ÁLVARO: campeão paulista pelo Santos em 1955, 56 e 58

                        Álvaro José Rodrigues Valente nasceu em Santos (SP), no dia 24 de setembro de 1931. Ele é irmão de outro craque que também defendeu o Santos, estamos falando de Ramiro Rodrigues Valente, que nasceu em 19 de fevereiro de 1933. É muito fácil confundir os irmãos Álvaro e Ramiro, que juntos jogaram no Jabaquara, no Santos e no Atlético de Madrid.

                        A semelhança física era tão marcante que poderíamos até afirmar que os dois eram gêmeos, não fosse pelo registro de nascimento. Álvaro Valente apareceu para o mundo do futebol no findar da década de 1940, nas fileiras do Guarujá Atlético Clube.

                        Mais tarde foi encaminhado aos quadros amadores do Jabaquara Atlético Clube, onde inclusive jogou ao lado do irmão Ramiro Valente. No início da temporada de 1953, Álvaro Valente firmou compromisso com os dirigentes do Santos Futebol Clube, um caminho bem diferente de Ramiro, que tentou vencer no cenário carioca pelo Fluminense Football Club.

                        Cansado de batalhar por um lugar entre os titulares no time das Laranjeiras, Ramiro só reencontrou o irmão Álvaro quando foi contratado pelo Santos em 1955. Conforme reportagem publicada no Jornal Mundo Esportivo em novembro de 1954, Álvaro Valente era um sujeito reservado e fora das quatro linhas pouco falava sobre futebol.

                        Apreciava tomar banho frio e dormir até mais tarde. Era um apaixonado por cinema e teatro, além da evidente predileção por esfihas e kibes! Como centroavante ou meia-direita, Álvaro Valente procurava compensar sua pouca velocidade com uma enorme facilidade para finalizar ao gol.

                         Foi um dos grandes destaques do time praiano na campanha de 1955, quando o Santos conquistou o Campeonato Paulista depois de um longo jejum de 20 anos. Sua primeira participação com a camisa da Seleção Brasileira aconteceu em 20 de setembro de 1955, na boa vitória sobre o selecionado do Chile pelo placar de 2×1.

                         Pelo escrete canarinho, entre 1955 e 1956, Álvaro Valente disputou ao todo 11 compromissos; com 7 vitórias, 2 empates, 2 derrotas e 3 gols marcados. Os registros foram publicados nas páginas do livro “Seleção Brasileira 90 anos”.

                         Além do memorável título de 1955, Álvaro Valente conquistou também pelo Santos o certame paulista de 1956 e 1958, o Torneio de Valência, o Troféu Teresa Herrera e o Torneio Rio-São Paulo, ambos em 1959.

                         Abaixo, os registros da conquista do Troféu Teresa Herrera, com uma maiúscula vitória diante do forte quadro do Botafogo (RJ):

                         21 de junho de 1959 – Troféu Teresa Herrera – Santos 4×1 Botafogo – Estádio Municipal de Riazor – La Coruña (Espanha) – Árbitro: Blanco Perez (Espanha) – Gols: Pepe aos 39’ do primeiro tempo; Pelé aos 16’, Coutinho aos 22’, Zagallo aos 24’ e Pepe aos 34’ do segundo tempo.

                         Santos: Lalá; Pavão (Formiga) e Mourão; Getúlio, Ramiro Valente e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro Valente), Afonsinho (Coutinho), Pelé e Pepe. Botafogo: Ernani; Tomé e Aírton (Pampolini); Chicão, Borges e Nilton Santos; Garrincha, Didi, Paulo Valentim, Waldir e Zagallo.

                        Ainda na temporada de 1959, o Santos realizou sua primeira excursão pelos gramados da Europa. Foram 22 partidas e 78 gols marcados em 9 países. Os números foram divulgados pelo site “acervosantosfc.com”.

                         E foi depois dessa excursão realizada nos meses de maio, junho e julho, que os irmãos Álvaro e Ramiro deixaram o Santos no segundo semestre de 1959, com destino ao Club Atlético de Madrid.

                         Entre tantos resultados expressivos naquela excursão de 1959, o “Peixe” goleou o Barcelona por 5×1. A partida no Estádio Camp Nou  foi uma das páginas que marcaram o início do período de espetáculos do Santos no velho continente:

                         28 de junho de 1959 – Amistoso internacional – Barcelona 1×5 Santos – Estádio Camp Nou – Barcelona (Espanha) – Árbitro: Ramon Azon (Espanha) – Gols: Dorval aos 4’, Coutinho aos 10’ e Evaristo de Macedo aos 15’ do primeiro tempo; Pelé aos 11’ e aos 26’ e Dorval aos 19’ dosegundo tempo.

Santos: Lalá; Pavão (Formiga), Getúlio e Mourão; Ramiro Valente e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro Valente), Coutinho, Pelé (Afonsinho) e Pepe. Barcelona (Espanha): Larraz, Rife, Bartoli, Pinto (Martinez), Verges, Recaman, Villaverde (Hermes), Kocsis, Evaristo de Macedo, Ribelles, Czibor.

                          Em 1961 Álvaro Valente voltou ao Santos e disputou o Torneio Rio-São Paulo. Ao todo foram 107 gols marcados em 289 jogos disputados, o que coloca seu nome entre os maiores artilheiros da história do clube.

                          Longe dos gramados, sua última atividade profissional foi como zelador de um edifício no Guarujá, no litoral paulista. Álvaro José Rodrigues Valente faleceu no Guarujá (SP), em 21 de setembro de 1991.

Em pé: Cássio, Zito, Manga, Formiga, Hélvio e Feijó    –     Agachados: Carlinhos, Walter, Álvaro, Vasconcelos e Tite
Em pé: Dalmo, Fioti, Ramiro, Getúlio, Urubatão e Manga     –      Agachados: Hélio Canjica, Álvaro, Baianinho, Guerra e Dorval
Em pé: Lula (técnico), Feijó, Dalmo, Zito, Fioti, Urubatão, Manga, Laércio, Hélvio e Getúlio    –     Agachados: Dorval, Hélio, Álvaro, Afonso, Pagão, Guerra, Pelé, Pepe e Macedo (massagista)
Em pé: Ramiro, Hélvio Piteira, Manga, Urubatão, Zito e Ivan     –     Agachados: Alfredinho, Jair Rosa Pinto, Álvaro, Vasconcelos e Tite
Da esquerda para a direita: Barbosinha, Hélio Canjica, Wilson Francisco Alves, Formiga, Urubatão, Ramiro, Ivan, Pepe, Álvaro, Vasconcelos e Tite
Em pé: Dorval, Pelé, Jair Rosa Pinto, Pepe e Álvaro     –     Agachados: Ivan, Laércio, Hélvio, Guerra, Urubatão e Fioti
SELEÇÃO PAULISTA  –  Em pé: Djalma Santos, Alfredo Ramos, Roberto Belangero, Mauro Ramos de Oliveira, Gylmar dos Santos Neves e Bauer    –      Agachados: Maurinho, Ipojucan, Álvaro Valente, Vasconcelos, Tite e o massagista Mário Américo

 

Postado em A

Deixe uma resposta