VALDIR ESPINOSA: campeão mundial de clubes pelo Grêmio em 1983

                   Valdir Atahualpa Ramirez Espinosa nasceu dia 17 de outubro de 1947, na cidade de Porto Alegre (RS). Conquistou como técnico a Libertadores da América e o Mundial de Clubes pelo Grêmio em 1983 e o título de campeão carioca pelo Botafogo em 1989, que acabou com o jejum de títulos. O Glorioso, com gol do ponta-direita Maurício, derrotou o Flamengo, no Maracanã, por 1 a 0. E como jogador também foi muito bem sucedido, jogando como lateral direito também pelo Tricolor Gaúcho.

                    Como jogador, Valdir Espinosa, ficou mais conhecido por jogar no Grêmio Portoalegrense. Defendeu o Tricolor gaúcho entre 1971 e 1972. Depois, ele se transferiu para o CRB (Alagoas), Esportivo de Bento Gonçalves (RS) e encerrou sua carreira nos gramados pelo Vitória (BA).

                   O ponta-direita Renato Gaúcho, grande herói do Grêmio nas importantes conquistas tricolores de 83, nunca deixou de elogiar a postura de Valdir Espinosa, que sempre foi considerado um “paizão” dos jogadores.

                    Em 2005, depois de comandar o Brasiliense (DF), Valdir Espinosa teve passagem pelo Ceará e após a demissão do técnico Hélio dos Anjos, assumiu o Fortaleza em meados de outubro. Antes do final do ano, ele foi contratado para dirigir o Flamengo na temporada de 2006.  “Aceitei o convite do Flamengo porque tenho um desafio próprio. Quero ser campeão no clube”, falou, à época, o treinador, que após alguns resultados ruins deixou o time da Gávea.

                     Em 2007, foi para o Paraguai, onde conquistou o vice-campeonato nacional pelo Cerro Portenho. No mesmo ano, já no final da temporada, chegou a dirigir o Vasco da Gama. Ele deixou São Januário em dezembro. Sete meses depois, em julho de 2008, assumiu a Portuguesa no lugar de Vágner Benazzi, demitido pela diretoria. Um mês depois, a derrota por 4 a 2 no clássico contra o Palmeiras custou o emprego do ex-lateral, substituído por Estevam Soares.

                      Em 7 de dezembro de 2015 foi anunciado como técnico do Metropolitano, de Blumenau, Santa Catarina, clube da Série D do Campeonato Brasileiro.

                   Trabalhou como auxiliar de Renato Gaúcho no Vasco da Gama, quando este assumiu o comando da equipe em 2005. Permaneceu no clube até o treinador principal ser demitido, em maio de 2007.

                   No mesmo ano regressou ao Vasco da Gama, que, após um bom começo no Campeonato Brasileiro, passava por um período de poucas vitórias. Agora como treinador principal, Espinosa encontrou pela frente o desafio de recuperar a equipe, afastando de vez as possibilidades de ser rebaixada e conseguir uma vaga na Copa Sul-Americana do ano seguinte. Nas seis partidas que esteve no comando da equipe, venceu três, empatou duas e perdeu uma.

                    O desempenho foi suficiente para garantir a vaga para a Sul-Americana, terminando a competição em 10º. Após o fim do campeonato o treinador decidiu não renovar o contrato e pôs fim nas especulações de que poderia continuar para 2008.

                     Em 2009, Espinosa foi auxiliar técnico de Renato Gaúcho no Fluminense. No dia 12 de fevereiro de 2010, Espinosa anunciou sua aposentadoria como treinador e também no ramo do futebol mas, desistiu, retornando como novo comandante do Duque de Caxias. Mas, devido a péssima campanha na série B, foi demitido em julho do mesmo ano 

                      Fora das quatro linhas, Espinosa trabalhou como comentarista nos canais Sportv e PFC, entre 2008 e 2009. Em 2010 foi comentarista na Rádio Manchete e foi candidato a deputado estadual no Rio de Janeiro, pelo PDT. Em 2012, voltou a ser comentarista, dessa vez na Rádio Globo.           

                      Foi coordenador técnico do Grêmio desde a volta de Renato Portaluppi como técnico da equipe em 2016 até sua demissão em 10 de agosto de 2017. Em 12 de dezembro de 2019, foi anunciado como gerente de futebol do Botafogo do Rio.

MORTE

                      Valdir Espinosa faleceu em 27 de fevereiro de 2020, devido a complicações causadas por uma cirurgia no abdômen no dia 17 de fevereiro de 2020, entretanto, devido à mal sucedida recuperação, foi internado novamente no dia 20, porém não resistiu. Seu último trabalho foi no Botafogo, como gerente de futebol. Posteriormente foi revelado que Valdir Espinosa vinha lutando há vários meses contra um câncer no intestino. Era casado há 50 aos com Maria da Graça, com quem teve dois filhos: Rivellino e Allan.

CLUBES QUE TRABALHOU

                        Veja os times que Valdir Espinosa já trabalhou como treinador:

Ceará (Fortaleza-CE) desde 5/07/2005

Brasiliense (Brasília-DF) desde 15/03/2005 a junho/2005 Grêmio (Porto Alegre-RS) – 1983/84 e 1986

Coritiba (Curitiba-PR) – 1988 e 1998

Botafogo (Rio de Janeiro-RJ) – 1989/90/91, 1998 e 1999

Cerro Porteño (PARAGUAI) – 1992 a 1994

Palmeiras (São Paulo) – 1995

Portuguesa (São Paulo-SP) – 1996, 2001

Corinthians (São Paulo-SP) – 1996

Paraná Clube (Curitiba-PR) – 1999

Fluminense (Rio de Janeiro-RJ) – 2000/2001

Vitória (Salvador-BA) – 2001

Atlético Paranaense (Curitiba-PR) – de 24/7/2002 a 10/2002

Riad (Arábia Saudita) – até dezembro/2003

Fluminense (Rio de Janeiro-RJ) – de 29/12/2003 a 1/03/2004

Ceará (Fortaleza-CE) – de março de 2005 a agosto de 2005

Fortaleza (Fortaleza-CE) – de agosto de 2005 a dezembro de 2005

Flamengo (Rio de Janeiro-RJ) – 2006

Cerro Porteño (Paraguai) – 2007

Vasco da Gama (Rio de Janeiro-RJ) – 2007

Portuguesa (São Paulo-SP) – 2008

TÍTULOS

Esportivo

Campeonato do Interior Gaúcho: 1979

 

Ceará

Campeonato Cearense1980

 

Londrina

Campeonato Paranaense1981

Campeonato do Interior Paranaense: 1981

 

Grêmio

Copa Libertadores da América1983

Mundial de clubes1983

Troféu CEL: 1983

Copa Los Angeles: 1983

Campeonato Gaúcho1986

Copa do Brasil2016 (como coordenador técnico)

 

Al-Hilal

Campeonato Saudita: 1985

 

Cerro Porteño

Campeonato Paraguaio19871992

 

Botafogo

Taça Rio: 1989

Campeonato Carioca1989

 

Flamengo

Torneio de Verão de Nova Friburgo: 1990

 

Portuguesa

Torneio Início Paulista1996

 

Atlético Paranaense

Supercampeonato Paranaense de Futebol2002

 

Brasiliense

Campeonato Brasiliense2005

Em pé: Espinosa, Raupe, Jair, Beto, Adílson e Zeca   –    Agachados: Júlio Cézar, Salazar, Romualdo, Julinho e Ademir Ribeiro
Em pé: Arlindo, Everaldo, Ari Ercílio, Valdir Espinosa, Jadir e Cléo    –    Agachados: Davi, Julio Amaral, Alcindo, Sergio Lopes e Volmir
1970 – Em pé: Arlindo, Valdir Espinosa, Jadir, Ari Ercílio, Beto Bacamarte e Everaldo    –      Agachados: Flecha, Caio, Paraguaio, Gaspar e Volmir
Em pé: Arlindo, Valdir Espinosa, Ari Ercílio, Jadir, Beto Bacamarte e Everaldo    –    Agachados: Caio, Joãozinho Severiano, Paraguaio, Gaspar e Volmir
Em pé: Everaldo, Valdir Espinosa, Jadir, Áureo, Ari Ercílio e Alberto    –     Agachados: Hélio Pires, João Severiano, Alcindo, Sérgio Lopes e Volmir

Deixe uma resposta