporada, chegando a ser reserva de Eduardo Martini em algumas partidas, o jogador foi dispensado no fim do ano.

               Com o Grêmio, Danrlei também conquistou as Copas do Brasil de 1997 e 2001, bem como a Recopa Sul-Americana de 1996, ao vencer o Independiente da Argentina por 4 a 1.

               Em 2004, após 10 anos no Grêmio, Danrlei transferiu-se para o Fluminense, logo após ser dispensado do time gaúcho. No entanto, sem garantias de titularidade, ficou apenas até o mês de abril, disputando somente três partidas e jogando duas delas pelo brasileiro de 2004, onde foi defensor de 4 gols. Recebeu uma proposta do Atlético Mineiro, para onde foi em seguida para ser titular e disputar o Brasileirão. Na época de Atlético Mineiro, Danrlei manteve a fama de briguento: o goleiro chegou à trocar socos com o árbitro Luiz Carlos Silva e tomado um chute de um policial militar, após uma derrota para o América Mineiro, em 2005, além de ter discutido com um torcedor atleticano dentro de um shopping no fim de 2004, brigado com o então colega André Luís durante um treino também em 2004 e discutido dentro de campo com o então jogador corintiano Tévez em 2005, pelo Campeonato Brasileiro.

               Em agosto de 2006, transferiu-se para o time português Beira-Mar, onde também atuava seu ex-companheiro de Grêmio Jardel. Em dezembro, rescindiu seu contrato e retornou para Porto Alegre. No início de 2007, assinou contrato para atuar pelo São José, do Rio Grande do Sul.

               No dia 3 de março de 2007, Danrlei jogou pela primeira vez como visitante no Estádio Olímpico MonumentalEm 5 de janeiro de 2009, Danrlei assinou contrato por uma temporada com o Brasil de Pelotas. Poucos dias depois, um ônibus com o time sofreu um acidente, com três mortes, inclusive o uruguaio Cláudio Millar, goleador e ídolo da torcida. O Brasil de Pelotas foi o último clube profissional de sua carreira. Danrlei diz que até hoje tem trauma de entrar num ônibus.

               Nas horas de folga, Danrlei atua como DJ, sendo dono de um empresa chamada Moving Dj’s em Porto Alegre.

               No dia 12 de dezembro de 2009, Danrlei promoveu um jogo de despedida no Estádio Olímpico, em que reuniu o time titular do Grêmio na conquista da Libertadores da América de 1995. O jogo teve ares de festa, com a presença de jogadores históricos gremistas como Paulo NunesJardelDinhoAdílson BatistaMazaropi e Tarciso.

               Danrlei faturou com o Tricolor Gaúcho um Campeonato Brasileiro, em 1996, duas copas do Brasil, em 1997 e 2001 e cinco campeonatos estaduais, nos anos de 1993, 1995, 1996, 1999 e 2001.

CARREIRA POLÍTICA

               Pouco depois de confirmar sua aposentadoria, o goleiro optou por se candidatar a uma vaga de deputado federal nas eleições de 2010 pelo PTB. Foi eleito com mais de 170 mil votos, tendo sido, no Rio Grande do Sul, o quarto candidato mais votado. Danrlei foi o ex-atleta mais votado nas Eleições 2010 em todo o Brasil. Em seguida trocou de partido, deixou o PTB para ingressar no PSD, criado em 2011.

               Nas eleições de 2014, foi reeleito para o cargo de deputado federal pelo PSD, obtendo pouco mais de 158 mil votos, sendo o segundo deputado federal mais votado no Rio Grande do Sul.

               Como deputado federal, votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff. Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos. Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista. Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer.

Em pé: Danrlei, Émerson, Ronaldo Alves, Éder, Djair, Rodrigo Costa, Capitão, Murilo e Roger   –    Agachados: Ronaldinho Gaúcho, Rodrigo Gral, Agnaldo, Fabinho, Itaqui, Zé Afonso, Arilson, Cleison e Gavião
Em pé: Sávio, Zé Elias, André Luiz, Dida e Danrlei    –    Sentados: Luizão, Marcelinho Paulista, Juninho Paulista e Roberto Carlos
Em pé: Arce, Danrlei, Adilson, Dinho, Rivarola e Roger   –    Agachados: Jardel, Luís Carlos Goiano, Paulo Nunes, Arílson e Carlos Miguel
1990   –   Em pé: Arce, Danrlei, Rivarola, Adílson, Luciano e Carlos Miguel   –   Agachados: Dinho, Jardel, Luis Carlos Goiano, Paulo Nunes e Alexandre Gaúcho

 

Postado em D

Deixe uma resposta