VANDERLEI LUXEMBURGO: um colecionador de títulos

Vanderlei Luxemburgo nasceu dia 10 de maio de 1952, na cidade de Nova Iguaçu (RJ). É o único, no comando técnico de um clube, que conquistou cinco vezes o Campeonato Brasileiro e oito vezes o Campeonato Paulista. Treinou grandes equipes do futebol brasileiro e a Seleção Brasileira, além de uma curta passagem pelo Real Madrid. Como jogador, atuou por FlamengoInternacional e Botafogo, onde iniciou e encerrou sua carreira de atleta.

JOGADOR

A carreira de jogador de futebol não foi tão marcante como a de técnico. Despontou no futebol profissional como lateral-esquerdo do Flamengo em 1971 e permaneceu na equipe carioca até 1978. Neste período, teve como grande concorrente na posição o jogador Júnior, considerado um dos maiores laterais da história do Flamengo e da Seleção Brasileira. Depois de deixar a equipe rubro-negra e atuar pelo Internacional em 1978, jogou no Botafogo, onde jogou até 1980, quando uma contusão no joelho o afastou dos campos.

TREINADOR

Graduou-se em Educação Física em uma faculdade do Rio de Janeiro. O início como treinador ocorreu no Campo Grande, do Rio de Janeiro, em 1983. No mesmo ano, seguiu para o capixaba Rio Branco, onde conquistou o título do Estadual de 1983. Depois de passagens por outros clubes brasileiros e do futebol árabe, foi no Bragantino que conseguiu seu primeiro grande feito, conquistando dois títulos: a Série B do Campeonato Brasileiro de 1989 e o Campeonato Paulista de 1990.

Sua primeira conquista em um grande clube como técnico aconteceu em 1993, quando foi campeão do Campeonato Paulista daquele ano pelo Palmeiras. O título, alcançado com uma vitória por 4 a 0 sobre o maior rival da equipe alviverde, o Corinthians, foi um dos mais importantes da história do clube, pois interrompeu um jejum de 16 anos sem títulos. No mesmo ano, Luxemburgo levaria o Palmeiras aos títulos do Torneio Rio-São Paulo e do Campeonato Brasileiro. Em 1994, foi bicampeão paulista e brasileiro.

Depois de breves passagens por Flamengo e Paraná, em 1995, retornou no mesmo ano ao Palmeiras, conquistando em 1996 mais um título do Campeonato Paulista, este marcado pela maior campanha de uma equipe no Estado na era profissional, com um ataque arrasador de mais de 100 gols marcados. Em 1997, já pelo Santos, conquistou o Torneio Rio-São Paulo.

No ano seguinte, foi contratado pelo Corinthians, onde obteve o título do Campeonato Brasileiro. No mesmo ano, foi convidado para ser o técnico da Seleção Brasileira, onde conquistou a Copa América de 1999.

Apesar de passagens vitoriosas nos times com grandes jogadores montados, teve problemas no período que treinou a seleção, sofrendo ao ser flagrado utilizando documentação falsa e com um processo de sonegação fiscal. Por esta razão, mudou seu nome de Wanderley (artístico) para Vanderlei (original). Sua saída do selecionado brasileiro, ficou marcada pela eliminação da equipe nas Olimpíadas de 2000, quando o Brasil foi derrotado por Camarões nas quartas-de-final.

Em 2001, de volta ao Corinthians, levou a equipe alvinegra a mais um título do Campeonato Paulista. Em 2002, teve uma passagem rápida e conturbada pelo Palmeiras, sendo responsabilizado por parte da torcida pela queda da equipe para a segunda divisão do futebol brasileiro, em virtude da dispensa de alguns jogadores de posições importantes logo no início do Campeonato Brasileiro, pouco antes de sua saída do clube para o Cruzeiro.

Em 2003, no comando da equipe mineira, venceu o Campeonato Mineiro, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, de volta ao Santos, obteve mais um título de campeão do Campeonato Brasileiro.

Em 2005, deixou a equipe do Santos para atuar como treinador do Real Madrid, com os melhores jogadores do mundo, resultando em uma malograda passagem, tendo sido demitido no dia 4 de dezembro de 2005. Dez dias depois, foi anunciado o retorno de Luxemburgo à equipe santista, onde conquistou nos dois anos seguintes o título do Campeonato Paulista.

Em 2007, levou a equipe às semifinais da Copa Libertadores da América, mas foi eliminado pelo Grêmio. A falta de uma conquista de torneio internacional interclubes é justamente uma das maiores frustrações do técnico.

Em 2008, voltou ao Palmeiras, onde conquistou mais um título do Campeonato Paulista. A equipe alviverde não vencia um campeonato desde 2000, e não conquistava o torneio estadual desde 1996. Em 2009, depois de ser eliminado mais uma vez da Copa Libertadores da América, desta vez nas quartas-de-final, as críticas da torcida palmeirense aumentaram em relação a Luxemburgo, que era questionado por suas interferências na equipe fora do campo, com a indicação de jogadores que não agradaram os torcedores.

No dia 17 de julho de 2009, acertou seu retorno ao Santos. Com um resultado fraco no Campeonato Brasileiro (a pior que teve no comando da equipe da Vila Belmiro), conseguindo apenas a décima segunda colocação, deixou o time em dezembro de 2009.

ATLÉTICO MINEIRO

No dia 8 de dezembro de 2009, Luxemburgo acertou sua ida para o Atlético-MG, fechando um contrato de dois anos com o clube e rejeitando propostas de CSKA Moscou e Internacional. No dia seguinte, foi apresentado oficialmente na sede administrativa, em entrevista coletiva. Mesmo debaixo de chuva, mais de 100 torcedores compareceram para acompanhar a apresentação do treinador. No dia 2 de maio, há 5 meses no comando da equipe, venceu o Campeonato Mineiro, em final contra o Ipatinga. No entanto, após o título estadual e a eliminação na Copa do Brasil nas quartas-de-final, a equipe não obteve bons resultados no Campeonato Brasileiro. No dia 24 de setembro de 2010, Luxemburgo foi demitido, logo após uma derrota por 5 a 1 contra o Fluminense, deixando o Atlético na zona de rebaixamento para a Série B. Posteriormente, o então presidente do clube, Alexandre Kalil, revelou que o elenco havia “derrubado” o treinador, em entrevista para um programa de TV. O técnico comandou o time mineiro em 53 jogos durante toda a temporada, alcançando 22 vitórias, 12 empates e 19 derrotas.

FLAMENGO

No dia 5 de outubro de 2010, Vanderlei Luxemburgo aceitou a proposta do Flamengo para assumir o comando técnico, fechando um contrato de 2 anos com o clube da Gávea. A missão de Luxemburgo era evitar o rebaixamento do clube carioca, missão que ele conseguiu completar, terminando o campeonato na 14ª colocação.

Em 2011, Luxemburgo ganhou reforços da diretoria, que queria ver o Flamengo brigando por títulos. Os principais reforços foram Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves. Esteve invicto no comando do Flamengo em 26 jogos, superando a marca do memorável técnico rubro-negro Carlinhos, de 20 jogos. No dia 1 de maio de 2011, Luxemburgo conquistou a Taça Rio e o Campeonato Carioca, pois já havia sido campeão da Taça Guanabara. Luxemburgo terminou o Brasileirão de 2011 na 4ª colocação, levando o Flamengo para a Pré-Libertadores.

No dia 2 de fevereiro de 2012, o treinador teve sua demissão anunciada pelos dirigentes do clube carioca. O motivo da demissão era o desentendimento com Michel Levy, vice-presidente de finanças do clube, e com Ronaldinho. O desentendimento com Levy foi por defender os jogadores que cobravam salários atrasados, e com Ronaldinho por não gostar da atitude do jogador, que declarou que não entraria em campo por não receber parte do salário desde agosto de 2011.

GRÊMIO

Em 21 de fevereiro de 2012, foi anunciado seu novo “projeto”, como novo técnico do Grêmio. Na estreia pelo Tricolor Gaúcho, Luxemburgo viu a equipe ser eliminada da Taça Piratini, o 1º turno do Campeonato Gaúcho, pelo Caxias, fora de casa, nos pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo normal. Na noite de 21 de novembro de 2012, Luxemburgo renovou com o Tricolor por mais duas temporadas.

Em 29 de abril de 2013, após se envolver numa confusão no jogo contra o chileno Huachipato, pela Libertadores, Luxa foi suspenso por seis jogos na competição sul-americana.

No dia 29 de junho de 2013, após campanha boa no Campeonato Brasileiro de 2012 e campanhas irregulares em competições de mata-mata, como quedas na Copa do Brasil de 2012Copa Sul-Americana de 2012Campeonato Gaúcho de 2013 e principalmente a eliminação nas oitavas de final da Libertadores de 2013, o técnico foi demitido.

Segundo o diretor executivo do clube, Rui Costa, Luxa deixou o Tricolor pela “porta da frente”. Ainda segundo Rui Costa, chegou o momento que a diretoria avaliou, e que precisavam de fato novo para a retomada do campeonato.

FLUMINENSE

No dia 30 de julho de 2013, Vanderlei Luxemburgo aceitou a proposta do patrocinador para assumir o comando técnico do Fluminense, fechando um contrato de seis meses com o clube das Laranjeiras. Em sua estreia no tricolor, venceu o Cruzeiro por 1 a 0.

No primeiro mês comandando o Fluminense, em agosto, foi irregular, sem ter uma boa sequência de vitórias. Já em setembro, tudo mudou. O time ficou invicto, vencendo 4 partidas e empatando 3. Diferente de setembro, outubro foi péssimo. O time não venceu um jogo sequer e, após perder para o Vitória, no dia 27 de outubro, o cargo de Luxemburgo foi ameaçado. No dia 29 de outubro, sites confirmavam a demissão do técnico como certa, mas no dia 30 o clube resolveu manter o técnico até o próximo jogo, no dia 3 de novembro, contra o Flamengo. O Fluminense perdeu por 1 a 0, com gol contra de Gum, aos 44 minutos do 2º tempo. A derrota causou revolta a muitos tricolores e, horas depois do jogo, houve uma invasão na sede do clube. Para muitos, era o último jogo de Luxemburgo pelo Fluminense, mas a diretoria do clube deu um voto de confiança ao treinador. Segundo o presidente, apesar da derrota, o time evoluiu em relação às últimas partidas. Antes do jogo seguinte, contra o Corinthians, Luxemburgo afirmou que salvar o Fluminense do rebaixamento seria a conquista mais importante de sua carreira. O treinador também disse que só sairia do Fluminense se fosse mandado embora.

Luxemburgo perdeu outro jogo, contra o Corinthians, acumulando nove jogos sem vitória. No dia seguinte, o Fluminense anunciou a demissão do treinador. Luxemburgo disse que foi pego de surpresa.

Horas depois da demissão, o treinador esteve presente no programa Bem, Amigos!, do canal por assinatura SporTV. O treinador disse que havia feito um acordo com o diretor executivo do Fluminense antes do jogo, que independente do resultado, permaneceria no clube, mas o acordo não foi cumprido. Luxemburgo disse também ter certeza de que o Fluminense não seria rebaixado.

Luxemburgo teve um desempenho fraco nas Laranjeiras, com 26 jogos, sete vitórias, nove empates e 10 derrotas.

FLAMENGO – 4ª Passagem

Em 24 de julho de 2014 acertou seu retorno ao Flamengo, que então se encontrava na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 2014. Conseguiu levar a equipe ao 10° lugar. Neste mesmo ano, levou o Rubro-Negro Carioca as Semi-finais da Copa do Brasil quando acabou sendo eliminado pelo Atlético-MG, que seria o futuro Campeão do título nacional.

Já em janeiro de 2015, conquistou em Manaus o Torneio Super Series. Durante o Campeonato Carioca de 2015, chegou a ser suspenso por duas partidas pelo STJD por declarações críticas a FERJ.

Após a terceira rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, com a equipe conquistando apenas um ponto, foi dispensado.

CRUZEIRO – 2ª passagem

Nove dias depois da saída do Flamengo, em 2 de junho, foi contratado pelo Cruzeiro pelo vínculo de 1 ano e meio. Foi demitido pelo clube mineiro após a derrota para o Santos em 31 de Agosto.

TIANJIM QUANJIAN

Em 24 de setembro de 2015 assinou com o clube chinês Tianjin Songjiang (depois rebatizado como Tianjin Quanjian), da segunda divisão do campeonato nacional chinês, por uma temporada. Estreou em março de 2016 com vitória, porém foi demitido em 5 de junho quando a equipe encontrava-se apenas na oitava posição na tabela e longe da zona de acesso a primeira divisão.

SPORT

Em 29 de maio de 2017, acertou com o Sport e ganhou o Campeonato  Pernambucano de 2017. Na sua estreia, contra o Botafogo Na Ilha Do Retiro, Empatou em 1 a 1. Depois, No Brasileirão, assumiu o 6º lugar e por um período de tempo curto, o 5° lugar. Depois, caiu para 11º, após a derrota para o Grêmio por 5 a 0. Foi demitido do clube em 26 de outubro de 2017, após derrota por 2 a 0 para o Junior Barranquilla da Colômbia, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Em pé: Cantarelli, Júnior, Rondinelli, Jaime, Vanderlei Luxemburgo e Merica   –   Agachados: Paulinho Carioca, Tadeu Ricci, Zé Roberto, Zico e Caio Cambalhota
1978   –  Em pé: Lúcio, Gasperin, Beliato, Salomão, Falcão e Vanderlei Luxemburgo   –    Agachados: Valdomiro, Jair, Bill, Caçapava e Peri
1977   –   Em pé: Roberto, Rondinelli, Carlos Alberto Torres, Júnior, Vanderlei Luxemburgo e Merica    –     Agachados: Tita, Adílio, Kalu, Dendê e Luís Paulo
Seleção Brasileira Juniores campeã de Cannes (França) em 1974   –    Em pé: Vanderlei Luxemburgo, Walter, Xáxa, Batista, Carlos e Carlinhos     –     Agachados: Chico (massagista), Jarbas, Marcelo Oliveira, Luiz Carlos Gaúcho, Cláudio Adão e Toninho Vanusa
Em pé: Renato, Vanderlei Luxemburgo, Jaime, Vantuir, Pedro Omar e Rodrigues Neto   –    Agachados: o massagista Mineiro, Paulinho, Geraldo, Doval, Zico e Arílson
Postado em V

Deixe uma resposta