KLEIN: um zagueiro que impunha respeito

                   Juadir Klein nasceu dia 16 de maio de 1950, na cidade de Nova Friburgo – RJ. Foi um zagueiro que não brincava em serviço, sempre foi disciplinado e cumpridor das ordens dadas por seus treinadores. Jogou em vários clubes do futebol brasileiro e sempre manteve uma boa regularidade. Teve participação direta no acesso a Primeira Divisão do Futebol Paulista pela Internacional de Limeira em 1978, quando o Leão da Paulista formou um grande time; Carlinhos Biagioli, Volmil, Alexandre Pimenta, Klein e Zé Carlos; Tornado e Admir Mello, Juarez, Tião Marino, Carlinhos e Caldeira.

                  Teve também uma passagem muito boa pelo Paulista da cidade de Jundiaí, chegando inclusive a fazer parte da seleção da rodada destacada pelo Jornal dos Esportes, depois de uma brilhante apresentação diante do Corinthians, fazendo com que o ataque alvinegro não marcasse nenhum gol. Depois que encerrou a carreira, não deixou de bater sua bolinha, chegando a sagrar-se campeão pelo Campeonato Amador de Limeira.

BANGU                 

                 Desde pequeno sempre gostou de jogar futebol e começou sua carreira aos 12 anos de idade jogando no Esperança F.C. de Nova Friburgo /RJ por 4 anos. Aos 16 anos de idade foi convocado para a Seleção Friburguense para a disputa do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro.
Graças as suas boas atuações, recebeu convite do Presidente do Bangu Sr. Euzébio de Andrade para ingressar na J.V.A. Castor de Andrade.

               Em 1966 o Bangu sagrou-se Campeão Carioca com um timaço formado por: Ubirajara, Fidelis, Mario Tito, Luiz Alberto, Ari Clemente, Jaime, Ocimar, Paulo Borges, Cabralzinho, Ladeira e Aladim. Em 1967 Klein disputou a final juvenil entre Bangu Atlético Clube e Clube de Regatas Vasco da Gama a arbitragem foi de Armando Nunes da Castanheira Rosa Marques, um dos maiores árbitros do nosso futebol.

               Klein se profissionalizou no Clube de Moça Bonita em 1969, em 1970 foi para Ribeirão Preto – SP defender o Comercial F.C. onde jogou ao lado de grandes craques, como Paulo Bim, Jair Gonçalves e outros. Ficou no Comercial até 1972.  Voltou para o Rio de Janeiro no ano seguinte para jogar no Olaria a convite de Roberto Pinto, sobrinho do saudoso Jair da Rosa Pinto, que jogou no  Vasco da Gama, Palmeiras, Santos e Seleção Brasileira. Em 1974 Klein voltou para São Paulo jogando no Velo Clube de Rio Claro, onde a equipe era assim formada, Valdir Triple, Celinho, Hercílio, Klein e Cícero; Zé Roberto e Rando; Maurílio, Edison Só, Ditão e Canhoto.

PAULISTA F. C.

               Em 1975 Klein foi defender as cores do Paulista F. C. de Jundiaí/SP. Disputou o Campeonato Paulista daquele ano onde fez grandes apresentações, como aquela do dia 16 de março, quando o Paulista recebeu o Corinthians no estádio Jaime Cintra, em Jundiaí, que neste dia recebeu um público de 18.942 pessoas, proporcionando uma arrecadação de Cr$ 226.036,00. O árbitro da partida foi Romualdo Arppi Filho e o placar foi de zero a zero. Neste dia o técnico do Paulista, Adésio de Almeida mandou a campo os seguintes jogadores; Vininho, Sérgio, Klein, Marco e Ferreira; Bosco e Adilson; Brasinha, Djalma (Gelson), Valdomiro e Basílio. Já o técnico Sylvio Pirilo do Corinthians escalou a seguinte equipe; Sérgio, Zé Maria, Baldochi, Ademir Gonçalves e Wladimir; Tião e Basílio; Vaguinho, Arlindo, César Maluco (Luis Antonio) e Pita.

                Neste jogo Klein anulou completamente o atacante César e salvou um gol de Vaguinho em cima da linha. E por causa desta brilhante partida em que Klein se destacou, lhe valeu a inclusão na Seleção da Rodada, destacada pelo Jornal dos Esportes, com a seguinte formação: Miguel (Portuguesa); Nelsinho Batista (São Paulo); Klein (Paulista); Wagner (Saad) e Claudio (Guarani), Flamarion (Guarani) e Valtinho (Ponte Preta), Vaguinho (Corinthians); Davi (Comercial), Itamar (Marília) e Djair (Juventus).

                O campeonato de 1975 foi disputado por 19 equipes, talvez por causa do excesso de times, o regulamento foi um dos mais complicados. O artilheiro do campeonato foi Serginho Chulapa com 22 gols, o campeão foi o São Paulo F.C., o vice foi a Portuguesa e o Paulista ficou em 19º lugar com 14 pontos. Disputou 27 partidas, venceu 4, empatou 6 e perdeu 17. Marcou 17 gols e sofreu 44.

INTER DE LIMEIRA

               Em 1975 Klein foi contratado pela Internacional de Limeira onde ficou por 6 anos. E foi neste ano também que tivemos o primeiro Derby na cidade de Limeira entre Internacional e Independente. No primeiro confronto deu empate em 1 a 1, gol de Sérgio Moraes para o Leão da Paulista e Nestor para o Galo da Vila. No segundo Derby deu Internacional 1 a 0, gol de Sérgio Moraes. Este jogo foi realizado na Usina São João, na cidade de Araras. Neste dia a Inter jogou com; Doná, Paulinho, Jorge Cruz, Klein e Zaccarias; Claudinho e Adilson; Nunes, Pedro Paulo, Sérgio Moraes e Armando. Neste jogo o saudoso João Ferraz foi expulso por reclamação junto ao árbitro José de Assis Aragão, mas mesmo com 10 homens o Galo quase empatou a partida através de Nestor, que venceu o goleiro Doná, mas Klein salvou em cima da linha.

               Dia 30 de janeiro de 1977, tivemos a inauguração do Estádio Major José Levy Sobrinho, o Limeirão. Mais de 30 mil pessoas estiveram presente naquele domingo ensolarado para assistir Internacional x Corinthians. O jogo terminou com a vitória corintiana por 3 a 2. Os gols do alvinegro de Parque São Jorge foram anotados por Luciano (2) e Romeu, enquanto que para a Inter marcaram Carlinhos e Roberto. O árbitro da partida foi Oscar Scolfaro e a Inter neste dia jogou com; Carlinhos, Silvio (Carlinhos), Belini, Klein e Bauer; Jorge Cruz, Sérgio Moraes (Roberto) e Sérgio Luiz (Varley); Assis, Tião Marino e Marcos.

               Em 1978 Klein ajudou a equipe a subir para a Primeira Divisão do Futebol Paulista. Naquela época, Klein jogava ao lado de Lula, Volmil, Alexandre Pimenta, Zé Carlos, Juarez, Tornado, Admir Mello, Nestor, Tião Marino, Davi, Caldeira, Carlinhos Biagioli, Lopes, Pitico, Marquinhos Capivara, Humberto Ramos, Luiz Moraes, Vininho, entre outros. O técnico era Airton Diogo e depois Ilzo Neri.

               Como todos sabem não é fácil conquistar o acesso para a Primeira Divisão do Futebol Paulista e assim foi também para a Internacional. Em um dos jogos decisivos lá na cidade de Pinhal, a Inter perdia o primeiro tempo por 2 a 0. Então a torcida derrubou o alambrado e invadiu o campo da Pinhalense, iniciando uma pancadaria generalizada. O jogo foi suspenso pelo juiz por falta de segurança. Richard Drago, presidente da Inter, conseguiu a anulação da partida e a marcação de uma segunda, já no início de 1979. Nessas alturas, a Pinhalense já estava totalmente desmotivada pela disputa, pois o resultado para ela já nada mais significava. Com isso a Inter venceu a segunda partida por 2 a 0, conquistou o acesso e automaticamente, mais uma conquista na carreira de Klein.

               Durante o período que vestiu a gloriosa camisa da Internacional, Klein teve vários companheiros com os quais fez dupla de zaga, mas sem dúvida alguma aquela que o torcedor leonino mais se recorda, foi com Alexandre Pimenta, os dois se completavam dentro e fora de campo, pois havia entre eles uma grande amizade. Klein teve uma passagem em 1980 pelo Rio Branco de Americana voltando para a Inter de Limeira onde encerrou sua vitoriosa carreira profissional.

AMADOR

               No amador defendeu com honra as tradicionais equipes do Centro Rural e Santa Cruz, sagrando-se campeão amador em ambas as equipes (1989 e 1990).  Defendeu com orgulho o Esporte Clube Estudantes jogando ao lado de atletas de renome internacional como Pedro Virgílio Rocha em 1983, quando o “Verdugo” foi técnico da Internacional e José Macia, o Pepe, em 1989, ocasião em que o Canhão da Vila treinava o Leão da Paulista.

               A equipe de Veteranos do Esporte Clube Estudantes praticamente jogava apenas aos sábados à tarde no Jardim Esmeralda, porém esporadicamente também participava de encontros memoráveis como o que aconteceu em 1989 em Alphaville/SP. Neste dia a equipe limeirense contou além do zagueiro  Klein, com o saudoso Dema Lucato e também com Tute, Sormani, Carlinhos Biagioli, Careca, Paulo Marmo, Bassinho, Tatão, Donizete e outros craques. No ano de 2000, Klein participou da festa de aniversário do amigo Tute e fez questão de pousar ao lado do mais ilustre convidado, Ademir da Guia.

              Em 2001 defendeu a Inter de Limeira ao lado de grandes craques de diversas épocas como: Badê, Sucena, Walter Gama, Tatão, Careca, Beto Lima, Paulo Omar, Pitanga, Pitico, Carlinhos e Foguinho. Em 2008 participou de um amistoso entre o Limeira Futebol Clube e Clube de Regatas Flamengo enfrentando entre outros, Claudio Adão e Adílio. Atualmente Klein reside em Limeira/SP, casado com Milena Klein com quem tem uma filha, Isabella Klein e do primeiro casamento teve os filhos: Diego e Ramon e ainda Patrícia que reside no Rio de Janeiro. Esta é uma humilde homenagem ao zagueiro Klein, que brilhantemente defendeu as cores da Internacional, elevando o nome da cidade de Limeira.

Em pé: Luiz Moraes, Klein, Tornado, Lula, Alexandre Pimenta e Zé Carlos      –     Agachados: Nestor, Carlinhos, Humberto Ramos, Tião Marino e Caldeira
ASSOC. ATLÉTICA INTERNACIONAL DE LIMEIRA
PAULISTA DE JUNDIAI

Postado em K

Deixe uma resposta