NENÊ: bicampeão paulista pelo São Paulo em 1970 e 1971

                      Érico de Paula C. Filho nasceu dia 8 de setembro de 1944, no município de Jaboatão dos Guararapes (PE). Mais conhecido no mundo da bola como “Nenê”. Iniciou sua trajetória em equipes amadoras da cidade de Bauru (SP). Em 1963 ganhou destaque pelo Barra Grande Futebol Clube de Lençóis Paulista (SP). Na temporada seguinte, Nenê jogou pelo Piraju Futebol Clube, até ser descoberto pelo São Paulo Futebol Clube em 1965.

SÃO PAULO F.C.

                     Em uma época onde cada centavo era destinado nas obras de conclusão do Estádio do Morumbi, os dirigentes apostavam suas fichas em veteranos consagrados, ou ainda em valores promissores do opulento interior paulista Conhecido pelos companheiros como “Nenê Boteco” ou “Nenê Peito de Pombo”, o jovem pernambucano foi apresentado ao técnico argentino Jim López como uma boa opção de meia-cancha. Meio-campista de origem, Nenê costumava jogar como médio-volante e também era aproveitado como meia-armador.

                    Quando chegou ao Morumbi estava acompanhado de seu amigo e companheiro de time de Piraju, o ponta-direita Peter. À época, o São Paulo contratou também o ponta-esquerda Valdir, do Bandeirante de Birigui-SP, e o lateral-esquerdo Serafim, do União Bandeirante de Bandeirantes-PR. Eram tempos difíceis pelos lados do Morumbi devido à construção do estádio Cícero Pompeu de Toledo, que fez o São Paulo amargar 13 anos na fila.

                     No São Paulo, Nenê participou da boa campanha no campeonato paulista de 1967, quando o tricolor esteve bem perto do título, mas deixou o “caneco” escapar depois de um empate contra o Corinthians e uma derrota para o Santos.

                     Nos anos seguintes, o Santos continuou dominando o cenário paulista e também faturou o título nas edições de 1968 e 1969. Na temporada de 1970, o futebol de Nenê foi determinante na subida de produção do time comandado por Zezé Moreira, que começou oscilante na competição e só ganhou confiança após o grande triunfo sobre o Santos no Parque Antártica por 3×2.

                     Depois de confirmar o título na vitória por 2×1 contra o Guarani em Campinas, o técnico Zezé Moreira contou novamente com Nenê para o último compromisso do campeonato paulista de 1970. E no jogo das “faixas de campeão”, o São Paulo venceu o clássico contra o Corinthians por 1×0, gol de Paraná.

                     Este jogo aconteceu dia 13 de setembro de 1970 e foi disputado no estádio do Morumbi. Para esta partida o técnico Zezé Moreira escalou a seguinte equipe. Sérgio, Forlan, Jurandir, Roberto Dias e Gilberto; Edson e Nenê; Paulo, Terto (Zé Roberto), Toninho Guerreiro e Paraná. Do outro lado o técnico Dino Sani mandou a campo os seguintes jogadores; Ado, Miranda, Ditão, Luiz Carlos e Pedrinho; Suingue, Tião e Rivelino; Paulo Borges, Servilio e Célio (Benê).

                     Nenê ainda fez parte do elenco que faturou o bicampeonato paulista em 1971. O meio-campista jogou pelo time do Morumbi até 1973, quando foi transferido para o Clube Náutico Capibaribe (PE). Pelo São Paulo foram 260 partidas com 123 vitórias, 69 empates, 68 derrotas e 22 gols marcados.

OUTROS CLUBES

                     Nenê permaneceu no futebol pernambucano até o findar do primeiro semestre de 1974, quando foi negociado em definitivo com o Colorado Esporte Clube (PR). Campeão da segunda edição da Taça Cidade de Curitiba em 1975, Nenê continuou no Colorado até firmar compromisso por empréstimo com o Coritiba Foot Ball Club, que na época se preparava para disputar o Campeonato Brasileiro e Paranaense.

                     Em 1978 voltou ao cenário paulista para jogar pelo Esporte Clube São Bento da cidade de Sorocaba (SP). Também foi jogador e treinador do Marília Atlético Clube. Formado em Educação Física, Nenê treinou depois o mesmo São Bento e o Clube Atlético Sorocaba, equipe onde inclusive ocupou o cargo de Gerente de Futebol. Sem conseguir ficar longe do futebol, Nenê foi comentarista esportivo em Sorocaba, cidade em que também faleceu no dia 29 de outubro de 2014.

                      O ex-jogador lutava contra um câncer e sofreu um AVC quatro dias antes de sua morte. Nenê morava em Sorocaba-SP, onde era empresário e revelava jogadores.

Em pé: Renato, Edilson, Roberto Dias, Lourival, Jurandir e Picasso   –    Agachados: Walter Zum-Zum, Adilson, Djair, Nenê e Paraná

Em pé: Oswaldo Cunha, Nenê, Bellini, Adevaldo, Tenente e Fábio    –     Agachados: Ferreti, Prado, Babá, Benê e Fefeu

Em pé: Osvaldo Cunha, Tenente, Bellini, Carlos Alberto, Fábio e Nenê    –    Agachados: Paraná, Prado, Babá, Fefeu e Adíber
1969    –  Em pé: Roberto Dias, Cláudio Deodato, Terto, Edson, Jurandir e Picasso    –    Agachados: Paraná, Zé Roberto, Teia, Nenê e Babá
Em pé: Moacir, Arlindo, Paulo Nani, Virgílio, Chicão e Teodoro    –    Agachados: Terto, Muricy Ramalho, Nenê, Paraná e Toninho II

Marília em 1978    –    Em pé: Valdirzinho, Sony, Reinaldo, Clodoaldo, Márcio Rossini  e Zecão    –    Agachados: Luis Silvio, Nenê, Jorginho, Serginho Índio e Ferreira
Em pé: Nenê, Roberto Dias, Celso, Edilson, Eduardo e Picasso    –    Agachados: Miruca, Terto, Babá, Benê e Paraná
Postado em N

Deixe uma resposta