MARCOS: o São Marcos da torcida palmeireirense

                        Marcos Roberto Silveira Reis nasceu dia 4 de agosto de 1973, na cidade de Oriente – SP. Jogou no Palmeiras de 1992 até 2012, onde foi  considerado um dos maiores ídolos da história do clube. Também chamado de “São Marcos” por causa de suas defesas consideradas “milagrosas”, vestiu apenas a camisa alviverde em toda a sua carreira profissional, sendo decisivo na conquista de inúmeros títulos do clube, especialmente da Copa Libertadores da América de 1999. Foi o goleiro titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, quando a equipe conquistou seu quinto título mundial. Também com a camisa da agremiação nacional conquistou a Copa América de 1999 e a Copa das Confederações de 2005. Mesmo com forte identificação com o Palmeiras, conquistou a simpatia e a admiração de torcedores de times rivais no Brasil por conta de seu elogiado caráter e acima de tudo pela sua sinceridade, honestidade e humildade. Quando anunciou sua aposentadoria, deixou uma grande lacuna no nosso futebol.

PALMEIRAS

                       Marcos iniciou sua carreira no modesto Lençoense da cidade de Lençóis Paulista, onde atuou nas categorias de base do clube até 1992, quando foi contratado pela Sociedade Esportiva Palmeiras e se tornou atleta profissional. Aos 18 anos, prestes a completar 19, estreou no time principal do Palmeiras em um amistoso contra a Esportiva Guaratinguetá em 16 de maio de 1992, vencido por seu time pelo placar de 4 a 0, onde ele defendeu um pênalti. Depois desse jogo, Marcos continuou como o terceiro goleiro da equipe e só voltou a atuar novamente em 1996, quando já era o reserva imediato da posição, permanecendo nesta condição até 1999.

                     Em menos de três meses, Marcos se transformou de reserva do Palmeiras a principal astro da maior conquista do clube: a Copa Libertadores da América de 1999. O goleiro virou titular na quinta rodada da competição, devido a uma contusão de Velloso, e não largou mais a camisa titular. Para alegria da torcida palmeirense, suas melhores atuações foram nos dois jogos contra o arqui-rival Corinthians, nas quartas-de-final, quando fez defesas milagrosas que levaram a decisão aos pênaltis. Ao final da competição, além de receber o apelido de São Marcos, foi eleito o melhor jogador da Libertadores e a revelação do torneio continental. Em 2000, reforçou sua condição de ídolo com grandes apresentações, com destaque para as partidas das épicas semifinais da Libertadores contra o Corinthians. Depois de dois duelos no tempo normal bastante disputados, o primeiro com vitória do clube alvinegro por 4 a 3 e o segundo com vitória alviverde por 3 a 2, a decisão da vaga para a final foi para os pênaltis. Marcos defendeu a última cobrança, feita por Marcelinho Carioca, ídolo da torcida corintiana na época, garantindo a classificação do seu time para mais uma final, em que, após dois empates, perdeu o título para o Boca Juniors da Argentina em nova decisão por pênaltis.

                    Em 2001, novamente na Libertadores da América, foi decisivo para o Palmeiras chegar novamente às semifinais da competição. Nas quartas-de-final, depois de dois empates no tempo normal contra o Cruzeiro, por 3 a 3 no Estádio Palestra Itália e por 2 a 2 no Estádio do Mineirão, a vaga para a fase seguinte foi para os pênaltis. Marcos defendeu três cobranças da equipe adversária e classificou a equipe paulista. Nas semifinais, contra o Boca Juniors, após dois jogos empatados por 2 a 2, o Palmeiras foi eliminado nos pênaltis.

SELEÇÃO BRASILEIRA

                   Em 2002, foi o goleiro titular da Seleção Brasileira campeão da Copa do Mundo, no Japão e na Coréia do Sul, sendo o único jogador da Seleção a não ser substituído em toda a Copa pelo técnico Felipão. Seus reservas eram Dida e Rogério Ceni. Participou da Copa onde defendeu uma cobrança de falta de Neuville na final contra a Alemanha, que foi eleita a melhor defesa da competição pela FIFA. No mesmo ano, foi eleito o terceiro melhor goleiro do mundo, ficando atrás de Oliver Kahn (então vice-campeão do mundo) e Rüstü Reçber (goleiro do brilhante time da turquia em 2002).

DIFICULDADES

                   Em 2002, após a Copa do Mundo, o Palmeiras no Campeonato Brasileiro daquele ano acabou rebaixado para a Série B. Com uma proposta do Arsenal da Inglaterra para substituir David Seaman, a paixão de Marcos por sua família e pelo Palmeiras o fizeram permanecer no Brasil, para levar o time de volta à primeira divisão, o que ocorreu no ano de 2003. Além da tentativa do time inglês, recusou propostas de Cruzeiro, Fluminense, Internacional e Vasco para jogar na primeira divisão do futebol brasileiro. Sobre o episódio com o Arsenal, Marcos comentou: “Deixei de ser apenas um jogador de futebol quando recusei uma proposta de R$ 45 milhões para jogar no Arsenal, da Inglaterra, e preferi disputar a Série B do Brasileiro pelo Palmeiras.”

                   Em 2007, sofreu nova contusão contra o Juventus no dia 11 de março pelo Campeonato Paulista. Voltou aos gramados como reserva no jogo contra o rival Corinthians em que o Palmeiras venceu por 1 a 0, porém uma nova lesão, em meados de 2007, o afastou mais uma vez dos gramados. Em 2008, depois de mais de 11 meses fora, Marcos voltou a ser titular no jogo contra o Guaratinguetá na 7ª rodada do Paulistão e depois disto, não saiu mais do gol alviverde, assumindo o posto de goleiro “favorito” do técnico Vanderlei Luxemburgo, pois Diego Cavalieri estava em grande ascensão.

VOLTA POR CIMA

                   No dia 4 de maio de 2008, sagrou-se Campeão Paulista. No dia 21 de setembro fez 400 jogos com a camisa do Palmeiras. No dia 1 de novembro de 2008, perdeu o pai, Ladislau Silveira Reis, de 73 anos que, em consequência de problemas cardíacos, veio a falecer às 6 horas da manhã em Marília-SP (a 21 km da cidade natal de Marcos, Oriente-SP), e por isso foi poupado do confronto entre Palmeiras e Santos; no jogo houve um minuto de silêncio em homenagem ao pai do jogador. No dia 1º de dezembro de 2008, o goleiro Marcos foi eleito pela IFFHS o 3º jogador mais popular do mundo ficando na frente de nomes como: o português Cristiano Ronaldo, Kaká, Messi, Ronaldinho Gaúcho e o companheiro de posição e rival Rogério Ceni. Além disso, foi eleito o 3º melhor goleiro do Campeonato Brasileiro de 2008. No dia 12 de maio de 2009, em jogo contra o Sport Recife válido pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores da América, Marcos defendendo três cobranças adversárias nas disputas de pênaltis, garantiu a ida do Palmeiras às quartas-de-final.

                   No dia 14 de março de 2010, em clássico disputado contra o Santos, Marcos entrou em campo com a camisa do Palmeiras pela 483ª vez, tornando-se o segundo goleiro a disputar mais partidas pela equipe alviverde em toda a história e ficando atrás apenas de Emerson Leão, que disputou 617 jogos com a camisa da equipe. No dia 21 de abril de 2010, em partida disputada contra o Atlético Paranaense, entrou em campo com a camisa do Palmeiras pela 489ª vez, tornando-se o oitavo jogador a disputar mais partidas pelo clube em toda a história. Em 9 de julho de 2010, na festa de despedida do Estádio Palestra Itália para transformação numa arena multiuso, Marcos foi homenageado com uma placa comemorativa, antes de um amistoso contra o Boca Juniors, já que foi o jogador que mais atuou em toda a história do antigo estádio. Foram 211 partidas disputadas desde 1996, quando entrou em campo pela primeira vez com a camisa do Palmeiras. No dia 19 de agosto de 2010, em jogo contra o Vitória pela Copa Sul-Americana de 2010, o goleiro Marcos alcançou a histórica marca de 500 jogos pelo Palmeiras. Neste jogo o Palmeiras venceu a equipe baiana por 3 a 0 e avançou para as oitavas-de-final da competição. Um jogo antes, no dia 14 de agosto de 2010, quando o Palmeiras derrotou o Atlético Paranaense por 2 a 0, pelo Campeonato Brasileiro de 2010, Marcos já havia atingido outra marca: ultrapassou Djalma Santos em número de jogos pelo alviverde e se tornou o sétimo jogador a disputar mais partidas pelo Palmeiras em toda a história. Ao todo disputou 530 partidas pelo Palmeiras, uma marca que dificilmente outro atleta irá igualar.

APOSENTADORIA

                   Ao longo de sua carreira as lesões sempre estiveram presentes na vida do goleiro, e a possibilidade sempre estiverem presentes como em 2000, quando fraturou o punho esquerdo e, precisou ser operado. Mas a possibilidade de aposentadoria do então goleiro com 26 anos, foi descartada. No ano de 2011, as dores estavam mais presentes por todo o corpo. Era visível nos jogos: tanto que das 69 partidas do time Marcos jogou apenas 27. Na reapresentação do elenco para a temporada 2012, em reunião com a diretoria palmeirense Marcos anunciou sua aposentadoria. Sua última partida como profissional foi realizada em 18 de setembro de 2011, quando o Palmeiras empatou por 1 a 1, contra o Avaí, em Florianópolis, pelo Campeonato Brasileiro. Foi uma surpresa, quando o gerente de futebol César Sampaio anunciou a aposentadoria do goleiro Marcos, 38 anos, pentacampeão mundial com a seleção em 2002, mas foi uma decisão dele. Valeu Marcão!

Em pé: Lúcio, Cafú, Roque Junior, Edmilson, Emerson e Marcos        –      Agachados: Roberto Carlos, Kleberson, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo

 

Postado em M

Deixe uma resposta