VANDERLEI: campeão brasileiro pelo Atlético Mineiro em 1971

                   Vanderlei Paiva Monteiro nasceu dia 7 de abril de 1946, na cidade de Três Corações (MG), a mesma cidade que nasceu o Rei Pelé.   Com apenas 16 anos de idade, o jovem Vanderlei Paiva iniciou sua caminhada no Atlético Clube de Três Corações (MG). Suas boas atuações em Três Corações renderam o interesse de outras agremiações. Em pouco tempo, um convite do Olaria Atlético Clube (RJ) causou relativa surpresa!

                   Enquanto pensava na proposta do time carioca, Vanderlei Paiva foi surpreendido por um telegrama do Clube Atlético Mineiro, que também tinha interesse em contar com seu futebol. As negociações entre os dirigentes mineiros caminharam bem. Assim, Vanderlei Paiva deixou Três Corações em 1966.

                   O promissor médio-volante assinou seu primeiro contrato com o Atlético Mineiro para receber 300 mil cruzeiros mensais. Vanderlei Paiva esteve presente em boas formações da meia-cancha atleticana. Foi um combatente incansável contra o iluminado time do Cruzeiro, nos tempos do recém inaugurado Estádio do Mineirão.

                   Em 1970 o Atlético faturou o título mineiro e a Taça Belo Horizonte, uma equipe que já apresentava os contornos da grande formação que chegou ao título nacional na temporada seguinte.

Na campanha do campeonato nacional de 1971, Vanderlei Paiva esteve em campo em todos os 27 compromissos disputados pelo “Galo”. Sua presença foi determinante no difícil triangular decisivo contra o Botafogo e o São Paulo.

                  Além do título inédito de campeão brasileiro, Vanderlei Paiva foi considerado o melhor médio-volante da competição nas votações da “Bola de Prata”, uma premiação oferecida pela revista Placar. O médio-volante participou também do combinado mineiro que representou o Brasil na Copa América de 1975. Pelo Atlético Mineiro, Vanderlei realizou uma marca considerável de 559 partidas, com 32 gols marcados.

                  Em 1976, Vanderlei Paiva entrou na chamada fase critica para uma renovação contratual.

Sem possibilidades de um acerto financeiro com o Atlético Mineiro, seu passe foi negociado com o América Futebol Clube da cidade de São José do Rio Preto (SP).

                 Abaixo, uma das participações de Vanderlei Paiva pelo América de São José do Rio Preto no Campeonato Paulista de 1976:

21 de julho de 1976 – Campeonato paulista segundo turno – América 1×0 Corinthians – Estádio Mário Alves de Mendonça – Árbitro: Almir Laguna – Gol: Wilson Luís aos 28’ do segundo tempo.  

América: Luis Antônio; Nelson Prandi, Miro, Jair, Ademir; Vanderlei Paiva e Serginho; Arlem, Iaúca, Wilson Luís e Darci. Corinthians: Sérgio; Zé Maria, Moisés, Ademir e Wladimir; Helinho e Basílio; Vaguinho (Ruço), Lance (Geraldo), Adílson e Cláudio.

                 Vanderlei Paiva ajudou bastante o América, o quinto colocado na classificação final do Campeonato Paulista. No início da temporada seguinte, o experiente Vanderlei Paiva acertou suas bases com a Associação Atlética Ponte Preta. Essa nova experiência na cidade de Campinas o marcaria para sempre!

                  Vanderlei Paiva fez parte da equipe que conquistou honrosamente o título de vice-campeão paulista de 1977. Até hoje, aquele time é lembrado como uma das melhores formações que o interior paulista produziu.

                  Nos confrontos decisivos contra o Corinthians no Morumbi, Vanderlei Paiva foi um guerreiro, o “carregador de piano” que ofereceu aos companheiros Dicá e Marco Aurélio uma importante liberdade nas manobras ofensivas.

                   Em 1977 o meio de campo da Ponte Preta era um autêntico relógio suíço! Dicá, Marco Aurélio e Vanderlei Paiva foram os artífices de um toque de bola eficiente e vistoso, uma página inesquecível na história do futebol paulista.

                  Orientado pelo competente técnico Zé Duarte, o quadro campineiro disputou um excelente Campeonato Paulista. Era o grande favorito nas partidas finais diante de um Corinthians valente, que mais uma vez contava com os segredos do velho mestre Brandão!

                  Em 1980 passou rapidamente pela Sociedade Esportiva Palmeiras. Sem conseguir apresentar o mesmo rendimento dos tempos da Ponte Preta, seus direitos foram transferidos ao Londrina Esporte Clube em 1981.

                  Vanderlei Paiva realizou 19 jogos com 3 vitórias, 9 empates, 7 derrotas e apenas 1 gol marcado. Vanderlei Paiva jogou ainda pelo Comercial Futebol Clube de Ribeirão Preto (SP), equipe onde encerrou sua carreira como atleta profissional. Em seguida trabalhou como treinador em vários centros; principalmente nos cenários goiano e paulista:

– Corinthians (AL), Anapolina (GO), CRAC – Atlético Catalano (GO), Vila Nova (GO), São Raimundo (PA), Londrina (PR), Matsubara (PR), Joinville (SC), América (SP), Comercial (SP), Internacional de Limeira (SP), Juventus (SP), Ponte Preta (SP), São José (SP) e União São João (SP).

1967 –    Em pé: Canindé, Hélio, Wander, Grapete, Vanderlei Paiva e Warley Ornellas    –    Agachados: Buião, Lacy, Paulo Sant´Anna, Edgard Maia e Ronaldo
Em pé: Mazurkiewcz, Getúlio, Grapete, Marcão, Cláudio Mineiro e Vanderlei Paiva   –    Agachados: Paulinho Kiss, Campos, Toninho Cerezo, Reinaldo e Jorginho
Em pé: Humberto Monteiro, Vanderlei Paiva, Djalma Dias, Vander, Oldair e Fábio.]    –     Agachados: Vaguinho, Ronaldo, Silvio, Neguito e Tião
Em pé: Renato, Humberto Monteiro, Vanderlei, Grapete, Vantuir e Cincunegui    –    Agachados: Ronaldo, Oldair, Vaguinho, Lacy e Tião
Em pé: Careca, Humberto Monteiro, Vanderlei, Grapete, Vantuir e Cincunegui   –    Agachados: Vaguinho, Oldair, Dario, Lacy e Tião
Em pé: Remato, Humberto Monteiro, Grapete, Vanderlei, Vantuir e Oldair      –    Agachados: Ronaldo, Umberto Ramos, Dadá, Beto e Romeu
Em pé: Vander, Grapete, Vanderlei, Mussula, Normandes e Décio Teixeira   –    Agachados: Ronaldo, Amaury, Vaguinho, Lola e Tião
6 de agosto de 1975   –     Em pé: Em pé: Nelinho, Piazza, Amaral, Getúlio, Raul e Vanderlei   –    Agachados: Roberto Batata, Marcelo, Campos, Danival e Romeu
Ponte Preta de 1977    –    Em pé: Odirlei, Dicá, Oscar, Polozzi, Eugênio, Wilson Zanon, Júlio, Wanderley Paiva e Angelo    –     Agachados: Luiz Sérgio (Massagista), Lúcio, Jair Picerni, Tuta, Carlos, Rui Rei, Afrânio e Parraga
Postado em V

Deixe uma resposta