HUMBERTO TOZZI: o Disco Voador

               Humberto Barbosa Tozzi nasceu dia 4 de fevereiro de 1934, no município de São João de Meriti (RJ). Ele fez muito sucesso no cenário carioca, paulista e italiano. Sua trajetória foi iniciada no futebol varzeano de de São João de Meriti e região, até ser encaminhado aos quadros amadores do São Cristóvão de Futebol e Regatas.

               Jogando sempre na composição ofensiva, Humberto Tozzi foi aproveitado no time principal do São Cristóvão em 1952. Abaixo, a participação de Humberto no Torneio Início do campeonato carioca de 1953, competição vencida pelo Canto do Rio:

5 de julho de 1953 – Torneio Início do campeonato carioca – Canto do Rio 0x0 São Cristóvão – Estádio do Maracanã – Árbitro: José Gomes Sobrinho – O Canto do Rio foi classificado na cobrança de penalidades.

Canto do Rio: Celso; Nanati e Carlos; Cleuzo, Valter e Zé de Souza; Miltinho, Binha, Roberto, Dodoca e Emanuel. São Cristóvão: Hélio; Manfredo e Ratão; J. Alves, Severino e Mauro; Paulo César, Humberto, Cabo Frio, Ivan e Motorzinho.

                  Ainda muito jovem, o meia-atacante do São Cristóvão já era motivo de muita preocupação para os adversários. Com arrancadas rápidas e elegantes, Humberto Tozzi procurava sempre por espaços para disparar seus fortes arremates.

                  Convocado pelo técnico Newton Cardoso para disputar os jogos Olímpicos de Helsinque em 1952, Humberto Tozzi ganhou experiência e reconhecimento com boas atuações. Em julho de 1953, a Sociedade Esportiva Palmeiras confirmou o interesse pelos direitos federativos do promissor atacante de São João de Meriti.

                   O alviverde desembolsou 600.000 cruzeiros para contar com o futebol de Humberto Tozzi.

Considerado pela imprensa carioca como o novo Ademir Marques de Menezes, Humberto Tozzi fez sua primeira apresentação pelo Palmeiras em 9 de agosto, na elástica vitória por 5×2 sobre o Clube Atlético Ypiranga pelo Campeonato Paulista.

                   Apelidado pelos companheiros de “Disco Voador”, a primeira temporada com a camisa esmeraldina não poderia ter sido melhor. Integrante da linha ofensiva que ficou conhecida como “Ataque Atômico” (Liminha, Humberto Tozzi, Ney Blanco, Jair Rosa Pinto e Rodrigues Tatu), Humberto Tozzi soube como tirar proveito das enfiadas de bola de Jair Rosa Pinto.

                   Foi o artilheiro do Campeonato Paulista de 1953 com 22 gols marcados, feito repetido no certame de 1954, quando chegou ao número considerável de 36 tentos. Presente em várias formações do selecionado paulista, seu nome foi lembrado na convocação da Seleção Brasileira que embarcou para o mundial de 1954, na Suíça.

                   Na Copa do Mundo, Humberto Tozzi participou da derrota para os húngaros por 4×2, quando foi expulso de campo aos 34 minutos da segunda etapa. A partida ficou conhecida “A Batalha de Berna”.

                   Mesmo com a desclassificação do Brasil na Copa do Mundo, Humberto Tozzi foi procurado por representantes de alguns clubes europeus, especialmente da Lazio, que em 1955 formalizou uma proposta oficial. Com o negócio fechado em 7 milhões de Liras, Humberto Tozzi ainda permaneceu no Parque Antártica até o findar da temporada de 1955.

                    Na Itália, o brasileiro também teve uma participação de grande destaque. Foram 32 gols em 92 jogos, além do título da Copa da Itália na temporada de 1957/1958. Com dificuldades em sua adaptação, Humberto Tozzi cometeu alguns atos de indisciplina, o que comprometeu o prosseguimento de sua carreira em gramados italianos.

                    Insatisfeito com os acontecimentos que envolveram seu nome, o jogador decidiu voltar ao Brasil no findar de 1960, graças ao aceno positivo dos dirigentes do Palmeiras.  A negociação com os italianos foi breve. Assim, Humberto Tozzi desembarcou eufórico no Aeroporto de Congonhas, onde era esperado com muita festa pelos torcedores.

                    Campeão da Taça Brasil de 1960, Humberto Tozzi escreveu seu nome como um dos grandes artilheiros da história do Palmeiras. Em suas duas passagens pelo alviverde, Humberto Tozzi disputou um total de 135 partidas. Foram 86 vitórias, 21 empates, 28 derrotas e 126 gols marcados.

                    Depois da disputa da Taça Libertadores de 1961 e da chegada de Vavá (Edvaldo Izídio Netto), Humberto Tozzi foi perdendo espaço entre os titulares. Com o clima carregado de cobranças, Humberto Tozzi já não apresentava o mesmo rendimento que marcou sua primeira passagem pelo clube. O descontentamento era evidente e o banco de reservas acenou impiedosamente. O jogador confirmou que o afastamento do time titular precipitou sua saída do Palmeiras.

                      Seu último compromisso com a camisa alviverde aconteceu na derrota por 1×0 frente ao Peñarol (URU), em 4 de junho de 1961. Transferido para o Fluminense Football Club em junho de 1961, Humberto Tozzi defendeu o tricolor das Laranjeiras até o findar do primeiro semestre de 1962.

                      Humberto Tozzi ainda voltou ao cenário paulista ao firmar compromisso com a Associação Portuguesa de Desportos, seu último clube. Humberto Barbosa Tozzi faleceu prematuramente na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em 17 de abril de 1980.

Em pé: Alfredo Ramos, De Sordi, Hélvio, Laércio, Djalma Santos e Roberto Belangero   –    Agachados: Julinho Botelho, Luizinho, Humberto Tozzi, Jair Rosa Pinto e Tite
Da esquerda para a direita: Índio, Didi, Humberto Tozzi, Maurinho, Djalma Santos, Brandãozinho, Nilton Santos, Pinheiro, Julinho Botelho, Castilho e Bauer
Em pé: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha, Jorge e Oswaldo Brandão   –    Agachados:: Julinho Botelho, Humberto, Romeiro, Chinesinho e Cruz
Em pé: Djalma Santos, Gérson, Brandãozinho, Nilton Santos, Veludo e Bauer     –     Agachados: Julinho Botelho, Humberto Tozzi, Baltazar, Didi e Maurinho
Em pé: Julinho, Humberto Tozzi, Baltazar, Jair Rosa Pinto e Rodrigues Tatu    –    Agachados: Alfredo Ramos, Djalma Santos, Gilmar, Formiga, Hélvio e Roberto Belangero.
1954 – Em pé: Dema, Manuelito, Cação, Laércio, Nilo e Waldemar Fiúme    –     Agachados: Liminha, Humberto Tozzi, Nei, Jair Rosa Pinto e Rodrigues
1954 – Em pé: Djalma Santos, Gerson dos Santos, Brandãozinho, Nilton Santos, Veludo e Bauer     –  Agachados: Julinho, Humberto Tozzi, Baltazar, Didi e Maurinho
1955 – Em pé: Laércio, Manoelito, Mário Travaglini, Ruarinho, Gérsio Passadore e Waldemar Fiúme    –      Agachados: Renatinho, Liminha, Humberto Tozzi, Jair Rosa Pinto e Rodrigues Tatu
Postado em H

Deixe uma resposta