EDSON: campeão paulista pelo Corinthians em 1988

                               Edson Boaro nasceu dia 3 de julho de 1959, na cidade de São José do Rio Pardo (SP). Nos anos 80, Édson Boaro foi um dos melhores laterais-direitos do país, tanto que foi convocado para a Copa do Mundo de 1986.

                              Jogador muito eficiente no apoio e que tinha qualidade nos cruzamentos, Édson começou nas categorias de base da Ponte Preta (onde tinha o apelido de “Abobrão” por utilizar meiões cor de abóbora nos treinos) e defendeu várias seleções paulistas e seleções brasileiras juvenis antes de se transferir para o Corinthians no começo de 1984.

                              Na época, o alvinegro do Parque São Jorge contratou também da Ponte Preta o goleiro Carlos. Em troca, além de uma quantia em dinheiro, o Corinthians mandou para o Moisés Lucarelli o lateral-direito Alfinete (bicampeão paulista em 82 e 83) e o ponta-esquerda Paulo Egídio (ex-Botafogo de Ribeirão e que depois brilharia no Grêmio).

                              Édson seria o titular da seleção brasileira se não fosse uma contusão, às vésperas da competição. Melhor para o botafoguense Josimar, que acabou sendo destaque do time canarinho naquele mundial. Josimar marcou dois gols na Copa.

                              Pelo Corinthians, Édson conquistou o título mais importante de sua carreira: campeão paulista de 88. O lateral-direito, inclusive, teve papel importante na conquista alvinegra. Foi dele o único gol corintiano no empate por 1 a 1, no Morumbi, no primeiro jogo da grande final.

                              Fez 226 jogos pelo alvinegro do Parque São Jorge e marcou nove gols (oito a favor e um contra). Depois do Corinthians, Édson atuou pelo Palmeiras, que era dirigido por Leão, entre 1989 e 1990. Disputou 94 jogos no Alviverde (43 vitórias, 30 empates e 21 derrotas) e marcou sete gols, O “Abobrão” também defendeu Remo, Paysandu, Noroeste de Bauru e outras equipes do interior paulista. Atuou no final da carreira como meio-campista.

SELEÇÃO BRASILEIRA

                              Pela seleção brasileira principal, Édson que esteve presente na Copa do Mundo de 1986 (se contundiu e depois teve de ficar na reserva de Josimar), realizou 19 partidas (11 vitórias, quatro empates e quatro derrotas).

                              Em janeiro de 2007, assumiu o comando do Lemense (SP). Em 2008 foi trabalhar com Juninho Fonseca no comando técnico da Francana.

                              A dupla deixou a equipe alviverde e seguiu para as categorias de base do São Bernardo pouco tempo depois. Juninho assumiu o posto de coordenador. Édson, ao lado do também ex-lateral Ronaldo, outro que defendeu o Corinthians no começo dos anos 80, ficou responsável pelo time sub-15 do São Bernardo. O técnico do sub-17, à mesma época, era Capitão, que foi campeão brasileiro de 1978 pelo Guarani. Em março de 2009, reassumiu a Francana.

                              No início de 2010, recebeu um convite e aceitou trabalhar no comando técnico do Grêmio Mauaense, da cidade de Mauá, localizada na região metropolitana de São Paulo.

                          Em 2013, o ex-jogador foi promovido de coordenador técnico ao cargo de técnico do São Bernardo Futebol Clube. Disputando a elite do futebol paulista.

                                No dia 15 de março de 2015 o técnico foi demitido do São Bernardo Futebol Clube, Édson conseguiu apenas duas vitórias em 10 partidas disputadas pelo Campeonato Paulista, sendo dois empates e seis derrotas.

                                Em novembro de 2019 assumiu o comando do Batatais FC, para a disputa da Série A3 do Campeonato Paulista do ano seguinte Iniciou a temporada 2020 mas, por motivos pessoais, se demitiu do cargo no dia 11 de fevereiro.

Em pé: Dario Pereira, Toninho Cecílio, Dorival Junior, Edson, Velloso e Abelardo    –     Agachados: Mauricinho, Gerson Caçapa, Gaúcho, Edu Manga e Neto
Em pé: Edson, João Marcos, Oscar, Mozer, Jandir e Wladimir    –     Agachados: o massagista Nocaute Jack, Tita, Delei, Reinaldo, Arturzinho e Marquinho Carioca
Em pé: Edson, Sílvio, Everaldo, Valdir, Juninho Fonseca e Carlos     –    Agachados: Cremilson, Celso, Toninho, Dicá e Zezinho
1986 – Em pé: Jacenir, Paulo, Pinella, Wilson Mano, Carlos e Édson      –     Agachados: Casagrande, Cristóvão, Ricardo, Biro-Biro, João Paulo e o massagista Rocco
1980 – Em pé: Luis Cláudio, Édson, Dudu, Marolla, Mozer e João Luis      – Agachados: Robertinho, Cristóvão, Baltazar, Mário e João Paulo

1989 – Em pé: Biro, Ivan, Elzo, Marco Antonio, Toninho Cecílio e Edson      –     Agachados: Betinho, Dorival Júnior, Róger, Bandeira e Paulinho Carioca
Em pé:  Cacau, Carlos, Edson, Edivaldo, Wilson Mano, Marco Antonio e Dida   –    Agachados: Biro-Biro, Edmar, Márcio Bittencourt e Eduardo Amorim
Em pé: Casagrande, Catanoce, Edmar, Biro-Biro, João Paulo e Carlos     –     Agachados: Edvaldo, Jacenir, Edson, Wilson Mano e Luis Pereira

 

Postado em E

Deixe uma resposta