NELSINHO: conquistou dois títulos carioca pelo Flamengo 1963 e 1965

                  Nelson Rosa Martins nasceu dia 8 de dezembro de 1937, na zona norte do Rio de Janeiro. Filho de José de Souza Martins e Porcina Rosa Martins, torcedor do Botafogo, o pequeno Nelsinho dividia o tempo entre os estudos e o Futebol de Salão, esporte onde desenvolveu boas habilidades no trato com a bola.

                  Com o sonho de estudar Medicina, Nelsinho cursou o Ensino Fundamental na Escola Silva Jardim e depois no Ginásio Lemos de Castro. Sua trajetória foi iniciada nas equipes amadoras do Madureira em 1951. No ano seguinte, Nelsinho disputou um torneio promovido pelo Jornal dos Sports, quando seu futebol ganhou visibilidade.

                  No primeiro ano do curso Científico, Nelsinho precisou parar os estudos em razão do serviço militar e dos compromissos no futebol. Com boas temporadas no quadro de Aspirantes, Nelsinho foi aproveitado no elenco principal pelo técnico Jorge Vieira, que na época iniciava sua carreira como treinador.

                  Com 1;77 de altura e 62 quilos, Nelsinho rendia muito bem como médio-volante ou ainda como meia-armador. Dono de um estilo clássico e boa resistência física, Nelsinho foi um dos destaques do Madureira na excursão internacional de 1961, quando o “Tricolor Suburbano” estabeleceu o recorde brasileiro de permanência no exterior.

                   Ao todo o Madureira disputou 36 jogos em 144 dias pela Europa, Ásia e Estados Unidos. Foram 23 vitórias, 3 empates, 10 derrotas e 107 gols marcados, uma média de quase 3 gols por partida. Foi o primeiro clube brasileiro com passagem pelos gramados de Hong Kong e do Japão.

                   Ainda em 1961, Nelsinho recebeu uma boa proposta do Sport Club Corinthians Paulista, que não continuou nas negociações em razão do alto valor estabelecido pelo clube carioca. O Madureira queria 4 milhões de cruzeiros pelo passe de Nelsinho, o que foi prontamente considerado fora da realidade pelos dirigentes do time do Parque São Jorge.

                   Com indicação do técnico Flávio Costa, Nelsinho foi contratado pelo Clube de Regatas do Flamengo em 1962, um namoro de longa data que virou casamento com uma quantia considerada bem abaixo do esperado pelo Madureira.

                    O jogador custou aos cofres do time da Gávea 1 milhão e 250 mil cruzeiros, mais 80% da renda de um amistoso entre Flamengo e Madureira em Conselheiro Galvão. Conforme publicado pela revista do Esporte, Nelsinho recebeu luvas de 150 mil cruzeiros e assinou contrato com o salário mensal fixado em 30 mil cruzeiros.

                    Além do bom futebol apresentado, Nelsinho também viveu momentos curiosos enquanto jogou pelo Flamengo. Em um clássico contra o Vasco da Gama em 1964, Nelsinho praticamente acabou com a carreira do goleiro Marcelo, que foi vencido em um chute despretensioso da intermediária. Vaiado pela torcida do Vasco, o goleiro deixou o gramado para nunca mais voltar!

                    Mas o ano de 1964 também ofereceu dissabores. Em uma partida contra o Ceará pela Taça Brasil, Nelsinho fraturou a tíbia e o perônio em uma disputa de bola com o meio-campista Lucena.

                    Pelo Flamengo, Nelsinho formou uma ótima dupla com Carlinhos e conquistou o Campeonato Carioca nas edições de 1963 e 1965, além do tumultuado vice-campeonato de 1966 perdido para o Bangu. Nelsinho permaneceu na Gávea entre 1962 e 1968. Foram 192 partidas com 106 vitórias, 35 empates, 51 derrotas e 16 gols marcados.

TREINADOR

                     Nelsinho encerrou a carreira como jogador em 1968, quando iniciou sua caminhada como auxiliar técnico. Seu primeiro trabalho como treinador aconteceu em 1977, na Associação Desportiva Ferroviária (ES).

                     Em 1979 foi contratado pelo Fluminense Football Club e conquistou o Campeonato Carioca de 1980. Deixou o clube no ano seguinte para voltar em 1985, quando faturou novamente o título carioca. Nelsinho também foi o técnico do Club de Regatas Vasco da Gama nas temporadas de 1989, 1992 e 1995.

                     Pelo Vasco da Gama, Nelsinho foi campeão brasileiro de 1989 ao vencer o São Paulo no Morumbi por 1×0. O gol dos cariocas foi marcado de cabeça por Sorato. Conhecido pelo jeito tranquilo e voz mansa, Nelsinho dirigiu mais uma vez o Fluminense em 1993, mesmo ano em que também comandou o selecionado da Arábia Saudita.

                     Retornou mais tarde ao seu querido Madureira, onde posteriormente também trabalhou como Coordenador de Futebol nas categorias de base. Em março de 2013, Nelsinho sofreu um AVC – Acidente Vascular Cerebral quando estava em casa.

                     Depois do susto que prejudicou sua voz e o deixou com limitações físicas, Nelsinho passou por um longo processo de recuperação com acompanhamento médico e muita atenção dos familiares.

Em pé: Murilo, Marcial, Ananias, Luis Carlos, Carlinhos e Paulo Henrique   –    Agachados: Espanhol, Nelsinho, Airton, Geraldo José e Osvaldo
Em pé: Murilo, Ditão, Jaime, Franz, Carlinhos e Paulo Henrique    –     Agachados. Carlos Alberto, Nelsinho, Almir, Silva e Osvaldo
Em pé: Joubert, Fernando, Décio Crespo, Vanderley, Carlinhos e Jordan     –    Agachados: Espanhol, Nelsinho, Henrique Frade, Dida e Gérson
Em pé: Murilo, Itamar, Jaime, Valdomiro, Carlinhos e Paulo Henrique     –     Agachados: Carlos Alberto, Nelsinho, Almir, Silva e Osvaldo
Nelsinho e Carlinhos – uma dupla que marcou época no Flamengo
Postado em N

Deixe uma resposta