ZOCA: o irmão de Pelé

                Jair Arantes do Nascimento nasceu dia 22 de julho de 1942. Tentou a carreira de jogador de futebol, mas não aguentou a pressão por ser irmão do Rei Pelé e acabou encerrando precocemente a carreira. Zoca é solteiro, pai de um filho carioca, é executivo do grupo Pelé e cuida dos negócios do Rei em Nova York e São Vicente (SP), onde tem um apartamento na Ilha Porchat. Além de Pelé, Zoca tem uma irmã: Maria Lúcia Arantes do Nascimento Magalhães, que se casou com o ex-jogador Davi Magalhães, ex-Santos, Noroeste, Corinthians, Cruzeiro, Internacional e Ferroviária de Araraquara.

               Zoca jogou no Santos, mas a pressão na Vila por ser irmão de Pelé talvez tenha pesado demais para ele. Mesmo assim, Zoca não ficou abalado. Hoje é um obscuro e resignado executivo do grupo de seu irmão e nunca se importou com essa condição. Sempre fez questão de ajudar o Rei do Futebol e é literalmente um de seus legítimos herdeiros. Por ser irmão de Pelé, Zoca não aguentou a pressão e acabou abandonando os gramados. Algo que não aconteceu com Raí, irmão de Sócrates, que soube enfrentar a mesma situação de ter um irmão já famoso atuando pelos gramados brasileiros e também fazer um grande sucesso como o irmão.

              Zoca não deu muita sorte no futebol, pois na partida contra o América de São José do Rio Preto em 1961 na Vila Belmiro, entrou no lugar de Coutinho. Teve uma boa oportunidade, quando o alvinegro já ganhava por 6×1: um pênalti para cobrar no final do jogo… infelizmente, não conseguiu converter a cobrança…
Teve outras oportunidades, mas não conseguiu se firmar na equipe.

              Zoca, diferentemente do irmão Edson Arantes do Nascimento, marcou poucos gols em sua carreira. Pelos registros da equipe santista, foram apenas quatro, sendo um no ano de 1961 e mais três no ano de 1962, anos em que jogou pela equipe praiana.

              O gol marcado em 1961, aconteceu no dia 21 de abril, num jogo amistoso contra uma seleção do Distrito Federal. O jogo foi na Vila Planalto, em Brasília e o Peixe venceu por 4×0 com gols de Sormani, Coutinho, Tite e um gol de Zoca. Neste dia o Santos jogou com; Laércio (Lalá), Fioti, Mauro Ramos de Oliveira (Calvet) e Getúlio; Lima e Formiga; Dorval (Zoca), Mengalvio (Ney Blanco), Coutinho (Dalmo), Sormano e Pepe (Tite). O técnico foi Luiz Alonso Peres, o popular Lula. O árbitro da partida foi Olten Aires de Abreu.

             Outro gol de Zoca aconteceu somente no ano seguinte, mais precisamente no dia 6 de maio de 1962, quando o Santos perdeu para o Corinthians de Presidente Prudente por 2×1.  Os dois gols da equipe do interior foram marcados por Paulinho, enquanto que Zoca marcou o único tento santista. O jogo foi  em Presidente Prudente e neste dia o técnico Lula escalou a seguinte equipe; Silas, Getúlio, Olavo e Dalmo; Lima e Formiga; Dorval, Zoca (Luiz Cláudio), Nenê, Didi (Fioti) (Décio Brito) e Osvaldo. O árbitro da partida foi Olten Aires de Abreu.

             Outro gol marcado por Zoca com a camisa santista, aconteceu dia 21 de junho de 1962, quando Santos e Corinthians empataram em 3×3. O jogo foi na Vila Belmiro com arbitragem de Anacleto Pietrobom, que sentiu-se mal durante a partida e teve que ser substituído pelo bandeirinha nº 1, Sr. Fatore Euclides Rosa, que na época trabalhava com uma bandeira vermelha, enquanto que o bandeirinha nº 2, trabalhava sempre com uma bandeira amarela.

            Para este jogo o técnico Luca mandou a campo os seguinte jogadores; Laércio, Dalmo (Getúlio), Olavo e Décio Brito; Lima e Calvet; Dorval, Tite, Pagão (Zóca), Nenê e Osvaldo. Do outro lado o técnico Fleitas Solich escalou a seguinte equipe; Cabeção, Augusto, Eduardo e Ari Clemente; Cássio e Oreco; Bataglia, Silva (Manoelzinho), Nei, Rafael e Ferreirinha. Os gols foram marcados na seguinte ordem; Silva aos 9 minutos, Lima empatou aos 20 e Rafael colocou o Corinthians novamente na frente aos 44 minutos do primeiro tempo. Logo no início da etapa complementar, ou seja, aos 4 minutos de jogo, Dorval empatou a partida e Zoca marcou o terceiro gol santista aos 29 minutos. No último lance da partida, Manoelzinho empatou para o Corinthians.

             Sobre este gol de Manoelzinho aos 45 do segundo tempo, tem uma história que aconteceu neste jogo e ela é contada por um jovem cujo pai era corintiano doente e trabalhava na Polícia Militar de São Paulo. Neste dia ele foi escalado para trabalhar na Vila Belmiro naquele serviço em que os soldados ficam de costas para o campo só olhando para a torcida. Imaginem a aflição daquele pobre soldado querendo assistir o jogo do seu time do coração e ter que ficar de costas para o campo.

             Logo aos 9 minutos Silva faz 1 a 0 para o Corinthians, festa na arquibancada e o soldado ali sem poder dar ao menos um ar de comemoração, apenas uma olhadinha bem rápida para o campo. Mas o Santos empatou aos 20 através de Lima e foi aquela tristeza para aquele soldado, que nem quis olhar para o campo. Aos 44 minutos, Rafael fez 2 a 1 para o Corinthians e o soldado abriu aquele sorriso largo de satisfação. Fim do primeiro tempo e fim da agonia daquele pobre soldado. Mal começou a segunda etapa e logo aos 4 minutos Dorval empata novamente a partida. Para piorar a situação daquele homem, Zoca (irmão de Pelé) faz 3 a 2 para o Peixe.

             A agonia tomava conta daquele soldado. O tempo vai passando e nada do Corinthians empatar a partida, mas aos 45 minutos, no último lance da partida, Manoelzinho faz o terceiro gol corintiano, tudo igual no placar, 3 a 3. Ah o soldado que tanto sofreu, não resistiu e soltou aquele grito GOOOOOOOOOOOL. Naquele momento ele esqueceu da farda, do coldre, do distintivo no peito…esqueceu de tudo e sem sombra de dúvida, gritou, comemorando o gol do time que ele tanto amava e que por ele tudo faria.

Da esquerda para a direita – Maria Lúcia (irmã de Zoca e de Pelé), Zoca, dona Celeste (mãe de Zoca e de Pelé), Pelé e uma amiga da família
Aspirantes do Santos em 1964   –    Em pé: Maneco, Pardal, Ademir, Cido, Edevar e Vicente   –    Agachados: Zico, Zoca, Iris, Paulo Sant´ana e Doriva
Em pé: Vicente II, Edevar, Ademir, Vicente, Quito, Pardal e Élcio   –    Agachados: Noriva, Negreiros, Werneck, Zoca, Edu e Beraldo (massagista)
Os irmãos Zoca e Pelé em 1960
Aspirantes do Santos de 1960   –   Em pé: Maneco, Ademir, Pardal, Aparecido, Edevar e Vicente    –    Agachados: Zico, Zoca, Iris, Paulo Sant´ana e Doriva
Postado em Z

Deixe uma resposta