CATANOCE: mais um jogador que virou treinador

                Paulo Cezar Catanoce nasceu dia 8 de novembro de 1964, na cidade de Onda Verde – SP., uma pequena cidade da região de São José do Rio Preto.  Foi revelado pelo América de Rio Preto e depois passou pelo Corinthians, onde ficou por dois anos. Ao deixar o Parque São Jorge foi jogar no Santa Cruz, de Recife, cujo técnico era Abel Braga. Defendeu a seleção de juniors em 1982 e 1983. Em 1984 jogou pela seleção brasileira olímpica, treinada por Jair Picerni, que também o convocou para a seleção de novos, para disputar um pré-olímpico no Chile. Depois que encerrou a carreira de jogador, passou a trabalhar como treinador e nesta nova profissão também já conseguiu deixar seu nome gravado dentro do nosso futebol, pelos belíssimos resultados que já conquistou e ainda vem conquistando, pois ainda está na ativa. Atualmente é o treinador da Associação Atlética Internacional de Limeira, onde faz um bom trabalho na Copa Paulista e pretende levar a Veterana à Série A-2 no próximo ano e quem sabe à elite do futebol paulista em 2015.

INÍCIO DE CARREIRA

               Paulo Cezar Catanoce começou a carreira em times amadores da região de Rio Preto. No final de 1980, defendeu o Granadense, de Nova Granada, contra o juvenil do América, numa preliminar no estádio Mário Alves Mendonça. Perdeu de 3 a 1, mas após o jogo, dirigentes do América o chamaram para jogar pelo clube. Defendeu o América no Paulista Juvenil e em setembro de 1981, o técnico João Leal Neto o convidou para treinar entre os profissionais. Estreou na vitória de 3 a 1 sobre o Paranavaí, em amistoso disputado no Paraná, justamente no dia em que completava 17 anos.

AMÉRICA DE RIO PRETO

A estreia oficial de Catanoce no time principal do América ocorreu dia 4 de dezembro de 1982, no empate sem gols com a Portuguesa de Desportos, no Canindé, na última rodada do Paulistão. O América terminou o campeonato em 14º lugar, com 34 pontos. Catanoce ficou no América até 1986. Neste tempo em que esteve no clube foi convocado para a seleção de juniores em 1982 e 1983 pelo treinador Osvaldo Brandão. Ainda esteve na Seleção Pré-Olímpica, junto com Taffarel, Dunga, Mauro Galvão, entre outros. Com as cores do América, Catanoce disputou cinco Campeonatos Paulistas até que começaram os assédios por parte dos grandes clubes. E estes assédios de várias agremiações se justificava pelo bom desempenho do meio-campista no Paulistão.

               Com um potente chute de perna direita, mesmo jogando como volante, Catanoce fez cinco gols, deixando sua marca nos empates de 1 a 1 contra Mogi Mirim e contra o São Paulo, e nas vitórias de 3 a 0 diante do São Bento, de 2 a 1 contra o Juventus, dia 17 de agosto de 1986, na rua Javari, na última rodada da competição e na despedida dele pelo América. Aliás, nos 3 a 0 contra o São Bento, Catanoce abriu o placar aos 16 segundos do segundo tempo. E o quinto gol com a camisa do América foi contra o Palmeiras no dia 5 de outubro de 1985, pelo segundo turno do Campeonato Paulista.

              O jogo foi no estádio Mário Alves Mendonça, em Rio Preto e neste dia o América venceu por 1 a 0, gol de Paulo Cezar Catanoce aos 24 minutos do segundo tempo. Neste dia o técnico Urubatão (ex-craque do Santos) mandou a campo a seguinte equipe; Barbiroto, Cardoso, Orlando Fumaça, Roberto Fonseca e Babá; Paulo César Catanoce, Amado e Toninho; Izael, Luiz Fernando Gaucho e Vilmar. O árbitro da partida foi José Luis Guidotti. Por tudo isso, o nome de Catanoce ainda hoje é lembrado com muito carinho pelos torcedores do América de São José do Rio Preto.

CORINTHIANS

                  Assim que terminou o Campeonato Paulista de 1986, vários clubes grandes brigavam pela contratação do volante Paulo Cezar Catanoce, a maior revelação do América naquela temporada. Palmeiras, Santos, Guarani e Ponte Preta estavam na parada, mas quem levou a melhor foi o Corinthians, que pagou Cz$ 1,6 milhão. Catanoce apresentou-se na quarta-feira, 3 de setembro de 1986, ao técnico Jorge Vieira, no Corinthians. Vale lembrar que neste mesmo dia a Inter de Limeira sagrava-se Campeã Paulista, ao derrotar o Palmeiras por 2 a 1 em pleno Morumbi. A estreia de Catanoce com a camisa corintiana aconteceu no dia 14 de setembro de 1986, quando o alvinegro goleou o Sergipe por 6 a 0 pelo Campeonato Brasileiro. O jogo foi realizado no Pacaembu e neste dia o técnico Jorge Vieira mandou a campo os seguintes jogadores; Carlos, César, Luiz Pereira (Jatobá), Edivaldo e Jacenir; Wilson Mano (Catanoce), Biro Biro e Cristóvão; Cacau, Casagrande e Eduardo. Os gols foram marcados por Casagrande (3), Biro Biro, Cacau e Cristóvão.

               Sua última partida defendendo as cores do alvinegro de Parque São Jorge foi no dia 24 de janeiro de 1988, quando o Corinthians empatou com a Caldense em 1 a 1 num jogo amistoso realizado na cidade de Poços de Caldas. Neste dia o técnico Formiga (ex-craque do Santos) escalou a seguinte equipe; Waldir Perez, Edson, Marcelo, Dama e Dida; Márcio, Wilson Mano e João Paulo; Eduardo, Marcos Roberto e João Carlos (Catanoce).  Com a camisa do Corinthians disputou 29 partidas. Venceu 13, empatou 11 e perdeu 5. Depois que deixou o Corinthians, jogou em diversos clubes; Noroeste de Bauru, Santo André, Santa Cruz do Recife, onde disputou a Copa União com o treinador Abel Braga, depois disputou o Campeonato Brasileiro pelo Operário de Campo Grande, São Bento de Sorocaba, Bandeirantes de Birigui, Goiatuba, Joinvile e Garça onde encerrou a carreira em 1998.

TREINADOR
               Quando o final de sua carreira como jogador se aproximava, Catanoce já foi se preparando para ser técnico. Fez faculdade (formado em Educação Física e Motricidade Humana pela Unorp de Rio Preto), simpósios de futebol, onde teve palestras com nomes como; Nelsinho Batista e Wanderley Luxemburgo. Foi assim se projetando para iniciar uma nova carreira. Teve facilidade na nova função porque na maioria dos times que jogou sempre foi capitão e tinha certa liderança no grupo de jogadores, isto facilitou muito. Tudo começou quando Catanoce recebeu o convite para ser o treinador do Flamengo de Guarulhos, na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1997, clube que na época tinha parceria com o Marília. Foi o ponto de partida para abraçar a nova carreira.

               Depois voltou ao Marília para ser auxiliar técnico da equipe e no ano seguinte assumiu o time como o treinador do time profissional. Depois do Marília foi técnico do Barretos, Taubaté, Linense, Taquaritinga (vice-campeão da série A-2 do paulista em 2004). Em 2005 Catanoce subiu o XV de Piracicaba do A-3 para o A-2. Dirigiu ainda o Botafogo de Ribeirão Preto, Ferroviária, Mirassol, Rio Claro, pelo qual garantiu uma vaga na Série C do Campeonato Brasileiro, Rio Branco de Andradas (campeão do interior de 2009 e eleito o técnico revelação daquele campeonato), Volta Redonda, Oeste de Itápolis, Caldense, Comercial de Ribeirão Preto e hoje está na Internacional de Limeira.

INTER DE LIMEIRA

               Depois de um início desastroso na Série A-3 deste ano, a diretoria do Leão da Paulista correu atrás de um técnico experiente e ao mesmo tempo competente, e o nome lembrado foi Paulo Cezar Catanoce, que aceitou mais este desafio em sua carreira. Catanoce chegou na Inter dia 13 de fevereiro para substituir o então técnico Ricardo Moraes. Nesta época, o clube vivia seu pior momento no Campeonato Paulista da Série A-3 de 2013. Nos quatro primeiros jogos da competição, a Inter não havia somado nenhum ponto. Tendo no currículo alguns acessos, Catanoce ajeitou a casa. Indicou jogadores que já haviam trabalhado com ele e, principalmente, deu tranquilidade para aqueles que faziam parte do elenco. Sua estreia aconteceu dia 16 de fevereiro, quando a equipe leonina recebeu o São Vicente no Limeirão e venceu por 1 a 0.  

               Infelizmente Catanoce chegou tarde para comandar o Leão da Paulista, mesmo assim, quase conseguiu o acesso para a Série A-2 do futebol paulista. Devido ao seu bom trabalho e a confirmação da Inter na Copa Paulista, o presidente Taymon Bueno acertou a renovação de contrato do técnico Paulo Cezar Catanoce. Com isso, o treinador permanece no clube até 2014. No momento a Internacional está disputando a Copa Paulista, competição que dá ao ganhador uma vaga na Copa do Brasil. A equipe já está classificada para a fase seguinte e isto deixa o torcedor leonino feliz, pois sabe que o trabalho de Catanoce é sério e pretende levar a Inter a elite do futebol paulista. Provas ele já deu, pois já quebrou o recorde de invencibilidade de um treinador em seu início de trabalho pela Inter, ficando os nove primeiros jogos sem perder, com cinco vitórias e quatro empates, superando o até então recordista Waldir Perez.  Muito em breve Catanoce estará entre os 10 treinadores que mais comandaram a Inter.

               Este é Paulo Cezar Catanoce, um homem que teve uma carreira brilhante como jogador de futebol e atualmente repete a dose como treinador. Passou por diversos clubes, sempre deixando grandes amigos e as portas abertas, pois sempre procurou trabalhar de uma forma justa e honesta. Chegou na Inter de Limeira num momento nebuloso, no entanto, chegou trazendo novos ares com sua experiência de vida e uma enorme bagagem no futebol brasileiro. Aos poucos foi mostrando sua capacidade e hoje é um homem de confiança da direção do clube, como também da imensa torcida leonina, que deposita nele a certeza que ele levará a Associação Atlética Internacional ao lugar de onde nunca deveria ter saído, ou seja, a elite do futebol paulista, onde um dia a Veterana já conquistou o tão ambicionado título. Parabéns Catanoce, por tudo que você já fez e continua fazendo pelo futebol do nosso interior.

Em pé: Roberto Costa, Ricardo, Catanoce, Daniel, Admilson e Marcos Vinicius    –     Agachados: Emo, Serrano, Cesar, Toninho e Ferreira
Em pé: Catanoce, Roberto, Xande, Moacir, Daniel e Orlando Fumaça    –     Agachados: Isael, Serrano, Gilson, Toninho e Mazzola
Em pé: Casagrande, Catanoce, Edmar, Biro Biro, João Paulo e Carlos    –   Agachados: Edivaldo, Jacenir, Edson, Wilson Mano e Luiz Pereira
Postado em C

Deixe uma resposta