REI: jogou no Coritiba, Vasco e na nossa seleção

                 José Fontana nasceu dia 19 de março de 1912, na cidade de Curitiba – PR. No Brasil nós temos o rei do futebol, que é o Pelé, o rei da música, que é o Roberto Carlos, enfim, temos vários Reis. Este jogador ao qual estamos fazendo esta homenagem no dia de hoje, era conhecido no futebol pelo apelido de “Rei”, pois era chamado pelos seus companheiros de clube de “Rei dos Vagabundos”. Isto aconteceu em 1928, quando José Fontana, um jovem gandula do Coritiba F.C. costumava ficar atrás do gol sempre deitado e mascando capim a espera de uma bola para buscar.

                 O então capitão da equipe paranaense, o meia campista Pizzatto, logo o apelidou de “Rei dos Vagabundos”. Mais tarde se tornou um goleiro profissional e não ficava bem chama-lo por aquele apelido, sendo assim, passou a ser chamado simplesmente de Rei.  Depois de fazer um grande sucesso no gol do Coritiba, equipe em que começou sua carreira no futebol, foi jogar no Rio de Janeiro, mais precisamente no Vasco da Gama e devido suas boas apresentações, chegou a defender nossa seleção brasileira em três oportunidades.

INÍCIO DE CARREIRA

                Quando José Fontana, o Rei, tinha 16 anos de idade, era gandula do Coritiba. Certo dia, num dos treinos da equipe, o goleiro titular não compareceu. Foi ai que o capitão da equipe, o mesmo que havia colocado o apelido de Rei dos Vagabundos naquele jovem gandula, o convidou para jogar no gol, para que pudesse completar o time. Aquele jovem não pensou duas vezes, correu no vestiário, pegou o uniforme de goleiro e entrou em campo. Sua atuação naquele treino deixou a todos atônitos, tal foi sua performance, simplesmente fechou o gol. No dia seguinte, correram na Federação para registra-lo, pois viram que tinham acabado de encontrar uma joia rara, um diamante que precisava ser lapidado, mas isto com o tempo eles fariam.

                Sua estreia seria no domingo seguinte, mesmo com o goleiro titular tendo aparecido e justificado sua ausência naquele treino da semana. E quem era o adversário do Coritiba naquele domingo?  Simplesmente o Atlético Paranaense, o maior rival do Coxa. Para este jogo válido pelo Torneio Início do Campeonato Paranaense, o Coritiba entrou em campo com a seguinte formação; Rei, Cuca, Contin, Moacir e Corruíra; Pizzatto e Lothardo; Laudelino, Emílio, Ângelo e Carnieri.

               O jogo terminou com a vitória do Coritiba por 1 a 0, tendo o jovem goleiro Rei, sido considerado o melhor jogador em campo, pois simplesmente fechou o gol.  Como reconhecimento pelo que fez naquele jogo, a diretoria do Coritiba no dia seguinte lhe deu um terno e um passe de bonde de presente, o que o deixou super feliz. O Coritiba foi campeão do Torneio Início daquele ano e durante todo o Torneio, Rei não tomou nenhum gol. Foi eleito o melhor jogador da competição e durante um bom tempo foi o titular absoluto da equipe.

              Com as mãos muito grandes, Rei costuma debochar dos adversários defendendo determinados chutes com apenas uma das mãos, provocando grande aflição na torcida e irritação nos adversários. Ainda naquele ano pelo Campeonato Paranaense, o Coritiba voltou a vencer o Atlético, desta vez por 6 a 1. Vale lembrar que o único gol do Atlético foi contra de um zagueiro do Coritiba.

             Em 1931, Rei ajuda o Coritiba a conquistar seu 3º título estadual ao vencer o Guarani de Ponta Grossa por 3 a 2 no dia 10 de abril de 1932. Foi uma campanha maravilhosa, pois dos 14 jogos disputados, venceu 12, empatou 1 e perdeu somente uma vez. O Coxa teve uma média de quase 6 gols por partida. O treinador da equipe coritibana era Moacir Gonçalves, que também foi jogador do Coxa, o qual entrou para a história do clube por ser o primeiro negro a vestir a camisa do Coritiba.

             Rei, como ficou conhecido, foi um dos grandes goleiros que passaram pelo futebol paranaense. Quem o viu jogar, garante. Se o José Fontana, o Rei, aos 16, Pelé com a mesma idade, entre outros despontaram jovens para a majestade, significa que o mundo está aberto para novos reis. Rei jogou no Coritiba até 1933, quando deixou Curitiba e foi jogar no Vasco da Gama do Rio de Janeiro.

VASCO DA GAMA

               O Vasco procurava um goleiro para preencher a lacuna deixada pela ida de Jaguaré para a Europa, mais precisamente ao Barcelona, então foi buscar o goleiro Rei, que fazia muito sucesso na época jogando pelo Coritiba. O paranaense assombrou desde o início e logo alcançou a Seleção Brasileira. No Vasco, conquistou os títulos cariocas de 1934 e 1936. No Rio de Janeiro, aquele jovem simples e humilde de Curitiba deixou de existir. Rei parecia ser outra pessoa, por sua maneira impecável de vestir-se.

               Sempre com fama de galã, Rei frequentava reuniões sociais no Rio e teve muitas namoradas, mas um dos seus casos mais famosos foi com a cantora Aracy de Almeida, com quem viveu durante quatro anos. Certa vez, quase foi agredido pelo artista norte-americano Tyrone Power, em virtude de ter cortejado sua namorada Annabella, no Cassino da Urca.

               A cantora Aracy de Almeida naquela época em que estava casada com Rei era uma das principais cantoras do Brasil, pois fazia muito sucesso e era muito procurada pelas rádios, revistas e principalmente por compositores, que faziam questão de ter pelo menos uma música gravada por ela, pois sabiam que era sucesso garantido. Certo dia, Rei estava sozinho em casa e para aproveitar o tempo resolveu tirar o pó dos móveis, pois Aracy de Almeida era muito caprichosa e gostava de ver a casa brilhando.

               De repente, alguém bate palma no portão. Rei saiu para atender. Era o senhor David Nasser, um compositor daquela época. Estava muito bem vestido e de uma forma muito elegante se apresentou e disse que não iria embora enquanto não falasse com Aracy, pois fazia questão que ela gravasse uma música dele. Foi aí que Rei usou de sua malandragem e aplicou o golpe naquele senhor.

              Educadamente pediu para que o tal compositor entrasse em sua casa e foi logo dizendo que Aracy ouvia muito seus conselhos, pois quando ele dizia para não gravar uma música, por mais bonita que fosse, ela não gravava e da mesma forma se ele pedisse para gravar uma música, mesmo sendo horrível ela gravava. E logo foi dizendo ao compositor, “vamos combinar uma coisa, como estou com problemas na coluna, por favor encere a casa para mim e como recompensa eu pedirei à Aracy para gravar sua música”.  O pobre do compositor não pensou duas vezes, imediatamente empunhou o vassourão e, em duas horas, o chão estava brilhando.

              Depois de algumas horas Aracy chegou em casa e surpreendeu-se com o belíssimo trabalho. Rei dando muita gargalhada, contou a história para Aracy e pediu-lhe que gravasse uma música daquele pobre coitado, pois ele havia prometido que se ela gravasse, ele voltaria mais vezes para fazer outros trabalhos. E Aracy acabou gravando a canção “Com razão ou sem razão” e realmente fez um grande sucesso.  O amor é realmente lindo.

              Rei chegou no Vasco em 1933 e neste ano a equipe era assim formada; Rei, Lino e Itália; Gingo, Fausto e Molla; Baianinho, Almir, Neném, Carrieri e Carreiro. Esta foi a equipe que derrotou o Corinthians no dia 8 de outubro de 1933 pelo Torneio Rio-São Paulo. O jogo foi em São Januário e o jogo terminou com a vitória vascaína por 1 a 0, gol de Almir. No ano seguinte Rei ajudava o Vasco a sagrar-se campeão carioca com duas rodadas de antecedência. A campanha vascaína foi a seguinte: Oito vitórias, dois empates e duas derrotas.

              Em 1936 mais um título do Vasco da Gama e mais uma vez lá estava o goleiro Rei defendendo a meta cruzmaltina. Neste campeonato tivemos uma melhor de três para decidir o título e o adversário do Vasco foi o Madureira. A primeira partida aconteceu dia 6 de dezembro de 1936 e o Madureira venceu por 1 a 0. Portanto, o Vasco precisava vencer a próxima para provocar uma terceira e decisiva partida.

              E não deu outra, no dia 13 de dezembro venceu por 2 a 1, gols de Nena e Feitiço e a terceira partida aconteceu somente dia 14 de março de 1937 e o Vasco venceu novamente por 2 a 1, com dois gols de Feitiço. Para esta partida o técnico Harry Welfare do Vasco, mandou a campo os seguintes jogadores; Rei, Poroto e Itália; Oscarino, Zarzur e Calocero; Orlando, Luiz Carvalho, Feitiço, Kuko e Luna. A campanha do Vasco naquele ano foi de 11 vitórias, 1 empate e 4 derrotas e o artilheiro da competição também foi um jogador vascaíno, Feitiço com 9 gols assinalados.

SELEÇÃO BRASILEIRA  

               Com a camisa da seleção brasileira, Rei disputou três partidas. A primeira foi no dia 24 de fevereiro de 1935, quando o Brasil derrotou o River Plate da Argentina por 2 a 1, num jogo amistoso realizado em Buenos Aires. A segunda partida foi no dia 27 de dezembro de 1936, quando o Brasil derrotou o Peru por 3 a 2, pelo Campeonato Sulmericano. O jogo foi disputado e Lima, Peru e os gols brasileiros foram anotados por Afonsinho, Roberto e Niginho. E a terceira partida que o goleiro Rei disputou vestindo a camisa da nossa seleção, aconteceu no dia 13 de janeiro de 1937, quando o Brasil goleou o Paraguai por 5 a 0, pelo Campeonato Sulamericano. O jogo foi realizado em Assunção, Paraguai e os gols brasileiros foram anotados por; Luiz Oliveira (2), Patesko (2) e Carvalho Leite.

               José Fontana, o popular Rei, teve um filho de nome Gerson, que também jogou no gol do Coritiba nos anos 80 e 90, mas não alcançou a mesma fama do pai. Rei faleceu dia 3 de abril de 1986, aos 74 anos de idade. O acaso levou Rei ao primeiro-quadro do Coritiba precocemente, o que não impediu que ele mostrasse suas qualidades e se tornasse um dos principais goleiros que já vestiu a camisa do Coritiba e do Vasco da Gama. Por tudo isso, nossa humilde homenagem ao Sr. José Fontana, o Rei.

Vasco da Gama de  1934   –   Da esquerda p/ direita: Rei, Lino, Fausto, Itália, Gringo, Carreirinha, Almir, Moia, Juca, Carnieri e Orlando

Postado em R

Deixe uma resposta