GETÚLIO: conquistou diversos títulos pelo Santos F.C.

                         Getúlio Santos da Silva nasceu dia 7 de julho de 1931, no Rio de Janeiro. Foi um excelente lateral direito. Teve a honra de jogar no Fluminense do Rio de Janeiro, onde atuou nas categorias de base e depois no profissional ao lado de Telê Santana de 1951 até 1955,  depois passou pelo Jabaquara da cidade de Santos e finalmente chegou à Vila Belmiro, onde participou de um dos maiores times do planeta, tendo Pelé como integrante desse time que encantou o mundo.

                         Em 1959, um ano que o futebol paulista era recheado de craques, teve a honra de defender a seleção paulista, cujo time era formado por; Gilmar, Getúlio, Olavo, Formiga e Zé Carlos; Zito e Chinesinho; Julinho, Servilio, Pelé e Pepe. Nessa época cada estado formava sua seleção para disputar o campeonato entre seleções dos estados brasileiros.

SANTOS F.C.

                         Depois de uma breve passagem pelo Jabaquara, os dirigentes do Santos foram busca-lo para integrar o elenco da equipe santista. Getúlio chegou à Vila Belmiro na mesma época que Pelé, ou seja em 1956. Sua estreia com a camisa santista aconteceu no dia 26 de abril de 1957, quando o Peixe derrotou o São Paulo por 3×1, gols de Del Vecchio, Pelé e Pagão, enquanto que Dino Sani marcou para o Tricolor.

                         Neste dia o técnico Luiz Alonso Peres, o popular Lula, mandou a campo os seguintes jogadores; Manga, Hélvio (Getúlio) e Ivan; Ramiro, Urubatão e Zito; Dorval (Pelé), Álvaro, Pagão, Del Vecchio e Tite. Do outro lado o técnico Bela Guttman escalo a seguinte equipe; Paulo, De Sordi e Mauro Ramos de Oliveira; Alfredo, Ademar e Pinheiro; Maurinho, Baltazar (Sarará), Gino, Dino Sani e Canhoteiro. Este jogo foi no Pacaembu, que recebeu um público de 19.498 pagantes. O árbitro foi Antônio Musitano e o jogo foi válido pelo Torneio Rio-São Paulo.

                         Naquela época os zagueiros raramente passavam do meio de campo, sendo assim, Getúlio marcou apenas dois gols com a camisa do Peixe. O primeiro foi no dia 17 de maio de 1958, quando o Santos goleou o Sírio Libanês por 7×1, num jogo amistoso realizado no estádio Pedro Ludovico, em Goiânia, Goiás. Os outros seis gols do Peixe foram marcados por Jair da Rosa Pinto (2), Álvaro (2), Dorval e Coutinho. O único tento da equipe adversária foi marcado por Bil Brair. Neste dia o Santos jogou com; Manga (Laércio); Getúlio (Pinduca) e Dalmo; Feijó, Ramiro e Fioti; Dorval, Álvaro, Guerra (Raimundinho), Jair Rosa Pinto (Coutinho) e Hélio.

                          Pelo Santos, Getúlio disputou 296 jogos, sendo que em 1957 fez 25 jogos, em 1958 – 69 jogos, em 1959 – 74 jogos, em 1960 – 45 jogos, em 1961 – 53 jogos e em 1962 – 30 jogos.  O lado negativo foi que nesse período marcou três gols contra e foi expulso quatro vezes.

                          Não era titular absoluto, mas era peça fundamental na defesa santista. Prova disso, são os números do zagueiro. Em sua passagem, atuou em 296 partidas, e está entre os 50 jogadores que mais atuaram pelo Santos. Devido a sua categoria, atuou também diversas vezas pela Seleção Paulista, em jogos válidos pelo extinto Campeonato Brasileiro de Seleções.  Durante esse período que jogou no Santos, ele saiu durante um breve período para o Noroeste, por empréstimo.

TÍTULOS

                          Além da conquista da Taça Libertadores da América em 1962, o zagueiro esteve presente em dois títulos da Taça Brasil (1961 e 1962), três do Campeonato Paulista (1958, 1960 e 1961), e o Torneio Itália e do Torneio Cidade de Paris (França).

TRISTEZA

                          Depois de sofrer do Mal de Alzheimer por dois anos, Getúlio veio a falecer no dia 15 de setembro de 2008, no Rio de Janeiro, aos 77 anos de idade, por falência múltipla dos órgãos, devido a complicações de uma hepatite. O enterro aconteceu no cemitério da Pechincha, no bairro de Jacarepaguá, na capital carioca. Ele deixou a esposa, Dona Ivone, o filho Paulo e dois netos: Vitor e Érica. O presidente santista Marcelo Teixeira enviou condolências à família e decretou três dias de luto no clube. “Getúlio foi um grande zagueiro, campeão várias vezes pelo Santos. O clube se une a família neste momento de dor”, disse Teixeira por intermédio da assessoria de imprensa do clube.

1960   –  Em pé: Zito, Urubatão, Dalmo, Formiga, Getúlio e Laércio    –    Agachados: Dorval, Mário, Ney Blanco, Pelé, Pepe e o massagista Macedo
1957  –  Em pé: Fioti, Ramiro, Getúlio, Veludo, Zito e Dalmo    –     Agachados: Tite, Álvaro, Pelé, Pagão e Pepe
Em pé: Lula (técnico), Feijó, Dalmo, Zito, Fioti, Urubatão, Manga, Laércio, Hélvio e Getúlio   –    Agachados: Dorval, Hélio, Álvaro, Afonso, Pagão, Del Vecchio, Pelé, Pepe e Macedo (massagista)
Em pé: Dalmo, Fioti, Ramiro, Getúlio, Urubatão e Manga   –    Agachados: Hélio Canjica, Álvaro, Baianinho, Guerra e Dorval
Em pé: Dalmo, Zito, Urubatão, Formiga, Getúlio e Laércio   –    Agachados: Dorval, Jair Rosa Pinto, Coutinho, Pelé e Pepe
Em pé: Formiga, Dalmo, Zito, Mauro Ramos de Oliveira, Getúlio e Laércio   –    Agachados: Sormani, Mengálvio, Ney Blanco, Pelé e Pepe
Em pé: Getúlio, Edson, Pinheiro, Veludo, Lafaiete e Victor    –    Agachados: Telê Santana, Robson, Waldo, Didi e Escurinho
Em pé: Zito, Ramiro, Manga, Urubatão, Getúlio, Dalmo e o massagista Macedo    –    Agachados: Dorval, Jair Rosa Pinto, Pagão, Pelé e Pepe
Em pé: Zito, Olavo, Formiga, Getúlio, Zé Carlos e Gilmar    –     Agachados: Julinho, Pelé, Servilio, Chinesinho e Pepe

Postado em G

Deixe uma resposta