EMERSON SHEIK: campeão da Libertadores e Mundial pelo Corinthians em 2012

                   Márcio Pasos de Albuquerque nasceu dia 6 de setembro de 1978, na cidade de Nova Iguaçu (RJ). No meio futebolístico é conhecido por Emerson Sheik Em 1996, aos 18 anos, Emerson já não acreditava que pudesse vingar no futebol por conta da idade. Foi então que sua mãe, Carmem Lúcia, adulterou sua certidão de nascimento. E assim ele virou Marcio Emerson Passos, nascido em 6 de dezembro de 1981. Na época, a família de Emerson morava num bairro pobre de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, e ele trabalhava como ajudante de pedreiro.

                   Com três anos a menos na certidão de nascimento, o garoto viu a carreira decolar. Levado ao São Paulo pelo ex-lateral-direito Cláudio Guadagno, foi rapidamente aceito pelo clube após passar pela avaliação de Milton Cruz, ex-técnico da equipe sub-20.

                    Em clara vantagem física e técnica sobre os outros meninos, virou uma estrela das categorias de base do Tricolor. O ótimo futebol chamou a atenção da diretoria do clube, que passou a enxergá-lo como uma joia pela cúpula do clube, alguém que traria milhões de dólares aos cofres em pouco tempo. A expectativa era tanta que o colocavam acima até mesmo de Kaká na projeção feita pela direção sobre quem vingaria no futebol

                     No dia 26 de setembro de 1998, aos 20 anos, ele estreou pelo time profissional do São Paulo ao entrar no lugar do centroavante Dodô no empate por 0 a 0 contra o Flamengo, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, já com Paulo César Carpegiani no comando da equipe, o treinador decidiu promovê-lo de vez ao grupo principal, mas para atuar como lateral-direito, função na qual nunca conseguiu se adaptar.

                      Como atacante, marcou dois gols pelo Tricolor: um na goleada por 5 a 1 sobre o Atlético-MG, no Morumbi, em 25 de julho de 1999, e outro na derrota por 3 a 2 para o Santos, na Vila Belmiro, três dias depois.

                      Por conta do Caso Sandro Hiroshi (o clube perdeu pontos de jogos contra o Botafogo e o Internacional depois que ficou comprovada a falsificação nos documentos do atacante Sandro Hiroshi), e com o temor de receber outra punição, já que havia a desconfiança da adulteração de documentos do atleta, a diretoria Tricolor decidiu negociar Emerson com o Consadole Sapporo, do Japão, mesmo sem ter a certeza da falsificação nos documentos.

                      Assim, em 2000, Emerson deixou o Brasil rumo ao futebol japonês. Ele se despediu do São Paulo com 19 jogos e dois gols marcados (sete vitórias, três empates e nove derrotas).

JAPÃO:  Emerson chegou ao Oriente como desconhecido, mas rapidamente virou um dos destaques do futebol no país. Permaneceu durante cinco anos no Japão, e atuou por Consadole SapporoKawasaki Frontale e Urawa Red Diamonds, respectivamente.

Pelo Consadole Sapporo, da 2a divisão japonesa, Emerson fez 33 gols em 30 jogos, e foi campeão, artilheiro e melhor jogador da segunda divisão japonesa em 2000. No ano seguinte, jogou no Kawasaki Frontale, ainda na segunda divisão. Foram 19 gols em 18 jogos.

CATAR

                         Sua passagem pelo futebol nipônico terminou em 2005, após o xeque Jassim bin Hamad bin Khalifa Al Thani, um dos 24 filhos do rei, ver um jogo de Emerson na televisão. Ele comprou os direitos econômicos do brasileiro e o colocou para jogar no Al-Sadd. Além de um contrato milionário, o atacante ganhava carros e relógios Rolex a cada boa partida que realizava.

FRANÇA

                         Em 2007, foi emprestado ao Rennes, da França. A negociação girou em torno de 4 e 5 milhões de euros.[8] O acordo de Emerson com o xeque era que ele poderia voltar ao Catar quando quisesse. Emerson estreou pelo Rennes em outubro de 2007, contra o Lokomotiv Sofia, na Copa da UEFA. Foram pouco mais de 12 minutos em campo e nada de muito relevante, a não ser a vitória do time da França por 3×1.

                          Ao todo, Sheik acumulou 101 minutos em campo pelo clube bretão, deixando a França – e o futebol Europeu – sem ter marcado nenhum gol, e tendo recebido 2 cartões amarelos. Por não ter conseguido se firmar na Europa, Emerson retornou ao Oriente Médio. Apesar do retorno baixo em campo, o clube francês conseguiu vendê-lo por um valor maior do que comprou: 7 milhões de euros foi o que o Al-Sadd gastou para trazê-lo de volta. Emerson retornou ainda em 2007 ao Al-Sadd, e permaneceu por lá por pouco mais de um ano.

FLAMENGO

                           Desconhecido no Brasil, Sheik passou a defender o Flamengo, no início de 2009. Apesar de desconhecido, ele era sonho de consumo do então vice de futebol do clube, Kleber Leite há pelo menos três anos.  Emerson abriu mão de ofertas milionárias, tanto do futebol japonês como do futebol catariano, e, sem ter pago nenhum valor de transferência por Emerson, que pagou do próprio bolso a multa de rescisão com o Al-Sadd, o Flamengo recebeu seu novo atacante com muita expectativa.

                           Em sua estreia pelo Flamengo, em uma partida contra o Fluminense, já na reta final da Taça Rio, Emerson marcou seu primeiro gol. Recuperando sua melhor forma física e destacando-se nos treinos, Emerson acabou conquistando a vaga de titular nas finais do Carioca de 2009.

                           Por volta da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, porém, Emerson recebeu uma proposta irrecusável do Al Ain dos Emirados Árabes, e já tendia a sair do Flamengo, que também não via com maus olhos a sua negociação em virtude da multa empreendida.

                           No dia 17 de agosto a diretoria do Flamengo anunciou sua ida para o Al Ain pelo valor de dois milhões de euros (cerca de 5,2 milhões de reais). No entanto, logo no dia seguinte a diretoria do Flamengo anunciou oficialmente a recusa da proposta do clube dos Emirados Árabes. O departamento de futebol do clube entendeu que o valor oferecido não satisfazia os interesses do clube.

                           Em 27 de agosto, porém, Emerson não compareceu ao treino na Gávea.] O jogador já havia se reunido com diretoria rubro-negra pedindo para ser liberado horas antes da partida contra o Fluminense no dia anterior, pela Copa Sul-Americana, onde o Flamengo foi eliminado após empate por 1 a 1. O “Sheik” acerta sua saída para o Al Ain, se transferindo antes do término do Campeonato Brasileiro. Apesar disso, é considerado pelo próprio Flamengo como um dos campeões do Brasileirão daquele ano, sendo o 3º artilheiro do time da competição com sete gols marcados.

FLUMINENSE

                           No meio da temporada de 2010 Emerson acertou o seu retorno ao Brasil, dessa vez pelo Fluminense. Logo na sua estreia marcou um gol no empate no clássico contra o Botafogo. Além disso, em seus oito primeiros jogos com a camisa tricolor, marcou sete gols.

                           Emerson fazia grande Campeonato Brasileiro até se lesionar. Entretanto, voltou no final do campeonato e fez o gol que viria a dar o título do Campeonato Brasileiro para o Fluminense, contra o Guarani. Porém, na noite do dia 20 de abril de 2011, Emerson foi afastado do clube pelo próprio presidente que se irritou com o jogador que cantou um funk do maior rival, o Flamengo, no ônibus do Fluminense a caminho de uma decisão contra o Argentinos Juniors pela Libertadores.

CORINTHIANS

                           Em 18 de maio de 2011 acertou sua ida para o Corinthians, sendo apresentado oficialmente alguns dias depois. Em 4 de dezembro de 2011 conquista o tricampeonato brasileiro em três anos seguidos por três clubes diferentes, feito inédito no futebol brasileiro.

                            Emerson iniciou o ano de 2012 muito bem técnica e fisicamente. Foi considerado o destaque do primeiro jogo das semifinais da Libertadores 2012 entre Corinthians e Santos. Fez um golaço em plena Vila Belmiro, batendo cruzado no ângulo da entrada da área, e garantiu a vitória corintiana pelo placar mínimo. Apesar do gol e da grande participação, Sheik acabou expulso.

                             No primeiro jogo da final, no estádio da Bombonera, em Buenos Aires, Emerson deu o passe para Romarinho fazer o gol de empate nos minutos finais do segundo tempo. No último jogo da final, no Pacaembu, entra para a história do clube marcando os dois gols da vitória corintiana sobre o Boca Juniors e do título inédito para o jogador e para o clube (onde se tornou um dos maiores ídolos).

                             O primeiro gol foi marcado no início da segunda etapa, após Emerson receber passe de calcanhar de Danilo. No meio do segundo tempo Emerson rouba a bola da zaga do Boca Juniors, vence o zagueiro Caruzzo na corrida e toca na saída do goleiro.

                             Em 16 de dezembro de 2012, vence a Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2012, sendo o bicampeonato do Corinthians, além de seu maior título como jogador profissional. Foi um ano com atribulações extra campo para o jogador: após uma partida em 19 de agosto postou em seu perfil numa rede social beijando outro homem. Diante da repercussão negativa junto a parte da torcida, desculpou-se pela polêmica.] Também foi denunciado pelo Ministério Público Federal por contrabando de veículo, no caso uma BMW X6.

                             Em campo passou a atuar cada vez menos como titular. Em 2014, já com Mano Menezes como treinador, Emerson era pouco aproveitado, no qual resultou em sua saída da equipe em uma negociação com o Botafogo, a equipe carioca negociou um empréstimo de uma temporada.

BOTAFOGO/RJ

                             Em abril de 2014, foi emprestado, até o final do ano, para o Botafogo. Com apenas um mês no clube, Sheik virou a referência do time. Vestindo a camisa sete, ele se mostrou um líder dentro do grupo e apresentou uma média de gols mais que o dobro maior que a dos outros três principais atacantes do elenco alvinegro.

                             No dia 17 de Setembro, na partida em que o Botafogo perdeu para o Bahia por 3×2, no Maracanã, Emerson levou um cartão vermelho dado pelo árbitro Igor Junio Benevenuto, aos 14 minutos do segundo tempo, após cometer uma falta no zagueiro Uelliton (ele foi o terceiro jogador do Botafogo que foi expulso neste jogo). Ao deixar o gramado do Maracanã, Emerson olhou para uma das câmeras, fez um sinal com o braço para o cameraman como quem diz “vem cá”, e mostrou a sua irritação ao dizer, em alto e bom som, e olhando para a câmera: “CBF, você é uma vergonha! Vergonha! Vergonha! Vergonha!”. Até então, ele era o destaque da equipe, já que tinha marcado os dois gols botafoguenses na partida: um de pênalti e um de cabeça. O árbitro da partida registrou na súmula que teria sofrido ofensas do jogador botafoguense. No dia 3 de outubro de 2014 teve seu contrato rescindido com o Botafogo devido divergências com a diretoria.

RETORNO AO CORINTHIANS

                            Após ser dispensado do time do Rio, a diretoria corintiana decidiu reintegrar Emerson para o time em 2015, e Emerson voltou sendo importante ao marcar um gol aos 30 segundos de jogo contra o Once Caldas, em jogo valido pela fase prévia da Taça Libertadores da América 2015. Em julho, não teve seu contrato renovado.

                            O último dia de Emerson Sheik no Corinthians(13/06/2015) foi discreto, mas marcado por homenagens à sua passagem de quase quatro anos pelo clube alvinegro. Antes do jogo entre Corinthians e Internacional, Emerson recebeu uma placa de agradecimento pelos serviços prestados ao clube e foi reverenciado pela torcida e companheiros de elenco.

RETORNO AO FLAMENGO..

                                   Em 8 de junho de 2015, o Flamengo acertou com o atleta. Onde irIa fazer dupla com Paolo Guerrero, seu ex-companheiro de Corinthians. Em 1 de julho, marcou seu primeiro gol no retorno ao clube, que venceu o Joinville por 1×0 e deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Ficou no clube até o final de 2016.

PONTE PRETA

                            Após o término do Campeonato Paulista, acertou com a macaca para jogar no ano de 2017. Logo em sua estreia, foi alvo de polêmica ao se desentender com o São Paulino Rodrigo Caio, chegando a empurrar o rosto do zagueiro, e os dois foram punidos com cartão amarelo. Marcou seu primeiro gol, na vitória da Ponte contra o Sol de América, pela Copa Sul Americana. Na vigésima primeira rodada do Brasileirão, Emerson foi decisivo na vitória por 2×1 contra o Botafogo no Moisés Lucarelli. Marcou os dois gols da macaca, e o seu segundo gol foi uma pintura, acertando um chute de primeira de fora da área, sem chances de defesa para Jefferson. Encerrou sua passagem pela macaca com 25 jogos e 5 gols marcados.

RETORNO AO CORINTHIANS

                             No dia 15 de janeiro de 2018 anunciou seu retorno ao Corinthians, após se desvincular da Ponte Preta.] Inicialmente cotado com uma despedida do futebol, Emerson acertou contrato de seis meses de duração. Destaque na vitoriosa campanha do Campeonato Paulista 2018, onde o Corinthians se sagrou Campeão justamente em cima do maior rival, o Palmeiras, em Final histórica, Emerson e Corinthians prorrogaram o Contrato até o Final de 2018, sendo visto por equipe, comissão técnica e torcida como peça fundamental dentro do Elenco. No final da temporada 2018, Emerson se aposentou oficialmente do futebol.

Em pé: Alessandro, Paulo André, Paolo Guerrero, Chicão, Ralf e Cássio    –    Agachados: Jorge Henrique, Emerson Sheik, Paulinho, Fábio Santos e Danilo
Em pé: Castan, Cássio, Chicão, Alessandro e Douglas     –    Agachados: Alex, Liedson, Emerson Sheik, Jorge Henrique e Fábio Santos
Em pé: Alessandro, Paulo André, Paolo Guerrero, Chicão, Ralf e Cássio     –    Agachados: Jorge Henrique, Emerson Sheik, Paulinho, Fábio Santos e Danilo
Postado em E

Deixe uma resposta